AUTOESTIMA E AFETIVIDADE V  
   

AUTOESTIMA E AFETIVIDADE V

Autor Willes S. Geaquinto - willesterapeuta@bol.com.br

Compartilhe
   

Encerrando esta série reflexiva, a seguir vou compartilhar algumas práticas transformadoras baseadas no método terapêutico denominado Análise Transacional. Isto para que você invista na melhora do seu padrão de carícias tornando mais rica a sua vida afetiva e, consequentemente, elevando a sua autoestima. Carícias são estímulos verbais ou não. Transmitidos através da fala, da escrita, do gesto, da expressão corporal, do toque, etc.

Dê a si mesmo as carícias positivas que merecer

Voce tem o direito de falar bem de si mesmo; de elogiar o que há de bom em si, de se dar presentes, seja um objeto, um passeio, etc. Cultive seus próprios valores sem excesso de vaidade ou falsa modéstia. Lembre-se: o tempo que se perde falando dos outros, é o tempo que pode ser gasto falando bem de si mesmo;

Recuse as carícias negativas

Quem lhe dá carícias negativas, principalmente as de lástima (pena ou dó), só alimenta as suas fraquezas e o diminui. Desqualifique-as ou simplesmente ignore-as; Cultivar e exercitar a autoconfiança e o autorrespeito, é fundamental para criar autonomia e romper com posturas de submissão.

Aceite as carícias positivas que merecer

Você tem méritos, valores e pessoas que certamente o estimam, aceite as caricias delas livremente, inclusive aquelas que forem corretivas (algumas “críticas positivas” servem para o aperfeiçoamento e não desqualifica quem as recebe);

Peça as carícias positivas que você necessita

Não espere que as pessoas adivinhem as suas necessidades. É positivo pedir carícias, se você sente necessidade delas no momento. Lembre-se: Fazer-se de vítima, de coitadinho para chamar a atenção, é uma maneira negativa de solicitar carícias;

Dê as carícias positivas sempre que puder dar

É bom dar carícias, diga e faça coisas agradáveis, as pessoas se sentirão bem e você também.

Sei que ao falar de carícias estas pareçam fáceis de serem obtidas. Porém, essa ideia, na prática, não é real. São inúmeras as ocorrências, crenças e pré-conceitos, que dificultam em muito a sua obtenção. Porém, tomando como base a minha experiência de criança abandonada pelos pais e tendo como aprendizado a “escola da vida”, sei que é possível aprender e aperfeiçoar o padrão afetivo e atingir um estado contínuo de equilíbrio emocional.

Acredite: gostar de si mesmo de maneira incondicional é a postura mais importante para enfrentar qualquer desafio existencial; quem se ama busca e conquista sempre o melhor.

Textos baseados em meu livro Autoestima - Afetividade e Transformação Existencial de 2014/2015


Obrigado por votar

Gostou deste Artigo?   Sim   Não   
Avaliação:
AUTOESTIMA E AFETIVIDADE V
5 1

Compartilhe
   

Autor: Willes S. Geaquinto   
Willes S. Geaquinto - Psicoterapeuta, Consultor Motivacional. Com método próprio trabalha com a Terapia do Renascimento promovendo o resgate da autoestima, o equilíbrio emocional e solução de transtornos e fobias. Palestras e Cursos Motivacionais(relação de palestras no site). Contato: (35) 3212-5653 site: www.viverconsciente.com.br
E-mail: willesterapeuta@bol.com.br
Visite o Site do autor e leia mais artigos.

Publicado em 13/02/2018
 

Deixe sua opinião sobre este artigo



Acessar seu Clube STUM
Faça
seu login


© Copyright 2000-2018 SOMOS TODOS UM - O conteúdo desta página é de exclusiva responsabilidade do Participante do Clube. O Stum não se responsabiliza por quaisquer prestações de serviços oferecidos pelos associados do Clube, conforme termo de uso STUM.