auravide auravide

O que fazer quando seu relacionamento é uma droga?


Usei a palavra "droga" propositalmente. Sei que é um tanto pesada quando estamos falando de pessoas e sentimentos, de intenções e, especialmente, do desejo primeiro e genuíno de simplesmente ser feliz. Porém, é fato que alguns encontros terminam se tornando tóxicos e altamente perigosos.

Mas, mais do que isso, muitos desses relacionamentos, assim como as drogas, tornam-se viciantes. E os envolvidos se tornam dependentes! Usuários de uma droga que construíram juntos. Sim, porque quando duas pessoas permanecem unidas por livre e espontânea vontade, por mais que deem desculpas a si mesmas do motivo pelo qual não vão embora, os dois são co-criadores da história que compartilham.

E por mais estranho que possa parecer, a dinâmica é justamente essa - a de dois dependentes. De quê? De brigas, desentendimentos, ofensas, acusações e muita destruição. Mas nem tudo é assim tão óbvio. Assim como as drogas, as relações tóxicas também proporcionam algum prazer. Claro! Se não existisse prazer algum, por mais fugaz e vazio que seja, o vício não se consolidaria!

E exatamente como também acontece com os usuários, pessoas que alimentam relacionamentos viciantes nem percebem que estão viciadas. Alguns acreditam que podem acabar com tudo quando quiserem, sem ajuda de ninguém. Inclusive, ficam bravas quando recebem conselhos dos amigos e familiares.

Outras pedem ajuda, imploram, reclamam, vivem se martirizando e vestem a carapuça de vítima sem nenhum constrangimento. Sequer se dão conta de que são tão usuárias e responsáveis pelo estrago causado quanto o outro!

Como sair dessa droga? Bem, se você caiu nessa armadilha, primeiro e acima de tudo precisa assumir que, infelizmente, talvez até inconscientemente, deixou que suas melhores intenções se transformassem numa terrível e lamentável dinâmica, onde ninguém mais ganha com esse encontro.

Em seguida, precisa procurar ajuda para compreender quais foram as crenças e as limitações internas que fizeram com que você se viciasse e se tornasse dependente de algo tão destruidor. Porque somente cuidando e transformando a causa é que poderá se preparar para um encontro criativo e realmente prazeroso.

E, por fim, precisa começar, o quanto antes, a reconstruir sua autoestima. Afinal, ninguém que se ama se deixa ficar numa droga de relacionamento. Aos primeiros sinais de que o encontro está se tornando um vício que destrói, que faz você de refém e que te joga na mais profunda escuridão de si mesmo, levanta a cabeça e vai embora!

Mesmo doendo, mesmo chorando, mesmo desmontada, a pessoa que tem uma autoestima minimamente razoável sabe e sente que merece ser feliz. E vai em busca desta felicidade ainda que seja ficando sozinha... até que um amor de gente grande possa ser vivido. Não só porque é com a pessoa certa, mas principalmente porque ela se sabe e se reconhece como a pessoa certa!

Quer saber como anda sua autoestima? Clique aqui e faça o teste gratuito!


estamos online   Facebook   E-mail   Whatsapp

Gostou?   Sim   Não  
starstarstarstarstar Avaliação: 5 | Votos: 1


foto
Rosana Braga é Especialista em Relacionamento e Autoestima, Autora de 9 livros sobre o tema. Psicóloga e Coach. Busca através de seus artigos, ajudar pessoas a se sentirem verdadeiramente mais seguras e atraentes, além de mostrar que é possível viver relacionamentos maduros, saudáveis e prazerosos.
Acesse rosanabraga.com.br para mais conteúdos exclusivos!
Visite o Site do Autor

Saiba mais sobre você!
Descubra sobre Almas Gêmeas clicando aqui.


Veja também

As opiniões expressas no artigo são de responsabilidade do autor. O Site não se responsabiliza por quaisquer prestações de serviços de terceiros.


 

Voltar ao Topo

Siga-nos


Somos Todos UM no Smartphone
Google Play


© Copyright 2000-2022 SomosTodosUM - O SEU SITE DE AUTOCONHECIMENTO. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade - Site Parceiro do UOL Universa