A segunda onda

A segunda onda
Autor Flávio Bastos - flavio01bastos@gmail.com
Facebook   E-mail   Whatsapp


Em sua obra "Psicanálise dos Sonhos", Sigmund Freud deixou para a posteridade a essência de seus estudos sobre os significados da atividade onírica como sendo uma das formas de acessar o inconsciente na realização de um desejo. Portanto, há 120 anos, desde o lançamento do livro, o universo misterioso e rico dos sonhos pode revelar mais sobre nós do que podemos imaginar, sendo visto e interpretado como características de nosso inconsciente.

No entanto, estudos mais recentes e experiências no âmbito das psicoterapias, que abordam em suas metodologias a investigação regressiva de memória, sinalizaram que o sonho pode representar uma informação vinda de um passado mais distante, ou seja, da memória que avança a barreira da condição intrauterina e sintoniza com fatos ou acontecimentos de vidas passadas.

Na minha experiência como psicoterapeuta interdimensional, me deparei com vários casos em que sonhos repetidos se revelavam em uma ou mais sessões regressivas de memória como um fato traumático da infância ou de outra(s) vida(s), cuja sintonia, além de provocar dor psíquica era combustível de um quadro depressivo.

A atividade onírica também tem relação com a mediunidade, compreendida como um canal de contato entre as naturezas física e espiritual do homem. Sensibilidade suprassensorial, que embora alguns indivíduos tenham mais apurada do que outros, todos, indistintamente, nascem com essa faculdade que é inerente à natureza humana.

Sob o ponto de vista mediúnico, os sonhos podem representar informações que emergem do inconsciente profundo ligado a vivências pretéritas, mensagens premonitórias ou mensagens de um nível espiritual superior ao nosso, que devem ser repassadas a um coletivo de pessoas ou à humanidade em geral.

Atualmente, muitas mensagens estão sendo recebidas por canalizadores na Terra. Informações que dizem respeito à fase de transição de padrão vibratório e suas consequências para o habitante do planeta. Esse movimento, invisível aos olhos humanos, tem uma íntima ligação com a pandemia do Covid-19 que transtorna o cotidiano das nações e provoca uma quebra no paradigma comportamental do mundo contemporâneo.

Considerando-se o que foi abordado até aqui, passo ao relato de um sonho recente, que pela intensidade e significado caracteriza-se como uma mensagem a ser divulgada, associando-se a outras de origens diferentes que circulam pela internet e que têm um objetivo em comum: divulgar o alerta sobre os verdadeiros motivos da existência do coronavírus entre nós. É o que veremos a seguir.

Encontrava-me juntamente com outros banhistas me divertindo em uma praia tropical. Estava com água pela cintura e o mar se apresentava calmo. Repentinamente, à minha frente e a uma considerável distância. forma-se uma gigantesca onda que cresce e se movimenta na direção da faixa de areia. O pânico é instalado, mas à medida que a enorme onda em largura e altura se movimenta em direção à costa, ela vai decrescendo rapidamente e minimizando o que seria uma tragédia de graves proporções. Ufa, alívio geral para os que se encontravam dentro e fora do mar!

Ao interpretarmos o sonho através do ponto de vista da Psicoterapia Interdimensional, concluímos que a onda, na verdade, é uma "segunda onda" que poderá materializar-se caso o homem não assimile o recado da "primeira onda", que é a pandemia do Covid-19 entre nós. E, se isso ocorrer, a segunda onda será mais devastadora no seu objetivo final.
Num mundo habitado em fase de irreversíveis transformações invisíveis ao olhar humano, chegamos a um ponto crucial: ou mudamos para melhor ou nos preparamos para o pior. A fase à qual vivenciamos não permitirá mais "meios termos" ou enganações. Chegamos ao limite, à saturação de uma energia densa, deletéria, que vem contaminando corações e mentes em benefício da ganância e do egoísmo de uma minoria da população terrestre.

Recentemente, ressacas violentas jamais vistas em certos locais, assolaram o litoral brasileiro, confirmando previsões científicas de que o derretimento das calotas polares provocadas pelo desequilíbrio climático, acionaria a lenta invasão do oceano Atlântico às regiões costeiras.

Há poucos dias, nas camadas superiores da atmosfera, um ruído fez-se ouvir em diversos países. Fenômeno atribuído por cientistas, à energia cósmica que vaza pelos buracos na camada de ozônio, provocados pela poluição humana.

No entanto, no âmbito da população mundial, envolvida no drama do Covid-19, que não faz distinção entre nação rica ou pobre, se destacam muitos indivíduos egocêntricos, desequilibrados e alheios à realidade pandêmica que ameaça a população da Terra. Fato, que inevitavelmente levanta uma questão: assimilaremos o recado da primeira onda?

A longa mensagem "Carta aos navegantes", recebida em um centro espírita do Rio Grande do Sul, nos dá uma ideia do que abordamos nesse artigo. É o que veremos a seguir em forma resumida, a partir do que é considerado pela mensagem, o término da primeira onda.

"O planeta ficará em observação por cento e oitenta dias. Caso toda a consciência adquirida não resulte em mudanças comportamentais práticas, uma segunda onda pandêmica, desta vez mais rígida, está sendo preparada para justamente fixar todo o aprendizado. Mas estamos confiantes que não será necessário, já que muitos gestos de amor, entendimento e reflexão estão sendo notados. A empáfia humana que outrora imperava, está sendo aos poucos dissipada e esses bons sentimentos explicam a última questão que gostaria de elucidar nessa mensagem: a forma escolhida foi uma pandemia e não uma guerra, justamente para não gerar sentimentos de raiva, divisão ou rancor e o fato da contaminação ser global e não pontual, foi justamente para romper qualquer sentimento de credo, etnia, posição social ou nacionalidade, mostrando a igualdade de todos.

Caso você tenha recebido essa carta e lido até aqui, não é somente por questões elucidativas, mas sim porque você está sendo convocado. Convocado pelo amor para nos ajudar porque precisamos da vibração dos encarnados para emanar toda a energia de auxílio, elucidação e cura que temos em nosso plano.

Você é importante para esse momento. Tudo o que pedimos é que uma vez por dia, recolha-se a um local silencioso, pode ser em sua cama e conecte conosco por pensamento. Lembre-se desta carta e apenas mentalize que você está apto para vibrar e doar a energia necessária para todos que precisam. Fazendo isso você estará auxiliando todo o planeta e também fortalecendo todas as suas reservas espirituais. Muito obrigado pela leitura, saibam que não estão sozinhos. Sou apenas um de milhares de mentores que se encontram com vocês nessa jornada. Fiquem com Deus".
Texto Revisado
 


Gostou?    Sim    Não   

starstarstarstarstar Avaliação: 5 | Votos: 54



Compartilhe Facebook   E-mail   Whatsapp
foto-autor
Conteúdo desenvolvido por: Flávio Bastos   
Flavio Bastos é criador intuitivo da Psicoterapia Interdimensional (PI) e psicanalista clínico. Outros cursos: Terapia Regressiva Evolutiva (TRE), Psicoterapia Reencarnacionista e Terapia de Regressão, Capacitação em Dependência Química, Hipnose e Auto-hipnose, e Dimensão Espiritual na Psicologia e Psicoterapia.
E-mail: flavio01bastos@gmail.com | Mais artigos.

Saiba mais sobre você!
Descubra sobre Autoconhecimento clicando aqui.