Ho’oponopono: é sempre uma oportunidade para limpar, para perdoar...

Ho’oponopono: é sempre uma oportunidade para limpar, para perdoar...

Autor Lena Rodriguez - liberdadedeser@gmail.com

 

"... Tu és demais tolerante em relação às divagações da mente e condescendes com passividade às criações equivocadas da tua mente". (UCEM - pag. 31)

 

 

Por mais que se evite cenários desagradáveis, especialmente na mídia, as situações correntes sempre vêm nos confrontar e fazer nos lembrar que - é sempre uma oportunidade para limpar, para perdoar... 

 

São poucas as leituras que me interesso ultimamente, pois cheguei a um momento em que o que li certa vez em algum livro sobre Taoísmo sobre acumularmos uma série de conhecimentos... porém, que chegaria um momento em nossas vidas que seria necessário des-aprender, talvez este seja o meu momento... 

 

O único livro que tenho lido, normalmente um pouco antes de dormir, é Um Curso em Milagres. É um livro que embora mude a linguagem quanto ao processo Ho’oponopono que pratico incessantemente, não foge aos mesmos propósitos. Mesmo porque, antes de aderir a Ho’oponopono pela sua simplicidade eu praticava o Curso e tinha tido a oportunidade de comprovar a clareza assertiva de seu propósito. 

 

Ontem, ouvindo indiretamente o desfecho do caso de seqüestro “Lindemberg Alves”,  imediatamente me lembrei que no atual estágio de compreensão em que me encontro só havia uma coisa a fazer e foi o que fiz, pedir a Divindade que limpasse todas aquelas memórias que eu compartilhava com aquele cenário desolador... passando pela sala de TV e sabendo o quanto estes cenários mexem com toda a população e percebendo a atenção de minha mãe voltada e fixada nas notícias, não resisti em chamá-la de volta e dizer-lhe; que a nós só cabia pedir que a limpeza fosse feita em nós, em nosso compartilhar com todo aquele acontecimento pois, é como definitivamente, estou me portando diante dos fatos, tanto pessoais quanto os ‘externos’... 

 

Ao ir para a cama e abrir o livro de UCEM ainda ontem me deparo com estas palavras:

 

“Não podes ver seus pecados sem ver os teus. Mas podes libertá-lo e a tu mesmo também”. (Oração do Perdão - pag. 22)

 

 

Instantaneamente me lembrei do caso que estava acontecendo ‘lá fora’... evidente que o caso não estava acontecendo lá fora, pois como é dito no Curso, eu sou a sonhadora do sonho e eu não posso me esquecer que não existe ninguém lá fora... Qualquer tipo de reação que eu pudesse ter em relação ao acontecimento, em nível mental, emocional, etc, ele está dentro de mim... no Curso se trata de meus pecados secretos, que existem em uma forma diferente e para os quais eu não quero olhar...  e me lembrei, que uma vez que eu pensasse que a culpa estava na pessoa lá fora, sabedora de que somos todos um, em minha individualidade dentro da unicidade, a culpa também estava em mim... e tudo o que é necessário é perdoar, pedir ao Espírito Santo que me ajude a me perdoar...

 

 

Também em Ho’oponopono tudo está dentro de mim,  memórias compartilhadas... sou 100% responsável por tudo o que acontece dentro e fora de mim e tudo o que é necessário é pedir à Divindade a limpeza dessas memórias e utilizar as frases: Sinto muito. Me perdoe. Te amo. Sou grata., no sentido de me lamentar pelo ocorrido, pedindo perdão ao mesmo tempo enviar amor e ser grata pela oportunidade, que por mais bárbara que possa parecer, estou tendo a chance de libertar e ficar liberta também.

 

 "A cada dia e em cada minuto de cada dia, e em cada instante que cada minuto contém, tu apenas revives o único instante em que o tempo do terror tomou o lugar do amor. E assim, morres a cada dia para viver outra vez, até que atravesses a brecha entre o passado e o presente, que não é absolutamente uma brecha. Assim é cada vida: um aparente intervalo do nascimento à morte e mais uma vez à vida, uma repetição de um instante que se foi há muito tempo e que não pode ser revivido. E tudo o que existe do tempo não passa de crença louca segundo a qual o que passou ainda está aqui e agora. Perdoa o passado e deixa-o ir, ele já se foi". (UCEM - pag. 592)

Sinto muito. Sinto muito. Sinto muito.
Me perdoe. Me perdoe. Me perdoe.   


Texto revisado por: Cris



Compartilhe
Facebook   E-mail   Whatsapp

Autor: Lena Rodriguez   
Lena Rodriguez - Terapeuta Multidisciplinar - Terapia Floral On Line - e-Terapia: www.cuidebemdevoce.com
E-mail: liberdadedeser@gmail.com
Visite o Site do autor e leia mais artigos.

Publicado em 18/10/2008



© Copyright 2000-2019 ClubeSTUM - O conteúdo desta página é de exclusiva responsabilidade do Participante do Clube. O site não se responsabiliza por quaisquer prestações de serviços oferecidos pelos associados do Clube, conforme termo de uso.