Autoconhecimento Autoajuda e Espiritualidade
 
auravide auravide

Como mudar hábitos destrutivos para comportamentos construtivos?

por Rosana Braga
Publicado dia 05/03/2020 11:37:10 em Almas Gêmeas

Compartilhe

Facebook   E-mail   Whatsapp

Toda vez que a gente se dá conta de algum comportamento que temos repetidamente e que tem mais nos prejudicado do que contribuído com a nossa felicidade e satisfação, terminamos nos deparando com o próximo e mais difícil passo: a mudança! Como mudar?

Trocar hábitos realmente não é fácil. É mais complicado do que criar um novo hábito. Por exemplo, se você não sabe dirigir ou não sabe costurar e decide aprender, você estará abrindo espaço para um novo comportamento, uma nova habilidade. E, com a repetição desse aprendizado, você estará criando um novo hábito.

Esse exercício é relativamente mais fácil do que uma troca porque, em geral, você está motivado a aprender o novo. Você quer adquirir esse conhecimento. Seu cérebro está receptivo para abrir um novo caminho neuronal para alcançar uma nova compreensão. Trata-se de uma expansão cerebral e não de uma reforma ou atualização.

Porém, quando você faz algo de uma determinada forma e decide que essa forma já não é saudável ou que, pior ainda, ela tem causado estragos significativos em sua vida, a brincadeira já fica bem mais complexa.

A tarefa será de substituição, troca (ou a tal reforma, atualização) e o cérebro vai resistir ao máximo! Você vai, inconscientemente, inventar histórias para não fazer essa mudança. Vai sentir dores, ficar doente, criar obstáculos e até mentir para si mesmo.

Enfim, vai tentar de muitas maneiras diferentes não passar por esse processo de mudança, por mais que, conscientemente, você saiba e repita inúmeras vezes que precisa - o quanto antes - agir de um modo mais construtivo, coerente e inteligente.

E por quê? Porque o nosso cérebro existe para facilitar a nossa vida. Para tentar nos manter num lugar confortável e bonito. E quando a gente mantém um hábito por algum tempo, por mais nocivo que ele seja, esse hábito passa a ser íntimo de nosso aparato mental.

Isto é, ele entra para a zona do conhecido, do sabido, do “piloto automático”. Não precisamos mais pensar, queimar neurônios e energia para executar essa determinada ação. O cérebro já sabe fazer o caminho sem ter de trabalhar para isso.

Ao contrário, quando queremos interditar esse caminho e criar um novo para chegar ao mesmo lugar, o cérebro entende que terá de refazer um trabalho que já foi feito. Por exemplo: durante anos e anos de sua vida, você reagiu ao que te incomodava gritando, xingando, reclamando e blá, blá, blá.

Num determinado momento de sua evolução, você percebe que essa forma de reagir aos seus sentimentos não é eficiente, não traz os resultados que você gostaria. Além disso, termina fazendo você perder amigos, amores e até relações profissionais, prosperidade.

Diante desta sabedoria, você sabe que é hora de mudar. Decide que quer agir de uma outra forma quando se sentir irritada, contrariada, frustrada ou impaciente. Mas para isso precisa substituir o velho e disfuncional caminho cerebral por um novo caminho, até então inexistente, ou seja, desconhecido.

Isso dá trabalho! Exige presença, atenção, cuidado, técnica e, sobretudo, repetição. Cada vez que você se sentir incomodada, terá de estar atenta, perceber seu sentimento e em vez de reagir no piloto automático, repetindo o velho comportamento de gritar e xingar, ativar o novo caminho, o novo comportamento.

E até que você repita tantas vezes esse novo comportamento que ele se torne um hábito, você terá de se manter atenta. E quer saber? Se o velho hábito for de infância, de quando você o criou por mera imitação, sem nenhuma condição de análise ou escolha, é muito provável que você tenha de se manter atenta pelo resto de sua vida se quiser sustentar o hábito saudável que criou com aprendizado, consciência e maturidade.

Mas será que vale a pena distender tanta energia para ativar um hábito saudável? Sim, com toda certeza, vale muito a pena! É isso que nos coloca num novo patamar de alegria, paz interior, autoestima, segurança e prosperidade.

Trocar comportamentos destrutivos, sejam emocionais, alimentares, físicos, psicológicos, financeiros, amorosos ou de quaisquer áreas de sua vida é o que vai determinar o seu verdadeiro sucesso.

E por sucesso não entenda fama, dinheiro, bens materiais ou qualquer coisa ditada de forma manipuladora pelas mídias ou pela cultura. Por sucesso, entenda a sintonia fina e mágica entre o seu mundo de dentro e o seu mundo de fora! Eis que aí está o segredo da vida que você merece!

>> Me siga nas redes sociais para mais conteúdos sobre autoestima e relacionamento!
Instagram - @braga_rosana
Telegram - t.me/canaldaro
Youtube - Rosana Braga
Site - rosanabraga.com.br


estamos online

Compartilhe

Facebook   E-mail   Whatsapp

starstarstarstarstar
O artigo recebeu 71 Votos

Gostou?   Sim   Não  



Sobre o autor
foto
Rosana Braga é Especialista em Relacionamento e Autoestima, Autora de 9 livros sobre o tema. Psicóloga e Coach. Busca através de seus artigos, ajudar pessoas a se sentirem verdadeiramente mais seguras e atraentes, além de mostrar que é possível viver relacionamentos maduros, saudáveis e prazerosos.
Acesse rosanabraga.com.br para mais conteúdos exclusivos!
Email: [email protected]
Visite o Site do Autor

Veja também
artigo Cuide da sua energia
artigo O Invisível, visível, 2
artigo Quando as Estrelas Descem Para Dançar no Coração do Homem
artigo O poder do desinteresse








horoscopo



As opiniões expressas no artigo são de responsabilidade do autor. O Site não se responsabiliza por quaisquer prestações de serviços de terceiros.

auravide

Voltar ao Topo

Siga-nos


Somos Todos UM no Smartphone
Google Play


© Copyright 2000-2020 SomosTodosUM - O SEU SITE DE AUTOCONHECIMENTO. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade - Site Parceiro do UOL Universa