auravide auravide

Previsões Mundiais para 2008 - Parte 1

por Graziella Marraccini
Publicado dia 10/01/2008 16:32:14 em Astrologia

Compartilhe

Facebook   E-mail   Whatsapp

Há séculos o homem utiliza vários métodos divinatórios para tentar desvendar os mistérios do futuro. Antigamente, reis, imperadores e chefes de estado, usavam o conhecimento dos magos, astrólogos e futurólogos para poder melhor planejar as suas ações e as suas conquistas. É uma pena, porém, que neste mundo tão cartesiano, os chefes de estado tenham abandonado (em sua maioria, e, pelo menos, oficialmente) estes costumes milenares. O conhecimento prévio talvez evitasse tantas desgraças! Mas como confiar em astrólogos e magos nesse nosso mundo tão voltado ao imediatismo e, especialmente no ocidente, tão materialista? Como acreditar que os movimentos dos astros podem nos indicar os fatos e acontecimentos aqui, na nossa Terra? Pois é, mas a experiência nos indica que muitos males poderiam ser evitados se nossos governantes tivessem acesso às informações fornecidas pelas Previsões Astrológicas. Essas Previsões fazem parte de um conhecimento da humanidade que não deve ser desprezado, pois faz parte de um patrimônio cultural amplamente aprovado.Para elaborar as previsões mundiais são principalmente analisadas as Grandes Conjunções planetárias, os Eclipses Solares e Lunares e os alinhamentos ou as aglomerações: os ‘stellium’ planetários.

Quando um ano inicia, precisamos levar em conta que alguns aspectos planetários vigentes desde o ano anterior continuarão ativos pelo menos durante alguns meses do ano seguinte. Não há como terminar um ano e dar uma ‘virada de página’ como muitas vezes gostaríamos de fazer! Desta forma, começaremos inicialmente a analisar os planetas mais lentos, como Plutão, esse que é chamado agora de planeta/anão. Como já expliquei em artigo específico publicado no STUM, nada mudou para a astrologia, já que esse planeta ou planeta/anão, continua tal e qual no nosso sistema solar e sua representação arquetípica continua exatamente a mesma.

CICLOS DE PLUTÃO
O ano de 2008 iniciou sob a influência da conjunção de Júpiter com Plutão, e da oposição destes com Marte, sendo estes aspectos potencializados pela Lua Cheia que ocorreu no Natal, fato que causou o aumento da violência, dos atentados e das catástrofes naturais no mundo inteiro.

Os ciclos de Plutão são os mais longos, pela distância que nos separa desse planeta, e sua passagem ao redor do Sol nos indica os períodos de grandes transformações em nosso sistema e especialmente na Terra. À medida que Plutão avança pelo signo de Sagitário, ele agora já influencia o signo de Capricórnio; sentiremos algumas mudanças energéticas acontecendo, apesar de que os dois signos estarão ainda sob a influência deste pequeno e poderoso planeta. Seus ciclos indicam períodos de violência, de transformação, de subversão, de reviravoltas, e sua ação provoca uma profunda reciclagem dependendo do signo em que ele se encontra e dos planetas com os quais ele faz aspectos. Plutão rege astrológicamente a Casa VIII da roda zodiacal, onde se encontra o signo de Escorpião. Ele transita atualmente a 29º de Sagitário e entra em Capricórnio no dia 26 de janeiro, mas irá influenciar os dois signos até 2013, quando ingressará definitivamente em Capricórnio. A ação energética de Plutão tem relação com as riquezas do subsolo, o petróleo e os países do Oriente Médio, a reciclagem do lixo, a força nuclear, as doenças como a AIDS e as outras doenças sexualmente transmissíveis e de maneira geral também se relaciona com o poder, com a corrupção, com os grandes males sociais, com os grandes desastres coletivos que provocam a mortandade em larga escala. Ele indica marcos importantes para o progresso da ciência, para a pesquisa genética, para a clonagem e os transplantes, as pesquisas com células- tronco, as manipulações de embriões e a genética. Plutão rege as riquezas do subsolo como o magma dos vulcões e pode provocar violentas erupções. Sua ação indica sempre, segundo a astrologia, algum tipo de destruição e de transformação, onde algo morre definitivamente para renascer sob outra forma. É a fênix renascendo das cinzas, a vida que ressurge após a morte num ciclo eterno e imutável. A sua energia pode ser causadora de explosões (especialmente em metrôs, túneis, poços e esgotos), provocando catástrofes coletivas em larga escala, com muita mortandade em nível mundial, especialmente se ele formar uma oposição (como neste período) com outro planeta destruidor como é Marte. Plutão possui uma maior influencia no inconsciente coletivo, pois, como o Deus do qual empresta o nome, Plutão rege o ‘mundo dos mortos’, é senhor do além, do desconhecido e quando em mau aspecto pode provocar medos e terrores generalizados que são provenientes de forças que, exatamente por serem desconhecidas, não são controláveis pelos seres humanos. No entanto, sua ação destruidora é ao mesmo tempo restauradora, regeneradora, oferecendo a opção de renascimento após a destruição.

Plutão se encontra em transito entre dois signos, Sagitário e Capricórnio. Sagitário é o signo da IXª Casa, regida por Júpiter. Esta é a Casa das leis, da justiça, da ética e da moral, da religiosidade e das filosofias, das universidades, dos estudos superiores e de pós-graduação. Esse signo rege astrológicamente o comércio exterior e as relações entre países. Sagitário tem analogia com as filosofias e religiões, com as ideologias políticas e econômicas, com as leis e o comércio internacional, com a exportação/importação, com o turismo e com as grandes expedições de exploração, assim como com as relações entre os países, especialmente em congressos mundiais. Sagitário é também o signo do alto escalão da Igreja e das filosofias religiosas de maneira geral, focalizando os assuntos relativos ao alto clero e às altas hierarquias religiosas. Coincidentemente, esses foram assuntos focalizados desde que Plutão entrou em Sagitário em janeiro de 1995. Por essa razão assistimos nos últimos anos a um aprofundamento do ódio entre as maiores crenças religiosas do oriente e do ocidente, especialmente as monoteístas. Surgiram os homens-bomba, aconteceram os maiores ataques terroristas jamais vistos. Com o ingresso em Capricórnio, Plutão indica que haverá um agravamento da cisão entre o oriente e o ocidente. Capricórnio, regido por Saturno, é o décimo signo da mandala astrológica, chamado também de Meio do Céu. Ele rege, mundialmente, o mundo da política, o governo e os postos mais elevados, seja na iniciativa privada que pública, os ministro de Estado e os altos funcionários. E quais são seus atributos? As qualidades relacionadas com o signo são principalmente: responsabilidade, capacidade de administração, método e perseverança, tato e diplomacia, prudência e senso do dever. Todas essas são qualidades indispensáveis para quem quer chegar no topo da escala social. E os defeitos? Bem, esses são principalmente: rancor, frieza, isolamento, caráter frio e reservado, egoísmo e rigor nos princípios, preconceito e discriminação, atribuindo muita importância ao status social. Pois é, e o que podemos deduzir disso? Podemos deduzir que à medida que Plutão começa a influenciar cada vez mais esse signo, ele trará suas qualidades e defeitos para dentro desta área indicada pelo signo! Ou seja, Plutão agirá como agente mobilizador das qualidades e defeitos que este signo possui. E isso ocorrerá tanto em nível mundial quanto no individual. Aliás, são os indivíduos que fazem as nações, e, principalmente, são seus chefes que conduzem as nações para seus destinos! Pouco sabemos dos efeitos reais que este planeta, Plutão, poderá causar em Capricórnio. Podemos somente deduzi-los, já que, em sua revolução total, o planeta leva 247 anos para entrar num signo novamente, portanto, não temos como saber o que aconteceu 247 anos atrás e, nem mesmo como avaliar sua ação no mundo de hoje. Precisamos voltar na história para compreender seu efeito, mas mesmo assim, como os outros planetas não se encontravam nos mesmos lugares em que se encontram hoje em dia, não poderíamos examinar o Todo da mesma forma. Os tempos são outros! Então, eu posso deduzir que as qualidades e os defeitos relacionados com o signo de Capricórnio tenderão a se radicalizar, já que Plutão agirá como um ‘divisor de águas’, um radicalizador. Vocês já perceberam que o mundo já se dividiu por causa da religião? O terrorismo surgiu baseado na crença de que ‘meu Deus é o único Deus justo e seu Deus é o Deus errado’! Ou seja, surgiram atos radicais baseados na crença religiosa que é uma atribuição do signo de Sagitário. Portanto, a meu ver, esta radicalização influenciada pela energia de Capricórnio, dividirá ainda mais os países e as nações entre si, e os povos poderão ter atitudes ainda mais radicais e racistas, isolando ainda mais os pobres dos ricos, as elites dos excluídos! Puxa, dirão vocês, que quadro negro ela está pintando! Será que isso tem jeito? Não posso afirmar, somente faço conjeturas, tiro conclusões baseada em meus conhecimentos.

CICLOS PLUTÃO

Ciclo Plutão/Marte é o mais temível de todos. Ele é rápido por causa da natureza do planeta Marte e ficou ativo durante vários meses ao longo do ano passado (viramos o ano) sob essa influência. A oposição Marte/Plutão termina somente em março de 2008. Neste período continuaremos a ter notícias de atos de violência, atos terroristas, explosões e desastres e devemos estar muito atentos. Em seu aspecto mais negativo, indicam possibilidade de atentados, acidentes nucleares, atos de terrorismo com bombas e explosões mortíferas, muitos atos de violência e de extremismo e muita destruição ainda e principalmente no oriente médio e por causa do petróleo. Podem aumentar os seqüestros. Os assuntos relativos à reserva de mercado, petróleo, o mundo da computação, o metrô, esgotos, túneis, e campos de petróleo serão focalizados pela mídia, especialmente de forma negativa, por causa de desmoronamentos e explosões. Em agosto e setembro estaremos sob a influência de uma quadratura Marte/Plutão e em dezembro de 2008 uma conjunção entre esses dois planetas indica possíveis atentados contra chefes de estado ou pessoas de destaque internacional.

Ciclo Plutão/Júpiter foi muito intenso entre outubro de 2007 a janeiro de 2008. Esse ciclo marca principalmente a evolução da cibernética e da computação em nível mundial, mostra os grandes movimentos de capitais, as multinacionais que podem passar por reestruturações importantes. As riquezas e os recursos energéticos dos países ganham defensores e isso indica possíveis privatizações de empresas estatais e disputas onde o comércio internacional irá precisar de intervenções judiciárias. Podem ocorrer também grandes transformações políticas, mesmo no nível das legislações internacionais. As viradas políticas e os atentados que aconteceram neste período foram amplamente indicados por esse aspecto.

Ciclo Plutão/ Saturno: entre fevereiro e junho. Saturno é considerado em astrologia como um planeta de restrições, limitações, tristezas e depressões, os aspectos tensos entre esses dois planetas nunca são positivos, mesmo se o aspecto em questão for um trígono. Ele pode indicar ações para a retirada de tropas internacionais de áreas de conflitos, e também o início da retirada das tropas americanas dos países do Oriente Médio. Na manifestação positiva ele indica também importantes marcos na medicina, na ciência, na genética, especialmente na área de transplantes e manipulações que ganharão destaque na mídia. Esse aspecto indica também a possibilidade de terremotos, e coloca em evidência a miséria coletiva, indicando a degradação de cidades. O ciclo Plutão/Saturno marca sempre os ciclos de guerra, mas como o aspecto não é tenso, nada indica que teremos uma “grande guerra’ neste ano de 2008.

Ciclo Plutão/Júpiter termina em janeiro. Esse ciclo marca principalmente a evolução da cibernética e da computação em nível mundial, mostra os grandes movimentos de capitais, as multinacionais que podem passar por reestruturações importantes. As riquezas e os recursos energéticos dos países ganham defensores e isso indica possíveis privatizações de estatais e casos internacionais onde o comércio internacional irá precisar de intervenções judiciárias. Podem ocorrer também grandes transformações políticas, mesmo no nível das legislações internacionais.

Ciclo Plutão/Marte é o mais temível de todos. Ele é rápido por causa da natureza do planeta Marte e ficou ativo durante vários meses ao longo do ano passado e nós viraremos o ano sob essa influência. Uma oposição Marte/Plutão estará ativa até março de 2008 e uma conjunção ocorrerá em dezembro. Esses serão meses de recrudescimento dos atos de violência, das explosões e aumento dos desastres e atos terroristas. Em seu aspecto mais negativo, indica a possibilidade de atentados, acidentes nucleares, atos de terrorismo com bombas e explosões mortíferas, muitos atos de violência e de extremismo, e muita destruição ainda e principalmente no oriente médio e por causa do petróleo. Pode aumentar o número de seqüestros. Os assuntos relativos à reserva de mercado, petróleo, mundo da computação, metrô, esgotos, túneis, campos de petróleo serão focalizados pela mídia, especialmente de forma negativa.

Continuação


estamos online

Compartilhe

Facebook   E-mail   Whatsapp

starstarstarstarstar
O artigo recebeu 1 Votos

Gostou?   Sim   Não  



Sobre o autor
graz
Graziella Marraccini é astróloga, taróloga, cabalista e estudiosa de ciências ocultas e dirige a Sirius Astrology. grabnn Atende em seu consultório em SP com hora marcada no horário comercial.
5 perguntas Frequentes, visite Canal do youtube e Facebook
Email: contato@astrosirius.com.br
Visite o Site do Autor

Veja também
artigo A imaginação constrói os problemas
artigo Adestrar x Educar
artigo Luz e sementes conscienciais
artigo O que é o ego?


As opiniões expressas no artigo são de responsabilidade do autor. O Site não se responsabiliza por quaisquer prestações de serviços de terceiros.

auravide

 

Voltar ao Topo

Siga-nos


Somos Todos UM no Smartphone
Google Play


© Copyright 2000-2020 SomosTodosUM - O SEU SITE DE AUTOCONHECIMENTO. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade - Site Parceiro do UOL Universa