CIVILIZAÇÃO-DEUS E CIVILIZAÇÃO LÚCIFER – PARTE 3

CIVILIZAÇÃO-DEUS E CIVILIZAÇÃO LÚCIFER – PARTE 3

Autor Florencio Antonio Lopes - florencio.al@gmail.com

Este livro “O Sopro de Deus”, foi baseado nos meus estudos espirituais, onde recebi o apoio dos meus queridos “Irmãos Espirituais”, no qual tenho um grande amor a esta maravilhosa corrente espiritual que me acompanha e protege a mim, na minha vida material.

Agora, eu entrego ao público esta obra que eu tenho orgulho em poder passar neste estudo uma pequena parte do início do mundo, para que você leitor, tenha mais um conhecimento sobre a criação do nosso planeta Terra.

Tenho certeza que este livro irá trazer uma “grande abertura” e que será muito acrescido em seus conhecimentos. (Florêncio Antonio Lopes, pgs. 31 a 32)

O homem-macaco negro Arcanjo Gabriel, experimentava todas as ervas como um cientista cobaia e muitas vezes ficava doente, com a boca cheia de feridas por causa dos testes. Ele era o que mais trabalhava e os demais obedeciam-no, e um dos macacos negros hoje conhecido como Arcanjo Miguel, era quem tinha as intuições das armadilhas para caçar e os outros as faziam, e o homem-macaco branco Lúcifer só ficava olhando.

Com o passar do tempo as mulheres-macacas foram se definhando e morrendo pela idade e, quando os seus filhos, de ambos os sexos, chegaram na idade para a procriação, o homem-macaco negro Arcanjo Gabriel saiu na sua andança, só com o seu cajado, assustou-se quando encontrou com um tipo de animal, pequeno e dócil (em relação aos dinossauros) eram inquietos, saltitantes e berravam com mééé, foi difícil para o homem-macaco Arcanjo Gabriel imitar este som, até que ele conseguiu imitar o som perfeito, percebeu que ao fazê-lo, todos os animaizinhos vinham ao seu redor e as fêmeas estavam com as tetas cheias de leite, ele apertou uma das tetas e tirou um pouco, pôs na boca e sentou-se na pedra esperando para morrer, mas gostou do sabor e como a sua boca tinha feridas causadas pelas ervas que experimentava, notou que curou as feridas, teve uma cicatrização rápida.

Então ele mamou nas tetas da cabra, como ele já era considerado amigo delas, elas deixaram. Ele percebeu que quando tomou uma quantidade respeitável de leite, ele ficou vários dias sem sentir fome, sentia-se forte e quando se sentia feliz punha uma das mãos no chão e virava o corpo como uma cambalhota.

Os cabritos, bodes e cabras ao vê-lo fazer isso, ficaram assustados, mas não correram, pois eram amigos e depois de tanto os animais prestarem atenção nele fazendo isso começaram a dar pinotes também, este movimento foi o símbolo que ficou com as cabras de todo mundo, dando pinotes com as patas como se fossem coices.

Mas, o homem-macaco negro Arcanjo Gabriel, começou a ter um pressentimento que estava sendo vigiado, logo pensou que fosse o macaco negro, conhecido nos dias de hoje, como Rafael que era muito ligado a ele, então ficou seguro pela simpatia que unia os dois e teve uma ideia de levar as cabras para o local onde habitavam e como ele ia fazer isso?

Ele fazia mééé e elas respondiam, mas não o acompanhava, ficou muito tempo pensando e observando-as para achar um meio para que elas entendessem, ele gritava mééé elas vinham rodeavam-no e só ficava nisso, e um belo dia ele encontrou uns gravetos diferentes que eram ocos por dentro, ele apanhou os mais finos, tipo gravetos, que hoje leva o nome de bambu e quando um batia no outro fazia “tec-tec”, e todo bando começou a segui-lo com o “tec-tec”, então ele amarrou uma porção deles, dos mais finos, na cintura com o sisal e as cabras o seguiam e ele ia dizendo mééé e foi caminhando até o local onde ele habitava.

Chegando lá encontraram o homem-macaco Rafael com febre, já não comia e só chorava pensando ter perdido o amigo e para todos que lá estavam foi uma festa e os dois homens-macacos negros Rafael e Gabriel se abraçaram e pulavam, e assim fizeram e as cabras vendo isso passou a dar pinotes.

Esta foi considerada a primeira festa do mundo, de leite de cabra, isto aconteceu há cem milhões de anos, e também quando surgiu o primeiro beijo, no encontro do homem-macaco negro Rafael abraçou e beijou na testa do homem-macaco negro Gabriel, e este ato ficou registrado até nos dias de hoje, quando um ser humano beija o outro na testa é sinal de respeito. [continua]

Nosso endereço: Amor Entre os Povos, Rua São José, 247 – centro – Ribeirão Preto - SP, fone: 16 3625-0574.

Abraços

Florêncio Antonio Lopes
Mestre Espiritualista
Site: link
florencio.al@gmail.com



Obrigado por votar

Gostou deste Artigo?   Sim   Não   
Avaliação: 5 | Votos: 1

Compartilhe
Facebook   E-mail   Whatsapp

Autor: Florencio Antonio Lopes   
FLORÊNCIO ANTONIO LOPES Terapeuta Espiritualista graduado "Senhor-Mestre" Ribeirão Preto - SP
E-mail: florencio.al@gmail.com
Visite o Site do autor e leia mais artigos.

Atualizado em 06/11/2019



© Copyright 2000-2019 ClubeSTUM - O conteúdo desta página é de exclusiva responsabilidade do Participante do Clube. O site não se responsabiliza por quaisquer prestações de serviços oferecidos pelos associados do Clube, conforme termo de uso.