Problemas para ver o boletim? Acesse: https://www.somostodosum.com.br/boletim/familias.asp
ESPECIAL STUM: Famílias Espirituais

O filho completou seus 19 anos... Você bem sabe como é... parece que foi ontem que ele entrou em sua vida. O irmão mais velho convidou para festejar na casa dele, mais ampla e aparelhada... e a sensação para o encontro era muito boa, dava para quase ter certeza que iria ser algo bem legal...

Domingo, no Mercadão Central de São Paulo, pechinchando alegremente e procurando os ingredientes para a celebração: umas postas de bacalhau, azeitonas pretas, um azeite português e um queijo que pudemos experimentar antes de comprar. Mais um produto de Portugal: duas garrafas de vinho Calamares, um branco e um rosé, e metade da coisa estava resolvida... uma boa massa, alho, cebola e tomates nunca faltam em casa de italiano, como também os ingredientes para preparar um delicioso "tiramisú" sobremesa para ninguém botar defeito. Pensávamos em dez pessoas ao todo, com o grosso do time formado por colegas de classe do aniversariante.

Mas, como sempre acontece, mais uma vez -como do nada e em cima da hora-, algo conspirou e acabou fazendo com que todos os que tinham de estar lá comparecessem. E, com a cumplicidade de um pontual e-mail sobre negócios (Bendita Internet) imediatamente a lembrança do último precioso encontro levou a mais um convite e os Fernandos e Cia -não foi preciso esperar mais cinco anos-, lá estavam novamente trocando energias conosco, agregando naquele momento, também dois seres especiais que compartilham diariamente no parque Ibirapuera da "paixão noturna" pelo basquete...

Quase todo mundo, fora os meninos, ficou na cozinha ajudando, participando, trocando energia preciosa e aprendendo pequenos truques e detalhes que às vezes fazem a diferença na hora de apreciar os pratos à mesa. Tudo com simplicidade, cumplicidade, respeito e carinho. Ninguém se comunicava levantando o tom de voz ou querendo chamar a atenção sobre si. Pais e filhos em completa harmonia, beijos e abraços marcavam a cena, com todo mundo querendo servir o outro e oferecendo-se para fazer algo útil. Depois da sobremesa, ao colocar a conversa em dia, todos respeitavam a fala e a opinião do outro, sem interromper, algo não muito freqüente. A televisão não deu as caras na sala. Somente um DVD de virtuosos de guitarra e violão passava atraindo a atenção de quem gosta de música de verdade.
De repente, sem perceber; V. sabe como é quando tudo passa em divina ordem, alguém olhou para o relógio e avisou que eram quase duas horas, lembrando que todo mundo trabalhava (ou estudava) e logo mais devíamos voltar ao batente.

O que aconteceu nessa noite de tão especial? Aparentemente, para a maioria das pessoas, teria se tratado apenas de um evento comum, com bebidas e comidas absolutamente banais, triviais... até os vinhos, encontrados na prateleira de qualquer supermercado -e que nem foram consumidos-, acho que, além da "lei seca", não foi preciso bebê-los para cada um se abrir, confraternizar, ser ele próprio num ambiente propício e sereno...
Na verdade, parece mesmo que foi o encontro de seres afins, pertencentes, como me escreveu a Lidiane, a uma grande família espiritual, que prescinde de laços carnais, de relacionamentos sentimentais -estáveis ou passageiros- mas que age permanentemente, de forma não tridimensional, para realizar algum propósito que com certeza tem a ver com a Unidade e o Amor Incondicional.
Os encontros no físico não são obrigatórios, mas quando se dão, deixam a todos ainda mais motivados, energizados e conscientes de que nunca estamos sozinhos, desamparados, esquecidos. Nunca.
E a noite, curtíssima, foi muito bem dormida. Poucas horas de sono, mas a alma estava lavada, tinindo de novo; a alegria no coração preenchia cada célula do organismo e a leveza nos acompanhou e nos acompanha ainda durante o dia.

A verdadeira espiritualidade é também isso que coloquei acima. Encontrar as pessoas, olhar também nos olhos delas, sentir o calor da energia sendo trocada sutilmente, abraçar, confraternizar, celebrar o presente que é a vida e seu mistério, ainda fora do alcance de nossa mente racional, ma cuja beleza e magia podem ser apreciadas no silêncio, dentro de nosso templo, que fica bem no meio do peito, em nosso coração. Sim, nele temos a morada do Deus interior e dele partem infinitos cordões de energia que permanentemente nos conectam com aquilo que chamo frequentemente de "A Fonte". A Origem de tudo que existe, Amor imenso, infinito. Doação total, absoluta, eterna. Este Centro, ou Universo, nunca julga, separa, castiga. Não existe vibração de culpa ou de "pecado" na energia que é emanada, há somente Luz pura e um estímulo à necessária evolução que se processa pelo indispensável aprendizado.
E, para deixar sempre a alma zerada, nada como o Perdão ou, se desejar chamá-lo de outra forma: a cura garantida da mente, da alma e do corpo.

Creio que precisamos todos buscar, com mais consciência ainda, sintonizar estas frequências das esferas que estão e sempre estiveram à nossa volta. Não as encontramos nos lugares ruidosos, nos shopping centers, na mídia, na TV, ou viajando aos mais variados lugares. Será sempre impossível fugir de nossa alma que pede passagem, alimento e atenção. Não precisa fazer isso simplesmente para receber algum tipo de recompensa, de retorno... a viagem, a jornada em si é quase tudo, e vale cada instante vivido.

Vamos buscar nossa família espiritual? Por vezes, já a encontramos no físico e quando as duas famílias coincidem temos relacionamentos literalmente "divinos". Caso este não seja seu caso, poderá com facilidade lembrar das pessoas que já sabe, sente serem companheiras de missão. Dê um telefonema, mande um e-mail, um SMS, junte mais e mais irmãos e irmãs, marque um encontro... não precisa ser bacalhau ou massa... isso ajuda, mas basta um café, um chá, ou somente a intenção, a vontade focada de sair das inúmeras situações que podem nos travar, que nos tapam os olhos que precisam receber toda a Luz que merecemos e, reunidos em grupos, somos muito mais fortalecidos.
A idade, o status, a raça, nada representam. O que manda e conduz é aquele olhar profundo, sereno e inexplicável que nada esconde, que tudo sabe e compreende.

Lembre que V. já faz parte também deste especial ponto de encontro de almas que é o Somos Todos Um... sua grande Família espiritual!

Sinto muito
Te amo
Muito obrigado

Sergio - STUM
PS; para quem já sabe preparar um bacalhau ao forno, mas quer fazer um bom e simples prato de massa e uma deliciosa sobremesa italiana... clique aqui.


Confira a seguir material em sintonia com este especial:

ARTIGOS
  • Os Semelhantes
  • As pessoas são um Presente
  • Não posso acreditar que fizemos isso!
  • Está Provado: Somos Todos Um
  • O grande encontro consciencial
  • _
  • Livre
  • O que realmente importa...
  • Um encontro com o que você sente
  • O paradoxo de nosso tempo
  • As essências florais e a hierarquia divina
  • © Somos Todos UM - direitos reservados. Boletim Ano 10, Edição .
    Este boletim foi enviado para 4351802 assinantes.