Home > Autoconhecimento
Sem perguntar, surgem respostas

Sem perguntar, surgem respostas

por Bel Cesar

Em 1991, quando escrevi o prefácio para o primeiro livro de Lama Gangchen Rinpoche, "Autocura I - proposta de um mestre tibetano", eu o conhecia havia apenas quatro anos. Hoje, em 2015, há quase 29 anos de nosso primeiro encontro, reconheço que em essência nada mudou: continuo conectada de coração a coração com sua mente e estudando a complexa filosofia do budismo tibetano, mas sempre procurando vivenciá-la de forma simples e direta. Durante os dez primeiros anos, de 1982 a 1992, em que Lama Gangchen Rinpoche esteve no Ocidente, ele se propôs a transmitir o Dharma por meio dos cuidados do corpo físico: atendia pacientes em consultas individuais. Nos dez anos seguintes, de 1993 a 2003, dedicou-se à transmissão dos ensinamentos por meio da palavra: escreveu livros e elaborou o sistema de Autocura Tântrica NgalSo. Desde 2004, ele tem dedicado-se à transmissão do Dharma por meio da mente, ao realizar iniciações elevadas como a de Kalachakra - uma prática do Tantra Ioga Superior conhecida por "Roda do Tempo".

Durante o período de seus atendimentos, trabalhei várias vezes como tradutora do inglês para o português. O paciente contava em poucas palavras o que estava lhe acontecendo, Rinpoche media com os dedos o seu pulso, fazia-lhe algumas perguntas, dava-lhe conselhos e indicava os remédios tibetanos se fosse necessário. Como eram muitos os pacientes, o tempo de consulta era no máximo de 10 minutos. Ao final da consulta, ele transmitia o mantra de Buddha Shakyamuni - OM MUNI MUNI MAHA MUNI SHAKYAMUNIYE SOHA. Depois o abençoava e oferecia uma fita de proteção. A cada paciente repetia sempre a mesma mensagem, como se estivesse a dizendo como pela primeira vez: "Este mantra é seu amigo espiritual, se você recitá-lo não irá se sentir mais só".

Até hoje quando lhe fazemos perguntas suas respostas são de poucas palavras. Elas nos orientam para o próximo passo. Mais seguros, seguimos em frente.

Em um dos atendimentos realizados em 1990, a paciente insistia em fazer mais e mais perguntas: "Por que tenho medo?" "Vou morrer como minha mãe?"... Rinpoche a olhava atenciosamente e a cada nova pergunta apenas dizia: "Hãhã... O que mais você quer perguntar?". Até que, num determinado momento, as perguntas finalmente cessaram. Rinpoche, então, falou: "Hoje você não fará mais perguntas. Amanhã você não fará perguntas. Depois de amanhã, a mesma coisa. Se no dia seguinte você continuar a não questionar, é possível que escute dentro de você uma pequena resposta. Se você continuar a não perguntar, a cada dia essa resposta vai crescer. Isso porque sua mente está com espaço apenas para perguntas e não para respostas".

Muitas vezes nos autossabotamos fazendo perguntas que não têm resposta. Outras vezes, indagamos o que ainda não está maduro para ser respondido. Criamos respostas que nos limitam e geram insegurança porque nossas perguntas surgem da busca por garantias predefinidas. Perguntar algo para conhecer mais profundamente a natureza de uma questão é muito bom, no sentido que amplia nossa visão. Mas se nossas perguntas nos levarem a estreitar nossa percepção, estaremos criando nossas próprias armadilhas.

Aprendi que no budismo não perguntamos "Por que isto ocorre?", mas sim "Como isto ocorre?". Se entendemos como algo se inicia, podemos direcionar esse algo, seja para uma conclusão final, seja para transformá-lo de maneira tal que possa haver uma continuidade. "Por que" nos leva a uma forma pensamento; "como" nos leva diretamente ao aprendizado mediante a experiência em si mesma. Mas se formos inseguros ou preguiçosos, continuaremos a perguntar apenas o porquê das coisas. Mas, que tal testarmos o conselho de Lama Gangchen Rinpoche e passar uns dias sem fazer perguntas?

Consulte grátis
Mapa Astral   Tarot   Numerologia  
 
Compartilhe
Facebook   E-mail   Whatsapp


Obrigado por votar
Gostou deste Artigo?   Sim   Não   
Avaliação: 5 | Votos: 1
Atualizado em 11/12/2015 23:12:22

Bel Cesar é psicóloga, pratica a psicoterapia sob a perspectiva do Budismo Tibetano desde 1990. Dedica-se ao tratamento do estresse traumático com os métodos de S.E.® - Somatic Experiencing (Experiência Somática) e de EMDR (Dessensibilização e Reprocessamento através de Movimentos Oculares). Desde 1991, dedica-se ao acompanhamento daqueles que enfrentam a morte. É também autora dos livros `Viagem Interior ao Tibete´ e `Morrer não se improvisa´, `O livro das Emoções´, `Mania de Sofrer´, `O sutil desequilíbrio do estresse´ em parceria com o psiquiatra Dr. Sergio Klepacz e `O Grande Amor - um objetivo de vida´ em parceria com Lama Michel Rinpoche. Todos editados pela Editora Gaia.
Email: contato@vidadeclaraluz.com.br
Visite o Site do Autor

Veja também
Como posso enfrentar a Grande Conjunção em Capricórnio?
Você é auto abusivo?
Toques conscienciais para uma amiga triste com a dor da perda
Consciência é vida e vida é consciência
Será que o Reiki pode me ajudar?
Obesidade: como tratar?


Deixe sua opinião sobre este artigo


© Copyright - Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução dos textos aqui contidos sem a prévia autorização dos autores.
As opiniões expressas neste artigo são da responsabilidade do autor. O Stum não se responsabiliza por quaisquer prestações de serviços de terceiros, conforme termo do Site.


Energias para Hoje
segunda-feira, 21 de outubro de 2019

energia
I-Ching: 19 – LIN – APROXIMAÇÃO
É tempo de alegria e esperança. Trabalhe, seja perseverante e deixe que os outros se aproximem, pois agir em conjunto será muito benéfico.


energia
Runas: Kenaz
Abertura de caminhos, iluminação e proteção.


21
Numerologia: Otimismo
Cante hoje, mesmo que seja intimamente. Encontre seu melhor sorriso e o mantenha. Ria mesmo das dificuldades será bem fácil superá-las hoje. Dê atenção especial a si mesmo e irradie alegria àqueles que encontra.




Horóscopo

Áries   Touro   Gêmeos   Câncer
 
Leão   Vírgem   Libra   Escorpião
 
Sagitário   Capricórnio   Aquário   Peixes





 
© Copyright 2000 - 2019 Somos Todos UM - O SEU SITE DE AUTOCONHECIMENTO. Política de Privacidade - Site Parceiro do UOL Universa