Problemas para ver o boletim? Acesse: https://www.somostodosum.com.br/boletim/nossavida.asp
ESPECIAL STUM: A História de nossa vida

Preciso escolher logo o tema deste especial, mas todas as perguntas dão em nada e, mesmo estando em harmonia e paz, confiante que se trata somente de uma questão de tempo e paciência, sinto-me bastante frustrado. De repente, entrego tudo e escrevo o papel de rascunho: V. pode me ajudar?
Imediatamente começou a tocar numa seleção de músicas do micro uma canção que Edith Piaf cantou há mais de 50 anos, enquanto minha mão, quase que em automático, escrevia exatamente o que está no título.
A música inundando a sala e o sentimento de estar amparado, acolhido e guiado de forma suave me deixaram realmente emocionado. São momentos raros, quando percebemos claramente o plano espiritual atuando aqui mesmo, ao nosso lado. A conexão com a fonte começa e estou a serviço, pronto para comunicar algo bom, com humildade para os irmãos e irmãs do Site, todos parceiros de caminhada, todos trilhando a estrada da vida com sua energia de busca e manifestando seus sentimentos de amor incondicional cada vez mais aflorados, despertos, firmes.

A beleza e a força do recado de "Não! Eu não lamento nada" vêm quando o corpo quase já não permitia à Alma de Piaf manifestar todo seu impulso criativo e se apresentar regularmente nos palcos, abatida e precocemente incapacitada, talvez devido a uma infância paupérrima e uma vida sempre complicada e difícil, mesmo quando o sucesso junto ao público tinha finalmente chegado.
Sua música se torna um legado que nos transmite, encantando-nos com sua voz, a sabedoria inata do ser humano; sua capacidade de criar, interpretar, vencer e disseminar obras imortais. A força de renascer das cinzas a cada novo dia que surge, varrendo o passado e colocando o bem e o mal na mesma gaveta, como polaridades distintas da mesma energia.
Quantas vezes a comunicação, sobretudo através da música, se processa de forma inconsciente, chegando diretamente, mesmo sem conhecer o idioma, até nosso centro, nosso coração, fazendo-o vibrar forte e nos transformando sutilmente, quando as mensagens enviadas se deparam com tudo àquilo que está guardado em nossa alma desde o início dos tempos e somente espera para ser desvendado, compreendido e finalmente posto em prática amorosamente...

E quais seriam nossas palavras, nossa música, nosso legado? É normal realizar um retrospecto em determinada fase de nossa existência e buscar, mesmo sem nada a lamentar, como Piaf, algo mais que possa dar ainda mais significado e propósito aos nossos dias por aqui, passageiros temporários que somos no planeta azul.
Talvez nem todos saibamos compor músicas ou juntar de forma tão bela as letras que as compõem, mas temos nossos olhos e ouvidos abertos para perceber o quanto ainda resta para fazer para que a Luz se espalhe onde ainda a escuridão predomina... Temos nossos Dons e a capacidade de sermos co-criadores, ativos em todos os níveis e com poderes para chegarmos juntos à Unidade do Todo, eliminando todos os bloqueios à nossa frente, sem culpa e sem medo.

Para concluir, transcrevo aqui este primoroso texto da Sônia Carvalho - que apareceu de forma inusitada em minha tela e, confesso, gostaria de ter escrito neste momento como um pequeno manual de uso para nossa expansão da consciência...

A verdadeira coragem
A verdadeira coragem não está em vencer todas as batalhas da vida, mas sim em reconhecer que perdas também fazem parte do nosso processo de evolução. É continuar a caminhada, mesmo a passos lentos, mesmo quando o sol não aparece, as estrelas não brilham e o coração está ferido. Não é acumular inúmeros conhecimentos, mas sim compartilhá-los com todos os que estão ao seu redor, aceitando o grau de evolução de cada um.

A verdadeira coragem não está em realizar grandes feitos, mas sim em manter a humildade ao seu lado e se empenhar na realização de simples gestos. É encontrar a dor e enfrentá-la, derramando lágrimas, mas jamais deixando que a esperança se perca.

A verdadeira coragem não está em apenas sair do inferno, mas sim em estender a mão em auxílio de quem lá se encontra. É passar pelas tristezas, sem deixar que o desânimo ganhe espaço dentro de nós.

A verdadeira coragem não é apenas buscar freneticamente pela perfeição, mas sim reconhecer que tudo tem o seu tempo e assim continuar gradativamente realizando a sua reforma íntima. Não é apenas conhecer o Evangelho do Mestre, mas sim colocá-lo em prática todos os dias.

A verdadeira coragem não está em vencer o inimigo, mas sim em aprender a perdoar. Não é buscar apontar os erros alheios, mas sim reconhecer os próprios enganos e, em vez de juiz, se tornar um irmão.

A verdadeira coragem não é proclamar belos versos, mas sim vivê-los intensamente, praticando o que se diz.

A verdadeira coragem não é chegar às estrelas, mas se tornar um farol a iluminar o caminho de quem padece. Não é colecionar talentos, mas sim usá-los em prol da fraternidade que o Mestre tanto exemplificou em Sua vida.

A verdadeira coragem não está em assumir tarefas, mas sim em continuá-las, mesmo diante das adversidades que chegarão. Não é sair em busca do amor pelos caminhos que trilharmos, mas sim encontrá-lo dentro de nós e passar a semeá-lo por onde andarmos.

A verdadeira coragem não é ocultar um medo, mas sim ter a sinceridade de assumi-lo e buscar o amparo da fé. Não é desbravar novos horizontes, mas ter a sensibilidade de perceber quem está ao seu lado e clama por ajuda.

A verdadeira coragem não é almejar se tornar um ser iluminado e de destaque, mas sim ser o humilde trabalhador que realiza com amor qualquer tarefa que o Pai lhe enviou, por mais simples que possa parecer. Não é derramar lágrimas, mas sim não deixar jamais que a fé se apague em nosso íntimo.

A verdadeira coragem não está em apenas buscar por respostas, mas sim deixar que a confiança no Pai nos oriente e nos mostre o caminho. É não apenas proclamar belas orações, mas simplesmente deixar que o nosso coração se expresse.

A verdadeira coragem não está em apenas buscar o Mestre, mas sim, em enxergá-lo em cada pessoa que cruzar o nosso caminho. Não está na obtenção de glórias mundanas, mas sim no esforço diário do aperfeiçoamento das potencialidades de nosso Espírito.

A verdadeira coragem está em se reconhecer filho do Criador e assumir o papel de cooperador em Sua seara. Não é apenas carregar a cruz, mas ter a plena certeza de que venceremos as provas e expiações e assim, continuar seguindo o caminho e mantendo a e resignação diante dos desígnios da Providência Divina.

Porque a verdadeira coragem aparece quando temos a plena confiança de que jamais estaremos desamparados e assim continuamos a nossa evolução.
Porque ainda há muito a ser realizado, mas com fé e coragem, chegaremos lá...


Para completar esta mensagem, me inspirei também na força da música da querida Daniela Mercury. Confira.

Sejamos todos abençoados e aptos a perceber o momento crucial de mudança que se encontra bem próximo à nossa frente...
Somos Todos UM!
Sergio STUM

Para comentar esse boletim especial, clique aqui.

Confira a seguir material em sintonia com este especial:

ARTIGOS
  • Autenticidade
  • Vida com Conteúdo
  • O que realmente importa...
  • Felicidade... simplesmente...
  • Música e Assistência Espiritual

  • Arriscar...
  • Tudo passa
  • O processo de autocura
  • Eu era feliz e não sabia!...
  • Desconstruir para construir
  • © Somos Todos UM - direitos reservados. Boletim Ano 9, Edição .
    Este boletim foi enviado para 4358219 assinantes.