A Dor como enfoque terapêutico... - Parte I

A Dor como enfoque terapêutico... - Parte I

Autor Lena Rodriguez - liberdadedeser@gmail.com

O problema da dor compreende dois aspectos: um, que se refere à dor propriamente dita, e outro, que está vinculado à percepção da dor e à reação emocional do indivíduo diante dessa sensação.

As pessoas tendem a ir em busca de algo que lhes dê alívio o mais rápido possível. Aqui me refiro à dor física; porém, ela não se apresenta somente neste nível; ela sempre coexiste com os sintomas mentais e emocionais que a acompanham e que a partir do enfoque dos sistemas florais, são os que serão analisados no momento da prescrição das essências.

De uma forma geral, não existem dois pacientes que relatem sobre sua dor da mesma maneira, mesmo quando clinicamente, ela tenha o mesmo significado, a mesma intensidade e igual localização física. Como as essências florais não atuam sobre os sintomas físicos, e não existe nenhuma específica para dor, o trabalho do terapeuta deve basear-se na observação e na compreensão dos sintomas emocionais e mentais que antecederam e desencadearam a dor física e nos sintomas que a acompanham.

A essência floral prescrita dependerá do paciente que está sendo tratado: cada caso é um caso, não há fórmulas preestabelecidas dentro dos sistemas florais; tenho observado dores muito semelhantes melhorarem com essências muito diferentes em alguns pacientes.

Em cada caso, deve-se individualizar a prescrição e considerar a dor como um sintoma; observar as emoções que despertou no paciente. Na medida em que houver a melhora emocional e mental do paciente, também haverá melhora da dor e dos sintomas físicos da doença.

Descreverei apenas algumas das essências do sistema floral de Bach que cobrem os aspectos emocionais mais freqüentes que acompanham o sintoma "dor física".

IMPATIENS
É uma essência que em geral atua sobre dores intensas que surgem de repente. Trata-se de dores fortes, de curta duração, como cólicas, cãibras e algumas nevralgias; espasmos, contrações musculares, dores na região cervical-lombar, e outras em que as contrações são pouco freqüentes. Segundo Edward Bach, Impatiens tem êxito onde a morfina fracassa.
Essas pessoas também demonstram, junto com a dor, os sintomas emocionais próprios do floral, visto que têm pressa de que sua doença seja logo aliviada. O fator desencadeante de sua dor costuma ser a pressa, a perfeição e tudo o que se relaciona com o que faz perder tempo. Às vezes é difícil fazer um exame físico nessas pessoas porque não ficam quietas quando sentem dor. Além disso, sua própria inquietação faz com que executem todo tipo de movimentos e contorções mesmo que isso não diminua nem um pouco o seu mal-estar.
Muitas vezes, a pressa fica evidente no seu modo de comer, que desencadeia sintomas de dor no duodeno e crises de hiperacidez. Além disso, essas pessoas sofrem de diarréias violentas com cólicas intensas. Nesses casos, devemos associar CHERRY PLUM.

HOLLY
Com freqüência o fator que desencadeia a dor pode ser um sentimento de cólera, de raiva ou de aborrecimento. Às vezes Holly também é útil para dores que surgem em pacientes que reprimem a raiva continuamente, mesmo que na manifestação da dor não se evidenciem os sintomas de Holly.
Noutras vezes o paciente muda de caráter por causa da dor: torna-se agressivo e fica de mau humor; nesse caso, também se recomenda o uso dessa essência floral.

HORNBEAM
A manifestação característica da dor desses pacientes é que ela se manifesta quando eles estão em repouso e se intensifica quando começam a se movimentar. Por isso eles acreditam que não podem ficar em pé ou andar por causa da dor.
No entanto, quando conseguem faze-lo, a dor diminui ou desaparece totalmente. Isso é muito comum com pacientes reumáticos, nos quais é característica a rigidez mental da artrite reumatóide, sintoma para o qual essa essência é de uma ajuda fundamental.

CHERRY PLUM
Os pacientes que precisam dessa essência, em geral, perdem facilmente o controle de seus atos; mordem, insultam, agridem, batem, se debatem e, às vezes, por serem tão fortes e intensas as dores, chegam a desmaiar. Aplica-se Cherry Plum nas nevralgias faciais e do trigêmeo. Nas crises agudas de dor, o paciente chega a pensar em suicídio como forma de acabar com o sofrimento.
Este floral também é muito eficaz no trabalho de parto e na hora do nascimento, momento em que algumas mulheres se descontrolam e não colaboram com o médico obstetra para o nascimento do bebê.

MIMULUS
É muito útil nas dores provocadas por movimentos; quando o paciente não quer se mexer com medo que surja a dor, ou não quer que o médico examine, por exemplo, o membro enfermo pela mesma razão.
É usado para dores artríticas e na recuperação de fraturas ou nos pós-operatórios, quando o paciente não ajuda em sua recuperação por medo da dor, retraindo-se.

CRAB APPLE
Para pacientes que não demonstram dor e agüentam até o último minuto por vergonha, ou porque temem fazer um papelão, mortificando e condenando-se a si próprios. Às vezes também sentem nojo ou repugnância da doença que estão sofrendo e que provoca a dor.

ELM
É bastante indicado para os pacientes em que a dor é tão intolerável e intensa que os perturba, não os deixando pensar, nem agir. Eles não perdem o controle, como no caso do Cherry Plum, mas ficam com a dor acreditando que esta os abateu e que não podem lutar contra ela. É muito útil em casos de dor aguda de dentes, nos ataques de ciática e nas contrações do pescoço que se mantém durante dias e que vão esgotando a resistência psíquica do paciente.
Associado a CHERRY PLUMA e a IMPATIENS é muito usado na dor de pacientes com câncer, no pós-operatório e nas cólicas renais, pois restabelece as forças para a luta.

BEECH
O estado negativo coberto por este floral está ligado ao ofuscamento, à dureza e à intolerância; portanto, todas as situações que o paciente não pode tolerar nem aceitar nos outros podem servir de fator desencadeante da dor, que também será intolerável. Mesmo que não seja muito forte, exigirá imperativamente que a aliviem. Em geral, essas dores se agravam com os ruídos, com a luz e, por certo, com o consolo.
Também é útil no bruxismo (espasmos dos músculos da mastigação e no ranger os dentes em geral durante o sono). Nesses casos, associa-se a ROCK WATER.


Lena Rodriguez

Texto revisado por Cris





Compartilhe
   

Autor: Lena Rodriguez   
Lena Rodriguez - Terapeuta Multidisciplinar - Terapia Floral On Line - e-Terapia: www.cuidebemdevoce.com
E-mail: liberdadedeser@gmail.com
Visite o Site do autor e leia mais artigos.

Publicado em 13/07/2007




Acessar seu Clube STUM
Faça
seu login


© Copyright 2000-2019 SOMOS TODOS UM - O conteúdo desta página é de exclusiva responsabilidade do Participante do Clube. O Stum não se responsabiliza por quaisquer prestações de serviços oferecidos pelos associados do Clube, conforme termo de uso STUM.