O Sopro de Deus - Introdução Parte II

O Sopro de Deus - Introdução Parte II

Autor Florencio Antonio Lopes - florencio.al@gmail.com

Este livro “O Sopro de Deus”, foi baseado nos meus estudos espirituais, onde recebi o apoio dos meus queridos “Irmãos Espirituais”, no qual tenho um grande amor a esta maravilhosa corrente espiritual que me acompanha e protege a mim, na minha vida material.

Agora, eu entrego ao público esta obra que eu tenho orgulho em poder passar neste estudo uma pequena parte do início do mundo, para que você leitor, tenha mais um conhecimento sobre a criação do nosso planeta Terra.

Tenho certeza que este livro irá trazer uma “grande abertura” e que será muito acrescido em seus conhecimentos. (Florêncio Antonio Lopes, pgs. 19 a 22)

Voltando à formação dos Planetas, há mais de quarenta anos, eu estava dando uma aula sobre este tema e os alunos riram, faziam gracinhas e duvidavam do que eu falava, principalmente no dia em eu falei que todos os seres humanos racionais e irracionais e os insetos etc., são filhos dos Meteoros.

Retornando às pedrinhas, elas são chamadas de micro-meteoros e que ainda existe no espaço, como inventoras e criadoras do vento, das brisas e dos vendavais, continuaram o seu trabalho incansável de bater umas nas outras e foram grudando naquela que era considerada o lixo do universo, pela sua gosma, estas também começaram a se mexer de tantas batidas que levaram das micro pedrinhas, e as demais foram batendo-se umas nas outras, muitas delas batendo nas rochas duras e foram ficando presas, até que a rocha dura e enorme, depois de tantas batidas começou a se mexer.

Assim, o vento foi criando um vendaval, as rochas duras começaram a se mexer e batendo nas outras, soltando faíscas até atingir aquela rocha mole de cheiro forte, elas eram inflamáveis pegando fogo e uma rocha inflamável foi passando para outra dando explosões e, estas lavas de fogo voaram para todo o Universo.

Se mentalizar, irá observar que quadro dantesco e maravilhoso que o mundo saiu das trevas e passou para a claridade, só que dava a impressão que o Universo estava pegando fogo e as explosões iam acontecendo.

Está aí outra formação, milhões e milhões de sóis se formaram e ainda tem nos dias de hoje trilhões e trilhões dessas pedras líquidas que estão intactas, na verdade ainda teremos mais sóis no universo, e essa batida de pedras continuaram formando planetas, pelo seu peso foram abaixando e ficando plano abaixo do universo separada por uma força de energia que foi formada pelo vento a serem conhecidas pela força cósmica de uma forma que separa a violência e velocidade dos Meteoros desses planetas abaixo do cosmo, essas pedras que hoje são conhecidas por Meteoros.

No seu movimento para a criação do Universo, “Deus” a “Brisa”, em seu sopro começou a refrigerar as rochas que estavam paradas no espaço e foi-se envolvendo nelas e se prendia no meio daquelas rochas duras e enormes, cada uma pesava mais de mil toneladas, eram de tamanhos estrondosos. E a “Brisa” suave “Deus”, continuou por milênios a tocar e envolver àquelas rochas que estavam no espaço e de tanto receberem a “Brisa” foram mudando de temperatura e passados milênios elas transpiravam e começou a formar uma camada fina e brilhante nas mesmas, era como se fosse um suor delas.

Estas camadas se tornaram muito geladas e por este motivo a “Brisa” passou a alcançar uma maior distância passando a refrigerar muitos outros Meteoros e assim passou a formar as nuvens que acabaram se deslocando das rochas que passaram a flutuar na área cósmica até que essa “Brisa” acabou alcançando os cascalhos e as pedras de menores tamanhos do Cosmo, que passaram a se moverem até chegarem ao ponto de chocaram-se com outros cascalhos chamados de meteoritos.

E assim onde era um silêncio total passou a ter um barulho, porque os meteoritos batiam nas grandes rochas e quanto mais se chocavam, voltavam com uma velocidade incrível.

Já o Cosmo, não era mais silencioso, com os meteoritos batendo cada vez com mais força, faziam mexer mais e mais meteoritos, já eram bilhões, uns batendo nos outros e muitos batendo nas grandes rochas e com tanta força que formavam faíscas. [continua]

Nosso endereço: Amor Entre os Povos, Rua São José, 247 – centro – Ribeirão Preto - SP, fone: 16 3625-0574.

Abraços

Florêncio Antonio Lopes
Mestre Espiritualista
Site: link
florencio.al@gmail.com



Obrigado por votar

Gostou deste Artigo?   Sim   Não   
Avaliação: 5 | Votos: 1

Compartilhe
Facebook   E-mail   Whatsapp

Autor: Florencio Antonio Lopes   
FLORÊNCIO ANTONIO LOPES Terapeuta Espiritualista graduado "Senhor-Mestre" Ribeirão Preto - SP
E-mail: florencio.al@gmail.com
Visite o Site do autor e leia mais artigos.

Atualizado em 19/09/2019



© Copyright 2000-2019 ClubeSTUM - O conteúdo desta página é de exclusiva responsabilidade do Participante do Clube. O site não se responsabiliza por quaisquer prestações de serviços oferecidos pelos associados do Clube, conforme termo de uso.