auravide auravide

Reamar... é possível?!


Eu sei, você deve estar se perguntando: que verbo é esse?!?! Reamar não existe no dicionário, mas me peguei com esta dúvida... por que?
Existem verbos como recomeçar, reconquistar, reaprender, recriar, reconstruir... Tantas ações podem ser refeitas, no entanto, algo aconteceu com a chance de amar um mesmo alguém novamente.

Tudo bem, podemos falar desta possibilidade usando outras palavras, mas por que não ser direto e objetivo e simplesmente propor o reamor?
Talvez a inexistência deste verbo – indicando a impossibilidade desta ação – queira apenas reforçar o quanto é difícil reacender um amor que se apagou. Entretanto, gostaria de insistir na crença de que, por mais difícil que seja, é possível!

Talvez não em todos os casos, mas em muitos. Talvez não sem antes inumeráveis reconhecimentos serem feitos, muitos perdões serem dados, muitos erros serem admitidos. Enfim, talvez realmente não seja possível reamar uma pessoa, levando-se em conta o fato de que já a amamos numa outra época e, por quaisquer motivos, tenhamos deixado de amá-la. Porém, talvez seja.

Então, penso que ao menos deve nos ser dada esta chance, esta opção, a de reamar. Reamar para que um casamento não seja desfeito; reamar para que uma relação seja resgatada depois de um tempo que foi preciso para reavaliar todas os desastres cometidos... reamar para reconsiderar a oportunidade de ser feliz.

Muitas pessoas, especialmente homens – acreditem! – têm-me escrito para questionar a vulnerabilidade das relações, a fragilidade do amor, a falta de profundidade nas escolhas. É verdade, isso tudo existe mesmo, mas eu iria além. Não é só isso o que existe. Diria que também existem muitas relações verdadeiras, amores sinceros, escolhas convictas e que, ainda assim, vão murchando, perdendo o brilho, a vontade, a intenção de sobreviver.
E digo isso porque acredito que amor é feito para se cuidar, como plantinha que precisa ser regada e alimentada para florescer. Acredito que amor largado é fadado ao esquecimento. E amor esquecido é condenado à morte.

Portanto, não me arrisco a apostar no reamor sem que haja, sobretudo, um desejo imenso de ressuscitá-lo, de reerguê-lo; sem que haja muita disponibilidade para falar e ouvir, para a compreensão e o acolhimento, para que sejam reconstruídas pontes e mais pontes que nos levem de volta ao caminho perdido.

Não sei quantos de vocês já conseguiram reamar... Nem sei se acreditam nesta possibilidade. Talvez este verbo não exista porque sua atuação seja (quase) impossível, tão remota que não valeu a pena inventá-lo. Mas talvez não...
Talvez ele inexista no dicionário e na linguagem falada para que possa se sobrepor ao esperado, para que surja como mágica, arrancado de um sonho encantado, feito pedido de criança pro seu anjo da guarda... feito promessa de amantes na urgência da despedida. Talvez...

Por enquanto, vou ficando assim... preferindo acreditar, esperando um depoimento, apostando numa palavra que as bocas não dizem, mas que grita no coração daqueles que se sabem de volta, sem se importarem com o que não foi vivido... apenas com o que pode ser revivescido.

Porque basta querer para que você possa recomeçar... que não seja agora, talvez.... mas que seja um dia, quando for a hora!


estamos online   Facebook   E-mail   Whatsapp

Gostou?   Sim   Não  
starstarstarstarstar Avaliação: 5 | Votos: 1


foto
Rosana Braga é Especialista em Relacionamento e Autoestima, Autora de 9 livros sobre o tema. Psicóloga e Coach. Busca através de seus artigos, ajudar pessoas a se sentirem verdadeiramente mais seguras e atraentes, além de mostrar que é possível viver relacionamentos maduros, saudáveis e prazerosos.
Acesse rosanabraga.com.br para mais conteúdos exclusivos!
Visite o Site do Autor

Saiba mais sobre você!
Descubra sobre Almas Gêmeas clicando aqui.


Veja também

As opiniões expressas no artigo são de responsabilidade do autor. O Site não se responsabiliza por quaisquer prestações de serviços de terceiros.


 

Voltar ao Topo

Siga-nos


Somos Todos UM no Smartphone
Google Play


© Copyright 2000-2021 SomosTodosUM - O SEU SITE DE AUTOCONHECIMENTO. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade - Site Parceiro do UOL Universa