Tratamentos Energéticos e Psicoterapia

Tratamentos Energéticos e Psicoterapia
Autor João Carvalho Neto - joaoneto@joaocarvalho.com.br
Facebook   E-mail   Whatsapp


Vivemos momentos muito importantes no âmbito da saúde mental, caracterizando não apenas uma enorme demanda decorrente dos transtornos psicológicos que se multiplicam e potencializam em nossa sociedade tão conturbada, mas também demonstrando uma maior aceitação e familiaridade com os procedimentos psicoterápicos que, até então, eram vistos com muito preconceito, como “coisa de malucos...”.
Da minha parte, acredito mesmo que o século XXI será marcado por um avanço cada vez maior dessa área da saúde humana, e vai fazer pelo bem-estar do homem como individualidade e da humanidade, enquanto coletividade, muito mais do que as próprias religiões já fizeram, no papel que lhes coube como censora dos instintos mais primitivos da animalidade que ainda trazemos.
Já dizia o sábio da antiguidade “Homem conhece-te a ti mesmo” como forma de ampliar sua consciência e habilidade para lidar com a vida e os inter-relacionamentos, e é isso que as diversas linhas terapêuticas da área mental fazem. Contudo, dentro dessa diversidade, há que se salientar a maior propriedade de umas sobre as outras, e a necessidade do uso concomitante em inúmeras situações, e sobre isso é que escrevo este texto.
Pacientes que chegam ao consultório à procura de tratamento para sintomas ou padrões de comportamento patológicos costumam estar tentando soluções imediatistas, aliás, uma tendência das ideologias modernas: suprimir a dor rapidamente para voltar à situação de gozo. Mas esses estados não foram construídos de um dia para o outro, sendo, quase sempre, fruto de histórias remotas que precisam de uma releitura e da elaboração dos fatos para uma melhor erradicação. E, mesmo assim, mesmo modificando-se a forma como as situações traumáticas foram interpretadas, é comum que sintomas permaneçam sem que a causa originária ainda exista.
Por que isso acontece? Pelo fato de que a mente é o órgão psíquico gerador das interpretações traumáticas que ficaram registradas, mas os caminhos que essas energias cursaram para se manifestarem no cotidiano da vida de cada pessoa são estruturas energéticas que acabam por se viciar, mantendo, pela repetição, as mesmas linhas de comportamentos. É como se nossa mente fosse um reservatório de água que escoa por grosa e longa tubulação. Quando o reservatório se contamina com sujeiras faz-se necessário realizar a devida higienização do local, mas os canos por onde a água suja passava também se contaminaram e, mesmo com o reservatório limpo, a água que por eles passar acaba também sendo comprometida.
Dessa forma, nossa mente é o órgão perceptor, elaborador e emissor de energias mentais, mas elas chegam como manifestação para a realidade onde nos inserimos através de estruturas energéticas diversas que fazem adaptação das pulsões psíquicas mentais – multidimensionais – em estímulos físicos, neuronais, que marcarão o comportamento enquanto ação.
Podemos dizer que toda forma de psicoterapia, por mais eficiente que possa ser, necessita ser acompanhada de alguma estratégia terapêutica energética capaz de trabalhar as tendências psíquicas que circularam na psicosfera do indivíduo durante o estado mental patológico. Da minha parte, dentro do formato em que construí minha proposta de trabalho no que chamo Psicanálise Transpessoal, tenho na Terapia Floral uma forte aliada nos processos de tratamento dos pacientes, associando ao setting terapêutico do trabalho com a palavra, as essências florais que limpam, corrigem e vitalizam as estruturas energéticas comprometidas. Claro que os florais, apesar da excelência dos resultados, não são a única forma de lidar com a situação. Acupuntura, Homeopatia, Reiki, Fluidoterapia e outros, também são de grande utilidade, cabendo sempre ao paciente juntamente com seu terapeuta encontrar a melhor maneira de buscar esse apoio, sem negligenciar sua importância e a concomitância, para se evitar a reviciação das partes tratadas com as que permaneceram contaminadas. Com isso, nessa correspondência paralela do suporte que cada uma pode oferecer, teremos resultados cada vez mais positivos para a saúde mental o ser humano.

Texto Revisado


Gostou?    Sim    Não   

starstarstarstarstar Avaliação: 5 | Votos: 1



Compartilhe Facebook   E-mail   Whatsapp
foto-autor
Conteúdo desenvolvido por: João Carvalho Neto   
Psicanalista, Psicopedagogo, Terapeuta Floral, Terapeuta Regressivo, Astrólogo, Mestre em Psicanálise, autor da tese “Fatores que influenciam a aprendizagem antes da concepção”, autor da tese “Estruturação palingenésica das neuroses”, do Modelo Teórico para Psicanálise Transpessoal, dos livros “Psicanálise da alma” e “Casos de um divã transpessoal"
E-mail: joaoneto@joaocarvalho.com.br | Mais artigos.

Saiba mais sobre você!
Descubra sobre Autoconhecimento clicando aqui.