Home > Autoconhecimento

A releitura da nossa infância sob a ótica reencarnacionista
por Mauro Kwitko

A releitura da nossa infância sob a ótica reencarnacionista

A Psicologia tradicional procura a causa de tudo na infância de seus pacientes. Nós procuramos entender a infância das pessoas, sob a ótica reencarnacionista. Para a visão oficial, ela é o início da vida; para nós, é a continuação, sendo assim, tem uma estrutura organizada pelo Universo, segundo as Leis Divinas. Devemos entender e conversar com nossos irmãos no consultório sobre isso. O dia de amanhã é aleatório ou é a continuação de hoje? O ano que vem não é a continuação desse ano? A nossa próxima encarnação é a continuação dessa. Se alguém não gostou de sua infância, por que a precisou? Por que a mereceu? Tudo na nossa vida é feito por nós mesmos e a nossa infância é o que necessitamos para começarmos a perceber nossas inferioridades, é onde começamos a nos reconhecer.

Por que um nasce em uma família rica? E outro em uma favela? Muitas pessoas referem que sua infância foi muito dura, passaram por dificuldades, quer seja de ordem afetiva ou financeira, problemas com um dos pais, ou com ambos, ou com outras pessoas. Muitas permanecem com esses traumas pelo resto de sua encarnação, influenciando gravemente seu comportamento. A maioria das doenças crônicas como asma, reumatismo, problemas cardíacos, digestivos, renais, etc., surgem por questões da infância e encontramos nas pessoas, por trás dos sintomas físicos, bloqueios emocionais como mágoa, ressentimento, medos, raiva, tristeza e insegurança. E os sentimentos vêm dos pensamentos, e esses vêm do Ego, ou seja, a ilusão da ilusão. E enquanto isso, a Medicina do corpo físico fica tratando apenas os órgãos, as partes, e buscando os seus vilões: as bactérias e os vírus.

Os doentes, mesmo os reencarnacionistas, acreditam que os sintomas emocionais têm sua origem lá no início dessa atual trajetória terrena. Mas a experiência das regressões mostra que se esses sentimentos e essas tendências são intensas, já nasceram conosco e foram aflorados, não gerados, na infância pelas situações "injustas". Sabemos que a mágoa, a raiva, o medo, a insegurança, etc. são os fatores causais mais freqüentes das doenças crônicas... então, como resolver isso? Aí entra a Psicoterapia Reencarnacionista para o esclarecimento de nossas questões kármicas e reencarnatórias. Devemos ajudar as pessoas em tratamento a fazer uma releitura de sua infância, a entender as Leis que estruturam uma infância, a Lei do Retorno, a Lei do Merecimento, a Lei da Necessidade. Essas Leis fazem com que passemos por situações que provocamos em outras vidas (abandono de filhos, por exemplo), vivenciemos o que fizemos a outros, passarmos pelo que merecemos, pelo que precisamos.

Devemos lembrar para as pessoas em tratamento que não nascemos perfeitos, e, sim, trazemos sentimentos e características inferiores para tentar aqui melhorá-los, ou eliminá-los. Devemos mostrar-lhes que não devem continuar acreditando que toda aquela sua mágoa, aquela sua raiva, aquele medo, insegurança, iniciaram na infância, como se eles tivesse nascido perfeitos, que não trouxessem esses sentimentos consigo ao nascer. A Psicologia oficial criou uma concepção (não-reencarnacionista) de que tudo nosso surgiu na infância, e fazer as pessoas se libertarem dessa inverdade não é uma tarefa fácil. É como o mito da pureza da criança... mas que pureza? Apenas um ser perfeito, como Jesus, pode ter sido uma criança pura; nós não temos essa pureza, apenas as nossas imperfeições e inferioridades ainda estão latentes, aguardando as armadilhas e os gatilhos para se manifestarem.

O psicoterapeuta que é reencarnacionista deve saber e lembrar para as pessoas que pai e mãe são também Espíritos e, mais do que provavelmente, vimos nos encontrando freqüentemente nessas passagens terrenas, e que eles também aqui estão tentando eliminar suas imperfeições, buscando purificar-se. Devemos reconhecer em nós e falar sobre os rótulos temporários e ilusórios da encarnação, pois é preciso entender que ninguém é pai, mãe, filho, irmão, marido, esposa, etc., apenas as Personalidades terrenas acreditam que são. Relembrando para as pessoas essas verdades óbvias, e eles entendendo que não nascemos puros e estando cientes da relatividade dos rótulos, vamos conversando sobre o por que ter nascido naquela família, naquele ambiente, filho daquele pai, daquela mãe, estar passando por tal ou qual situação, etc. O objetivo é ajudar as pessoas a entender o que é estar encarnado aqui, em um Plano Físico, de natureza passagei­ra, a enfrentar essas situações, superá-las, e mostrar-lhes que, em tornando-se vencedores de seu destino, alcançarão a meta única da Reencarnação: a evolução. E isso é atingi­do ou não, dependendo da atuação da nossa Personalidade Inferior, o que é diretamente proporcional aos nossos pensamentos e sentimentos, e ao alinha­mento com a nossa Essência, através da rendição do nosso Ego.
O grande erro é esquecermos de quem na realidade somos e cairmos na vitimação, no sentimento de "coitadinho de mim", de injustiçado, a grande causa das doenças emocionais e mentais e suas posteriores repercussões físicas.

Nós temos a infância que precisamos e essa é uma das tarefas do psicoterapeuta reencarnacionista: ensinar para as pessoas como reler sua infância sob a ótica da Reencarnação. A infância é a continuação da vida anterior e ela é o que a Perfeição quer que nós vivenciemos aqui na Terra, dessa vez. Os gatilhos começam na infância e se nós descemos lá da Luz para vivenciarmos os gatilhos necessários para mostrar o que temos de melhorar em nós, aí está o primeiro palco onde vivenciaremos os gatilhos. A maior parte dos doentes tropeçam nos gatilhos pois lêem sua infância como um início e, freqüentemente, não se conformam com ela, não a aceitam, mas não se perguntam: Por quê vim filho desse pai? Por que Deus me enviou para essa mãe? Por que sou bonito? Por que sou feio? Por que sou alto? Por que sou baixinho? Por que sou branco? Por que sou negro?

A pergunta "Por quê?" nos ajuda a entender um pouco da nossa infância e das pessoas que nos procuram no consultório. O merecimento é uma das chaves dessa compreensão. A necessidade é outra. E o retorno, a terceira chave. Podemos abrir as portas da compreensão a respeito da infância através da releitura reencarnacionista. Essa visão da Psicoterapia Reencarnacionista amplia muito a nossa possibilidade de realmente aproveitarmos uma encarnação. Mas lembrem-se: primeiro em si, depois nos outros.

E lembremos também que nós estamos preparando a nossa próxima infância... O que iremos precisar nela?



Texto revisado


Consulte grátis
     
 
Compartilhe
   


Autor: Mauro Kwitko   
Visite o Site do autor e leia mais artigos..   
Publicado em 01/12/2012

Veja também
Escreva uma carta para o seu ex...
O Ano Novo Solar: 20 de março de 2019
Luz nos pés - Mente livre
Qual o significado dos 40 dias da Quaresma?
Um Novo Horizonte
O que está por trás de nossas expectativas?

Deixe sua opinião sobre este artigo

© Copyright - Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução dos textos aqui contidos sem a prévia autorização dos autores.



Energias para Hoje
segunda-feira, 18 de março de 2019

energia
I-Ching: 13 – TUNG JEN – COMUNIDADE COM OS HOMENS
A união e a confraternização trazem sucesso. Unindo-se a outros, você poderá realizar coisas importantes.


energia
Runas: Isa
Espere o momento oportuno, planos em suspenso.


18
Numerologia: Compaixão
Diga uma palavra terna, faça uma boa ação, enriqueça a vida dos que estão à sua volta com um gesto de carinho. Compartilhe generosamente seu conhecimento, seja compreensivo e ofereça ajuda.




Horóscopo

Áries   Touro   Gêmeos   Câncer
 
Leão   Vírgem   Libra   Escorpião
 
Sagitário   Capricórnio   Aquário   Peixes




+ Lidos da Semana anterior
1. Você conhece algum pisciano? Então conhece todos os signos do zodíaco!
2. Entrelaçamento quântico da alma
3. Talvez você não consiga ter um relacionamento...
4. Vale a pena aguardar o aniversário para fazer a Revolução Solar?
5. Tá na cara - Parte 2
6. EMDR - A Cura Emocional do séc. XXI
7. Na força das águas do espírito...
8. Perigos na hora de se separar de um relacionamento abusivo

 
© Copyright 2000 - 2019 Somos Todos UM - O SEU SITE DE AUTOCONHECIMENTO. Política de Privacidade - Site Parceiro do UOL Universa