Os impactos nocivos da insegurança

Os impactos nocivos da insegurança
Autor Adriana Mantana - adrianagcl@gmail.com
Facebook   E-mail   Whatsapp


A insegurança é um sentimento que gera profundo desconforto em quem tem este tipo de sensação de forma acentuada e presente em sua vida.

Traz transtornos físicos, emocionais e psicológicos. Em alguns casos, acaba impactando toda a família do portador. Seu efeito pode ser devastador, principalmente quando ela se associa à ansiedade e ao medo, isto infelizmente potencializa ainda mais o seu efeito nocivo.

A pessoa começa a ver coisas ilusórias (paranoia), mas que para ela são coisas reais. Há um aumento considerável no nervosismo. A pessoa também poderá perder o foco e a concentração com mais facilidade, justamente por não se sentir totalmente segura naquilo que está fazendo.

Pode impactar a vida profissional, financeira, familiar, saúde e a vida afetiva.

Como este padrão de insegurança pode ter sido formado?

Vou trazer algumas informações aqui neste artigo, baseado em minhas pesquisas acadêmicas, estudos de casos e atendimento individuais.

Hoje existe um vasto estudo sobre o poder da influência das emoções durante a gestação e a primeira infância do indivíduo. Ou seja, a gestação sem dúvida exerce um grande peso em se tratando da insegurança, ansiedade e medo (patológico) deste futuro adulto. Além da gestação, o parto também exerce grande impacto, dependendo da forma que ele foi conduzido, um trauma pode ter sido gerado. Configurando-se o trauma de nascimento, que conseguimos trabalhar nas sessões de renascimento, em que a pessoa revive o momento do seu parto, o que promove a limpeza do trauma no avanço das sessões.

As emoções da mãe influenciam muito como dito acima, a pessoa ter ou não uma propensão maior para se tornar uma pessoa insegura, quando estiver adulta.

Nas constelações familiares, notamos que a pessoa quando se sente excluída, ou apartada da mãe, apresenta baixa autoconfiança, insegurança e baixa autoestima.

Bert Hellinger ao abordar a questão da importância da Mãe, afirma: a mãe é a cara do sucesso. Quem não consegue se alegrar com a mãe, não conseguirá se alegrar com a vida.

Costumo dizer que o ser humano é como uma colcha de retalhos, no decorrer da vida, vamos deixando fragmentos em nossas trocas relacionais. E conforme vamos avançando na vida, se não tivermos as raízes bem estruturadas com nossas relações primordiais, tendemos a machucados extremos.

Em outras palavras ter uma relação bem resolvida com os pais é determinante para que exista qualidade de vida.

O que percebo na imensa maioria dos casos é que embora a pessoa pense que tem uma relação bem resolvida com os pais, isto na prática não é verdade. Pois os resultados que ela obtém na vida denunciam a falta de resolução nesta relação primordial.

Mesmo que ela almoce todos os dias com eles, percebo que ainda sim, existe uma inquietação profunda, um verdadeiro caldeirão interno com críticas, queixas e mágoas, fervilhando dentro da pessoa.

Para isto não tem atalho, a base da insegurança mora no passado, seja na relação com os pais, principalmente com a Mãe, durante a gestação ou primeira infância. Quem deseja acabar com a insegurança, precisa necessariamente olhar para o passado, para ter um futuro mais promissor.

O preço que normalmente a pessoa paga por ter insegurança, vai desde uma relação mal-sucedida até uma promoção no trabalho que não chega.

Fora que a pessoa que tem este tipo de sentimento contínuo não consegue se posicionar, falar em público e dizer não. Pois não tem raízes fundamentais para a sua própria sustentação.

Além disso, a autoestima fica extremamente abalada, por conta da própria insegurança em si. Pensamentos recorrentes de autocrítica, autopunição e autocobrança, são relatados por minhas clientes durante o atendimento. E o sofrimento não preciso nem dizer que é lacerante.

Tudo isto são os prejuízos de uma vida inteira, isto quando ela ainda não somatiza. Na psicologia profunda, chamamos este processo de psicossomatização, que é a capacidade da mente, transformar aquilo que está represado (emoções nocivas) em doenças, que pode ser desde uma dor de cabeça até algo mais grave.

Portanto, existem vários impactos nocivos por conta da insegurança, que requer tratamento e acompanhamento. Basicamente, a pessoa precisa ver, elaborar e integrar as questões mal resolvidas. De acordo com cada caso existe uma intervenção terapêutica necessária, que pode ser desde uma constelação familiar, renascimento ou psicoterapia. Em alguns casos que já atendi, uma abordagem foi necessária, em outros houve necessidade de mais de uma.

Vou deixar abaixo alguns passos caso queira ir até a origem do problema e trabalhar na causa.

Gravei uma meditação para Acalmar a Mente e o Coração, no meu canal do YouTube, caso queira ouvir e fazer esta meditação guiada CLIQUE AQUI aproveite e se inscreva no canal vou adorar te ver por lá também.

Fiz sete exercícios terapêuticos, com começo, meio e fim para o alinhamento familiar, ele se chama Minha Mãe e eu, caso queira adquirir para praticar e se auto curar CLIQUE AQUI

Agora se prefere fazer uma Jornada com passo a passo e exercícios diários definidos, pode entrar no Desafio de se amar, nele além dos exercícios terapêuticos, você poderá tirar dúvidas comigo na área de membros. Caso sinta o chamado para participar CLIQUE AQUI

No entanto, se o seu caso está avançado, pode desejar agendar uma sessão de terapia comigo, caso queira dar este passo CLIQUE AQUI

Cuide-se com amor!

Grande abraço.

Instagram CLIQUE AQUI

Adriana Mantana

Texto Revisado


Gostou deste Artigo?    Sim    Não   

starstarstarstarstar Avaliação: 5 | Votos: 1

Compartilhe Facebook   E-mail   Whatsapp

foto-autor
Sobre o Autor: Adriana Mantana   
Bióloga, Terapeuta Integral, Consteladora, Renascedora, Terapeuta ThetaHealer®, Terapeuta de Barras de Access™, Floral de Bach, Radiestesista, Operadora de Mesa Quântica Radiônica, Cromoterapia, PNL, Mestre em Reiki Usui, Hooponopono, Cristaloterapeuta, Giver Deeksha, Terapeuta de Integração Quântica do Ser® e Ativista Quântica. CRTH 4103
E-mail: adrianagcl@gmail.com
Visite o Site do autor e leia mais artigos.