Aspectos Astrológicos do momento e Coronavírus

Aspectos Astrológicos do momento e Coronavírus Autor Fabrizio Ranzolin - [email protected]
Facebook   E-mail   Whatsapp


Atendendo a perguntas sobre essa questão, conforme escrevi desde setembro, outubro e dezembro (ver artigos anteriores) com os movimentos de Saturno, Plutão e Júpiter, respectivamente, e sua conjunção em janeiro, estamos atravessando um momento delicado. Ao longo de 2020 finaliza um ciclo e se inicia um outro. Uma conjunção é como uma lua nova, encerra uma fase com a minguante, para que possa iniciar outra a partir da lua nova, mas, no 2020, dentro de um período maior, e importante neste século.

Assim, desde a acumulação dos planetas lentos, Plutão, Saturno e Júpiter, desde dezembro, somando-se a Urano em Touro (todos dentro de 90 graus do zodíaco), ocorre um momento agudo de transformações, mudanças importantes, e que tendem a ser difíceis (escrevi amplamente sobre estes planetas ao longo de 2019, textos ao dispor no meu site).

Fica claramente evidenciado o complicado ciclo atual pela estatística do índice cíclico (índice concentração planetária), por Gouchon na década de 40, aprimorado por Barbault, na década de 60. É um fato estatístico de que 2020 marca o início de desafios dentro deste século, o início do maior, trazendo muitas crises e problemas.

Por esta, e outras razões, não concordo com a teoria astrológica do “planeta do ano”, em 2020 ano do Sol, simplesmente forçado e superficial demais, não se sustenta, especialmente se usarmos os demais dados disponíveis sobre os movimentos planetários e compararmos com a realidade neste momento.

Nem finalizamos o trimestre e já tivemos acirramento dos conflitos internacionais com risco real de guerra entre potências e uma epidemia mundial que já afetou mais de 20 países, a COVID-19, que começa a afetar a economia global. Para comparação, outras datas anteriores indicadas pelo índice foram também a crise econômica de 2008/2010, a crise de 1997/1999, e de 1983/82 (82 primeiro vírus informática, 83 descoberto primeiro caso Aids, também da doença da vaca louca, enquanto mais de 40 guerras assolavam o planeta nesta época).

Nestes anos,  a economia, a cultura e a política passam por crises e limites. Restrições em todos os níveis. Também o aumento do fanatismo, do extremismo e das radicalizações. É o que estamos vivendo pura e simplesmente.

Assim, não adianta tapar o sol com a peneira, com portais maravilhosos de calendário ou com a quinta dimensão. Estamos na mesma dimensão de percepção compartilhada, aqui agora, e não dá para ser feliz enquanto crianças morrem bombardeadas e de fome, enquanto a natureza é cruelmente explorada por ganância, isso só para começar.

A prova está aí, calor sufocante, mortos nas inundações, quedas de barragens, e vai piorar, não somente é o que demonstra a realidade, mas as pesquisas de renomados cientistas munidos de provas baseadas em dados concretos. É a febre da Terra (aquecimento global), seguida do processo inflamatório (fluídos= tormentas, enchentes), a Terra tenta se curar de um vírus chamado ser humano. Teoria de Gaia (James Lovelock), e realidade dos nativos indígenas milenares de todo o globo, mãe Terra.

Mas se incomoda, finja que isso não existe, que é coisa de neuróticos, critique e abafe as vozes que estão tentando avisar a tempo, como da Greta, e siga com sua vida, enquanto puder. Pelo menos enquanto não cai na sua cabeça, pois está caindo (afogando e matando) na de muitos, aqui, em grandes cidades brasileiras.

Sobre o Coronavírus, que teve início nos primeiros dias de dezembro: Júpiter ingressou em Capricórnio no início de dezembro (signo de queda de Júpiter, um planeta que representa os movimentos do coletivo inter-relacionado = social). Tivemos a conjunção de Saturno e Plutão em 12 de janeiro passado, lá por 20 de janeiro o comitê da OMS começou a olhar para o caso com atenção, até estabelecer o status de gravidade epidêmica ainda em janeiro. Até o momento são mais de milhares de mortos e dezenas de milhares de contaminados.

Origem do covid19: um mercado de animais vivos e frutos do mar em Wuhan, possivelmente através de pangolins, cobras e morcegos. Se não cair a ficha, não cairá nunca mais, espero errar. Até quando o ser humano seguirá explorando, destruindo matando e consumindo outros seres de forma indiscriminada? Sejam animais, montanhas ou florestas, iremos perecer rapidamente se não mudarmos a forma como vivemos neste planeta. Que estamos rumo da extinção é um fato, seguimos alegremente por um caminho de gráfico de bactéria (consumo total de recursos e colapso do organismo), a questão é quando. Não somos donos da Terra, somos seus filhos e guardiões, parte de uma família global junto a outros seres não humanos. Cada um colabora com sua parte para a realidade atual, com mais de 7 bilhões de pessoas, e aqui estamos.

Mas se isso incomoda, esqueça, siga sua vida vivendo como sempre, critique os outros países, as outras pessoas. Mas aproveite, não terá muito tempo, e se tiver, seu filho vai herdar um planeta muito ruim, e seu neto sobreviverá em um planeta insuportável.

Se não sabe o que fazer, descubra, se esforce. Corra atrás, mude seus hábitos de consumo, mude sua vida, mude suas prioridades, questione sua ambição e seus desejos, enxergue sua ganância, pois quem paga o preço do querer e comprar sem limites é o planeta. Garanto de todo coração que pela vida sagrada deste lindo planeta, vale muito a pena mudar. Mas há que mudar de forma prática, efetiva, completa, inteira; não adianta só mudar na teoria. Saiba que tenho fé em você...

Sobre o Coronavírus, agora com Mercúrio retrógrado começou a reduzir a velocidade de infecção, e se seguir esse fluxo, tende a entrar em uma faixa de segurança até o fim de março início de abril (especialmente Mercúrio em Aquário dia 6 março para frente), quando Mercúrio retorna ao ponto zero da retrogradação. É pouco tempo, mas vibraremos para que parem as mortes e os infectados.

Ainda há fé no mundo quando fixo nas luzes distantes no horizonte, mesmo que, muitas vezes, com lágrimas nos olhos...

Bons ventos...
Texto Revisado


Gostou deste Artigo?    Sim    Não   

starstarstarstarstar Avaliação: 5 | Votos: 79

Compartilhe Facebook   E-mail   Whatsapp

foto-autor
Sobre o Autor: Fabrizio Ranzolin   
Fabrizio Ranzolin é astrólogo, escritor e professor em cursos holísticos alternativos. Membro CNA Astrologia do Brasil. Ativista ambiental na preservação da natureza.
E-mail: [email protected]
Visite o Site do autor e leia mais artigos.