CIVILIZAÇÃO-DEUS E CIVILIZAÇÃO LÚCIFER – PARTE 4

CIVILIZAÇÃO-DEUS E CIVILIZAÇÃO LÚCIFER – PARTE 4

Autor Florencio Antonio Lopes - florencio.al@gmail.com

Este livro “O Sopro de Deus”, foi baseado nos meus estudos espirituais, onde recebi o apoio dos meus queridos “Irmãos Espirituais”, no qual tenho um grande amor a esta maravilhosa corrente espiritual que me acompanha e protege a mim, na minha vida material.

Agora, eu entrego ao público esta obra que eu tenho orgulho em poder passar neste estudo uma pequena parte do início do mundo, para que você leitor, tenha mais um conhecimento sobre a criação do nosso planeta Terra.

Tenho certeza que este livro irá trazer uma “grande abertura” e que será muito acrescido em seus conhecimentos. (Florêncio Antonio Lopes, pgs. 33 a 37)

 Foi então que o homem-macaco negro Gabriel descobriu que não era o homem-macaco negro Rafael que o estava vigiando, Gabriel balançou a cabeça e pensou: “Não era ninguém, foi da minha cabeça”.

Logo depois, Gabriel (daqui para a frente será usado o seu verdadeiro nome) saiu para outra missão, mas se esqueceu de tirar da cintura os gravetos, depois de algum tempo percebeu que as cabras estavam atrás dele, precisou voltar, tirou os gravetos da cintura e as cabras ficaram no local, porque ele amarrou no galho de uma árvore e elas ficaram por ali, então ele seguiu viagem.

Ao chegar perto de umas pedras que eram rochas muito grandes e pelo Sol, ficaram num tom meio amarelado e do nada deu um estouro no céu (trovão) e desceu um raio, caindo numa árvore que a rachou ao meio, Gabriel ficou com medo e tentou voltar para trás, mas, ao pegar o seu cajado deu-se um outro estrondo, Gabriel com o susto soltou o cajado e o raio pega justamente no seu cajado que o joga longe e em chamas, Gabriel apavorado correu atrás do cajado, e outro estrondo, outro raio pega novamente no cajado e como Gabriel estava muito próximo caiu, parecia morto, então apareceu Lúcifer e percebeu que Gabriel estava vivo, instintivamente Gabriel falou para Lúcifer: “meu cajado”, Lúcifer foi pegá-lo, no pegar o cajado ele deu um berro e caiu para trás, queimando toda sua mão.

Gabriel todo machucado teve a ideia de fazer mééé, mééé, enquanto Lúcifer segurava as mãos com dor, apareceram algumas cabras, Gabriel tirou leite de algumas delas e colocou o leite nas mãos de Lúcifer que refrescou imediatamente, Gabriel disse-lhe:

- Vá buscar ajuda.

- Não, vou te levar até lá - responde-lhe Lúcifer pegando-o no colo.

Ao chegar no local em que Gabriel habitava, Rafael atirou-se sobre Lúcifer querendo matá-lo, pensando que tinha sido ele o culpado pelo que tinha acontecido com Gabriel. Gabriel dá um grito e Rafael parou. Foi quando Gabriel chamou Rafael e disse-lhe:

- Jamais repita isso na minha frente ou na minha ausência, não confio mais em você, para que eu possa confiar em você outra vez, terá que dar prova para mim.

Então, Miguel interferiu:

- Ele pensou que Lúcifer tinha lhe machucado.

- Eu sempre sentia que estava sendo vigiado, sempre pensei que fosse Rafael, mas, depois acabei descobrindo que não era o Rafael, achei que fosse coisa de minha cabeça, hoje com a descoberta que tive, houve um estrondo e veio um fio do céu brilhante que cortou uma árvore no meio e um outro fio logo em seguida, depois de um estrondo, que pegou no meu cajado que me jogou muito longe, eu vi um ser tentando apagar o fogo do cajado e se ferindo, mas o leite de cabra aliviou a sua dor, e eu não podia caminhar e ele me trouxe nos seus braços - explica Gabriel

Lúcifer nesse momento entra e cai de joelhos ao lado da cama de Gabriel, chorando fala (a fala que eu digo era rosnando como um animal):

- Gabariel eu não posso perder você!

Ouvindo isso Miguel rosnou ferozmente tentando agredi -lo, mas Gabriel pôs calma com um pedaço de cajado, jogando -o na frente dele que parou e disse-lhe:

- Miguel nunca se deixe levar pela sua visão, primeiro procure saber o que aconteceu, Rafael também agrediu Lúcifer que estava me carregando e tinha as suas mãos machucadas. Nisso Daniel pergunta-lhe:

- Mas, como aconteceu isso? Na sua descoberta tão violenta que queimou a mão de Lúcifer para salvar o seu cajado e que o jogou tão distante queimando parte do seu rosto?

- Não sei, só sei responder a você o seguinte, que arde muito - responde-lhe Gabriel.

E todos foram acudir Gabriel e Lúcifer, mas Lúcifer sempre demonstrando um carinho e uma grande admiração por Gabriel.

Passado algum tempo Gabriel percebeu que não enxergava mais de uma vista, o seu rosto negro ficou com marcas fortes devido ao acidente, mas ele não deixou que os demais percebessem que ele não enxergava mais de um olho.

Mas, numa certa tarde houve um temporal muito forte, então Gabriel mostrava para os demais a força daquele barulho que vinha com um risco brilhante no céu, todos ficaram extasiados, mas com muito medo.

Quando a noite chegou e Gabriel olhando a chuva enquanto todos dormiam, de repente acordaram com um estrondo horrível e violento, por infelicidade de Gabriel foi perto dele que o jogou para dentro da caverna, foi quando Lúcifer endoidecido com o que aconteceu com Gabriel avançou sobre o fogo que tinha pegado no Triângulo de Gravetos de Gabriel, se queimando novamente.

Vamos dizer que Gabriel ficou entre a vida e a morte, os ferimentos de Lúcifer logo foram curados novamente pelo leite, mas os ferimentos de Gabriel não.

Gabriel ficou muito tempo neste estado, a perna ficou sem sentido, não deu gangrena, mas secou e Gabriel se arrastava e Rafael chorava, foi quando Gabriel chamou Lúcifer e Miguel, pediu-lhes para medir a perna dele, cortaram aquela madeira oca do sininho para chamar as cabras, que era o bambu, foram raspando com pedra e colocaram a perna de Gabriel nesta madeira oca, Gabriel já conhecia uma flor branca muito macia, que as colocou para proteger a sua virilha, com muita persistência Gabriel conseguiu se equilibrar e andar.

Rafael era só olhar para Gabriel que se punha a chorar e Lúcifer não saia de perto de Gabriel. Um belo dia outro temporal com raios e novamente o raio caiu no cajado de Gabriel e só pegou fogo na ponta do cajado, Gabriel levantou o cajado, como era noite, a caverna estava escura e clareou a caverna, as crianças acordaram e começaram a brincar, eles perceberam que as pedras que formavam a caverna tinham cores diferentes, e com a orientação de Gabriel não deveriam deixar o fogo apagar e faziam um grande buraco com as pedras e ali mantinham aquela chama brilhante acesa.[continua]

Nosso endereço: Amor Entre os Povos, Rua São José, 247 – centro – Ribeirão Preto - SP, fone: 16 3625-0574.

Abraços

Florêncio Antonio Lopes
Mestre Espiritualista
Site: link
florencio.al@gmail.com


Obrigado por votar

Gostou deste Artigo?   Sim   Não   
Avaliação: 5 | Votos: 1

Compartilhe
Facebook   E-mail   Whatsapp

Autor: Florencio Antonio Lopes   
FLORÊNCIO ANTONIO LOPES Terapeuta Espiritualista graduado "Senhor-Mestre" Ribeirão Preto - SP
E-mail: florencio.al@gmail.com
Visite o Site do autor e leia mais artigos.

Atualizado em 06/11/2019



© Copyright 2000-2019 ClubeSTUM - O conteúdo desta página é de exclusiva responsabilidade do Participante do Clube. O site não se responsabiliza por quaisquer prestações de serviços oferecidos pelos associados do Clube, conforme termo de uso.