Você está mais para bola de ferro ou balão de gás?

Você está mais para bola de ferro ou balão de gás? Autor Íris Regina Fernandes Poffo - [email protected]
Facebook   E-mail   Whatsapp


“Tal como o homem é antes da morte, será depois da morte, apenas sem seu corpo físico”, escreveu Peter Richelieu, no livro Viagem de uma Alma (1972).

Depois que a pessoa falecer, e estiver no Plano Espiritual, ela continuará apresentando as mesmas qualidades e os mesmos defeitos que tinha no Planto Terreno. Se eram divertidas ou enfezadas, extrovertidas ou introvertidas, altruístas ou egoístas, caridosas ou vingativas, otimistas ou pessimistas, continuarão a ser assim. Não viraremos anjos, nem santos do lado de lá, pois isto não somos do lado de cá. Mas, sempre é possível melhorar, ou piorar, depende dos objetivos de vida de cada um.

Nosso destino, no plano espiritual, depende de quem fomos, do que fizemos, do que não fizemos, ou do bem que deixamos de fazer. Boas ou más ações geram um campo energético, de densidades diferentes ao nosso redor. Assim, seremos atraídos para lugares diferentes, de acordo com o nosso padrão vibratório.

Vamos usar o exemplo comparativo entre uma bexiga das festas de aniversário, ou balão de gás e uma pesada bola de ferro. Se jogarmos as duas, ao mesmo tempo para cima, a bexiga tenderá a subir mais alto por ser mais leve, e a bola de ferro tenderá a cair, atraída pela gravidade, por ser mais pesada.

As qualidades e virtudes tais como compreensão, compaixão, bom humor, perdão e benevolência tornam a alma iluminada e mais leve, como as bexigas! A boa relação com a natureza e com os animais, o desapego de bens materiais, o afrouxamento dos laços de ternura com familiares que ficaram, entre outros fatores, facilitam a transição para lugares, onde estão pessoas que vibram na mesma frequência sutil, depois de desencarnadas, com predominância de ar puro, ceú azul e sol brilhante durante os dias, e noites lindamente estreladas.

Pessoas orgulhosas e autoritárias, acostumadas a mandar, mesmo tendo sido boas, têm certa dificuldade em se adaptar no plano espiritual, após a morte repentina que levou ao seu desencarne, pela dificuldade na aceitação. Mas, com o amparo dos familiares e amigos espirituais, logo ficarão bem, desde que queiram colaborar, é claro!

A ausência de atitudes positivas torna o campo energético destas pessoas mais denso. Corpos pesados são os que acumulam energias que escurecem o corpo espiritual, por exemplo por cultivar, excessivamente, sentimentos de culpas e baixa estima, mágoas e ressentimentos; desejos de vingança, ódio, avareza, raiva, inveja, orgulho, egoísmo, pessimismo etc.. E o pior, é que gostam de ser assim, e demoram mais para melhorar. Ficarão em locais sombrios e com paisagens feias.

E ainda há o meio termo, os que reconhecem que têm defeitos e que procuram aprender e servir de alguma forma. Não vivem apenas para trabalhar, comer, fazer sexo e dormir. Procuram dar um sentido mais espiritual e saudável para suas vidas cotidianas. Dedicam seu tempo livre para trabalhos assistenciais, às pessoas necessitadas, à preservação da natureza e animais carentes. Não são tão pesados como a bola de ferro, nem tão leves como a bexiga. Poderíamos fazer uma comparação com as bolas de vôlei e de basquete.

Sejamos instrumentos do bem e da paz, do amor e da luz, onde estivermos, com quem estivermos, todo dia a cada dia!

Íris Fernandes Poffo (bióloga e terapeuta)
Texto Revisado


Gostou deste Artigo?    Sim    Não   

starstarstarstarstar Avaliação: 5 | Votos: 5

Compartilhe Facebook   E-mail   Whatsapp

Sobre o Autor: Íris Regina Fernandes Poffo   
Bióloga, espiritualista, terapeuta holística e escritora.
E-mail: [email protected]
Visite o Site do autor e leia mais artigos.

Atualizado em 31/07/2020



© Copyright 2020 ClubeSTUM - O conteúdo desta página é de exclusiva responsabilidade do Participante do Clube. O site não se responsabiliza por quaisquer prestações de serviços oferecidos pelos associados do Clube, conforme termo de uso.