Cada macaco no seu galho

Autor Mauro Kwitko - mauroabpr@gmail.com

Hoje em dia podemos classificar as pessoas em dois tipos: os que acreditam e os que não acreditam na Reencarnação. Dentre os que acreditam, mais dois tipos: os que se propõem a tratar problemas dos outros profissionalmente, a nível terapêutico, e os que procuram esses profissionais.
Pois bem, amigo(a) leitor(a), em que grupo você está? Acredita na Reencarnação? Que bom. Onde? No seu Centro Espírita? Ótimo. Em casa com seus livros, conversas com parentes e amigos? Muito bem. É da área da terapia, trabalha profissionalmente nisso? Sim. OK. Inclui a Reencarnação em seus métodos diagnósticos e terapêuticos? Sim. OK, parabéns pela coerência. Não? Por quê? Têm medo de quê? Do Conselho de Psicologia? Do Conselho de Medicina? Da Inquisição? De ir pra fogueira? De ser alvo de gozações dos seus colegas? Nunca pensou nisso? Não sabe como incluir a Reencarnação em seu trabalho? Não trabalha na área das terapias, mas consulta com psicólogos, psiquiatras, psicoterapeutas de florais, astrólogos, etc. Muito bem. Esses profissionais que você procura acreditam e lidam com a Reencarnação em seu consultório. Sim. Ótimo! Não? Por que consulta com eles se tu acreditas na Reencarnação e eles não acreditam ou não lidam com isso. Não importa, tu gosta dele(a), é competente, te apóia, te entende... Será que te entende mesmo? A investigação vai até onde? Até a infância? Tudo começou lá? Foi quem? O pai ou a mãe? O pai trabalhava muito e não dava bola pra ti? Tua mãe não era carinhosa? Teu pai gostava mais do teu irmão do que ti? Perdeu o pai cedo? Eles se separaram quando ainda era criança? Tua família era muito rica e materialista? Ah, o contrário... eram muito pobres? Tu tens certeza que acredita mesmo na Reencarnação?

Vamos fazer um pequeno teste para ver isso: já te perguntaste por que vieste nessa família? Por que tua Alma pediu esse pai? E essa mãe? Por que vieste numa família rica (ou pobre)? Por que teu pai gostava mais do teu irmão? Por que tua mãe gostava mais de ti do que de outro irmão? Por que nasceste numa casca de homem (ou de mulher)? Por que nasceste no Brasil (ou outro país)? Por que vieste numa casca branca (ou negra)? Por quê? Por quê? Por quê? Tu e teu terapeuta - que acredita na Reencarnação, mas não trabalha com ela profissionalmente - conversam sobre isso? Ou terapeutizam como se tudo começasse na infância (mesmo “acreditando” na Reencarnação)? Meu amigo leitor, minha amiga leitora, está chegando a hora daquele ditado: “Cada macaco no seu galho”.

O que isso significa? Significa que uma pessoa que quer fazer uma terapia e REALMENTE acredita na Reencarnação, que dá valor a isso, que quer saber para o que reencarnou, que quer aproveitá-la pra valer, no sentido da evolução espiritual, já pode, hoje em dia, encontrar psicoterapeutas que REALMENTE incluem a Reencarnação na terapia, que tratam a pessoa como um Espírito encarnado, que enxerga a infância como uma continuação, uma situação elaborada pelas Almas de seus participantes, dentro da Grande Alma (Deus), que lida com as Leis do Karma, da Finalidade, da Necessidade, que entende das armadilhas e dos gatilhos de uma encarnação, que quer falar com seus pacientes sobre espiritualidade, que não gosta de psicotrópicos, remédios químicos, que não acredita que as doenças mentais começam no cérebro, não acredita que os pensamentos se originam no cérebro, acredita em vidas passadas e suas ressonâncias (fobias, pânico, depressão severa, fibromialgia, crenças e idéias estranhas, timidez excessiva, etc.), acredita em Espíritos (e encaminha pacientes para Centros Espiritualistas), gosta de Jesus, de Nossa Senhora, de Saint Germain, dos Mestres Ascenços, gosta de Anjos, gosta de incenso, de meditação, de expansão da Consciência, de viagem astral, e tudo isso que é milenar, ancestral, e está voltando, agora, graças a Deus, ao final da Inquisição.

Algumas vezes ouço alguém falar que uma pessoa ouve vozes, vê seres, e está se tratando com psiquiatras há muitos anos, tomando psicotrópicos, já foi internado várias vezes, e fico pensando... Hoje em dia? Todo mundo sabe que existem Espíritos, até as novelas já tratam disso, todos sabem que Espírito fala (em nossa mente), aparece (para quem tem mediunidade), afetam nossa vida. Todo mundo? Todo mundo, não, os psiquiatras não sabem. Não sabem? Ou sabem ,mas têm medo de dizer que acreditam, o que seus colegas vão dizer, e o Conselho... E os grandes Laboratórios multinacionais? Curar “esquizofrenia” com desobsessão? Curar fobias, pânico, com regressão a vidas passadas? E o Haldol? E o Prozak? Transtorno Obsessivo–Compulsivo? Geralmente é culpa de vidas passadas. Transtorno Bipolar? Geralmente é sintonia com vidas passadas de riqueza e de pobreza, de poder e de falta de poder... Mas e o Lítio? E o Lexotan?
Então, pessoal, a hora é de “Cada macaco no seu galho...”

Quem quiser tratar dessa vida apenas... tem psicoterapeutas que não acreditam na Reencarnação ou acreditam mas acham que não devem “misturar as coisas...” Por quê? Sei lá porque pensam assim. Quem quiser tratar sua encarnação, tem os psicoterapeutas reencarnacionistas, que lidam com isso. Quem quiser tomar remédio químico, tem psiquiatra. Quem quiser investigação espiritual, tem Centro Espírita, tem Apometria, tem Umbanda. Quem quiser investigar seu Inconsciente, tem os discípulos de Freud, os terapeutas de regressão. Quem quiser Reiki, quem quiser Cura Prânica, quem quiser o que quiser, hoje tem. Quem não quiser nada, também tem, tem a bebida, tem o cigarro, tem a droga, tem a cama, o quarto escuro... Quem quiser aproveitar a encarnação, tem o trabalho honesto, tem a caridade, tem a dedicação a uma causa justa. Quem quiser botar fora a encarnação, tem querer ficar rico, trabalhar em qualquer coisa, seja honesta ou nem tanto... tem o ócio, tem os divertimentos da nossa sociedade-passatempo... tem a televisão a noite toda, tem horas e horas no computador, tem os finais de semana pra não fazer nada... E a vida passando...
Evolução espiritual. O que é isso? Segunda-feira, terça-feira, quarta-feira... semana que vem... o ano que vem... Ficando adulto... Ficando velho... Pressão alta... cardíaco, coitado... Psoríase... dizem que não tem cura... Asma... dizem que é alérgica... Enfisema... também, como fuma, coitado... Artrite, tadinha, tão boazinha... Sabe quem se suicidou? Como o fulano tá velho, acabado... E o filho da fulana, não trabalha, só em casa, fobia social, mas tá se tratando, tomando remédio... Sabe quem, com depressão? Nem trabalha mais, dizem que não gostava mesmo do que fazia, nem a Fluoxetina tá resolvendo... E o filho do beltrano, então, coitado, foi internado, dizem que é esquizofrenia, ouve vozes...

Então, meus amigos, minhas amigas, o tempo é de “Cada macaco no seu galho...” O meu galho? É a Nova Era.

Texto revisado por: Cris


Compartilhe
Facebook   E-mail   Whatsapp

Autor: Mauro Kwitko   
CURSO DE FORMAÇÃO EM PSICOTERAPIA REENCARNACIONISTA E REGRESSÃO TERAPÊUTICA - Inscrições abertas Porto Alegre, São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Brasília, Recife e Salvador Informações - www.maurokwitko.com.br
E-mail: mauroabpr@gmail.com
Visite o Site do autor e leia mais artigos.

Publicado em 09/05/2007



© Copyright 2000-2019 ClubeSTUM - O conteúdo desta página é de exclusiva responsabilidade do Participante do Clube. O site não se responsabiliza por quaisquer prestações de serviços oferecidos pelos associados do Clube, conforme termo de uso.