Problemas para ver o boletim? Acesse: https://www.somostodosum.com.br/boletim/mudanca3.asp
ESPECIAL STUM: O único aspecto permanente é a mudança

A intuição bateu com força total apresentando sem delongas o assunto deste boletim quinzenal; à primeira vista, parece um pouco repetitivo nos chamando mais e mais a atenção para continuarmos nossa caminhada evolutiva com indomável certeza, confiança plena e determinação absoluta.

Sei muito bem como é sentir-se desmotivado, cansado, perdido, drenado em meio a uma multidão que vibra e vive outros valores, que corre desesperadamente o dia inteiro indo e vindo, pra lá e pra cá, sem saber ao certo o que de fato está fazendo, seguindo um estilo de vida massificado, superficial e conduzido de fora para dentro, fazendo parte de um mundo violento, corrupto, decadente e conformista que olha para os buscadores da Luz com ar de comiseração e pena...

Precisamos, quando enfrentarmos estes momentos de desânimo,
lembrar de vez o que na verdade somos.

Somos nada menos que um milagre em ação navegando livres pelo oceano da vida, para escolher nosso destino. Viajantes e ao mesmo tempo parte integrante do Universo, hoje filhos queridos da Mãe Terra que nos acolhe, alimenta e protege, permitindo que manifestemos a beleza, a graça, o amor que está em cada célula de nosso organismo, bem como em cada minúscula partícula do Cosmos.
Somos espelhos do movimento das galáxias, estrelas, dos planetas que nos influenciam permanentemente com suas andanças - perfeitamente coordenadas - pelo espaço sideral. Formamos um Todo feito de Luz, aquela pequena, mas indispensável partitura de uma sinfonia cósmica única, plena, deslumbrante. Temos o poder, durante nossa viagem, de perpetuar a evolução, ao gerar outros seres humanos; literalmente, produzindo a vida, dando à Luz! Temos todas as chances em nossas mãos para realizar brilhantemente nossa parte e cumprir aqui nossa tarefa, a missão espiritual, agora mesmo... somos nada menos que os co-criadores do Universo.

Precisamos somente colocar o Amor incondicional como prioridade absoluta em nossa existência e fazer dele o principal aliado, conselheiro, amigo fiel, redescobrindo a sensação de pertencer, de que tudo faz sentido quando, pela paulatina e constante expansão de nossa consciência, afrontamos com mais serenidade e harmonia os episódios negativos na cronologia dos fatos da vida.

Seremos, então, não mais meros espectadores e sim os autores da mudança que está acontecendo inevitável, coordenada, definitiva. Dentro e fora, de dia e de noite, basta captar os muitos sinais, utilizando cada vez mais a intuição, o sentir, verificando as constantes melhoras em nossa saúde emocional, mental e física, percebendo também o quanto estamos sendo amparados e guiados pelos nossos mentores, os tutores de nossa caminhada, nas sincronicidades que, sem parar, nos dizem respeito: um precioso encontro inesperado, uma informação de que tanto precisávamos e que de repente se abre na tela de nosso micro, ou episódios que reorientam nosso rumo, nos fazendo até mudar de cidade ou de país.

É um renovado estado de alma que nos conduz a sentimentos celestiais que estão disponíveis no éter, esperando somente serem sintonizados pelo nosso dial mental; é o estado de espírito que nos permite encontrar a alegria, a beleza e o propósito a cada instante e em cada situação, mesmo que aparentemente se configurem como limitadoras ou trabalhosas.
É a beleza da vida que sempre nos brinda com o que é essencial, mesmo que algumas restrições materiais nos condicionem; me refiro aos afetos sinceros, às amizades resistentes à ausência e à distância, a tudo aquilo que nos toca o coração de forma suave e permanente, como um pôr-do-sol no mar em calmaria, com uma brisa amiga acariciando nosso rosto ou aquele céu estrelado quase que caindo sobre a gente, no campo, numa noite tranqüila e encantadora.

Muito já está sendo feito - mesmo que seja pouco divulgado pela grande imprensa, de fato noticia boa ainda não dá Ibope - em aspectos que antigamente eram pouco considerados, como o respeito ao meio-ambiente, a auto-sustentabilidade das comunidades por meio de energias limpas e renováveis, a verdadeira justiça social, abolindo conotações separatistas e racistas; o respeito absoluto pelos outros, pela Unidade do Todo, pela vida em todas as suas formas.
Sem falar do recém enfocado consumo consciente, a grande arma de nós consumidores, com o poder de escolher produtos de empresas preocupadas com a ética e o impacto ambiental na fabricação de bens, inclusive sem admitir maus-tratos aos animais. A diferença se sentirá com todos nós exercendo uma ação prática e direcionada em nosso ambiente circunstante, melhorando paulatinamente tudo o que for possível. Propiciando também oportunidades de crescimento aos nossos semelhantes, passando a motivá-los, esclarecê-los e, sobretudo, servindo de exemplo para todos, sendo, enfim, um farol de luz intensa clareando a caminhada...

Por fechar este boletim, uma mensagem de esperança...
Desejo, visualizo, que esta época de profunda crise moral venha a se transmutar em definitivo ainda nestes próximos anos. Não em décadas, mas em poucos anos mais. É algo muito forte que sinto a respeito, que vem de dentro, do fundo da alma e que muitos devem estar sentindo também. Não sei exatamente de que forma virá, espero venha com relativo sobressalto e sofrimento, pela formação de uma massa critica de seres totalmente despertos e atuantes, formando uma rede global capaz de pôr em marcha e realizar em todos os níveis a obra da Luz. Assim será, com a Unidade finalmente prevalecendo sobre a dualidade, o Amor vencendo de goleada em todos os campos, em todos os corações.

Sim, Somos Todos UM Sergio - STUM

Para comentar esse boletim especial, clique aqui.

Leia a seguir textos em sintonia com este especial.
ARTIGOS
  • A Cegueira do Mundo
  • Ciclo da Evolução
  • Transformação
  • O que é do Sentir...
  • Vivendo de modo Consciente

  • Mudanças e Transformações Conscienciais
  • Palavras
  • Mudança interior
  • Princípio-Terra
  • Tudo pode mudar
  • © Somos Todos UM - direitos reservados. Boletim Ano 9, Edição .
    Este boletim foi enviado para 4358219 assinantes.