auravide auravide

O Caminho do Meio


No meu artigo da semana passada, que tratava do princípio da Vibração escrevi: “Unindo-se o pólo negativo com o positivo chegamos ao ponto central, o Caminho do Meio, o Fiel da Balança, onde os pratos vibratórios se estabilizarão e a vida começará a fluir mais harmoniosamente”. Muitos internautas me escreveram pedindo esclarecimentos sobre esse tal Caminho do Meio! Para fazê-lo, vou recorrer, mais uma vez, ao desenho da Arvore da Vida e ao estudo da Cabala. O Desenho da Arvore da Vida nos mostra uma ‘construção’ composta de 10 esferas colocadas desta forma: três do lado direito, três do lado esquerdo, quatro no meio e existe uma quarta esfera tracejada. Este é um desenho primário da árvore, já que ela, como (Conjunto de símbolos) glifo(*) é infinita tanto para cima quanto para baixo. Do jeito que a representamos, ela simplesmente indica o estagio de evolução no qual se encontra a humanidade da Terra no período atual.
As Esferas (ou Sephiroth) se distribuem sobre a Arvore verticalmente sobre 3 PILARES (imaginários) que apresentam os 3 grandes princípios de força: ATIVIDADE, PASSIVIDADE e EQUILIBRIO:

- O Pilar da Esquerda é o da SEVERIDADE ou FORÇA, e representa a Atividade presente nas esferas de Hod (Mercúrio), Geburah (Marte) e Binah (Saturno).

- O Pilar da Direita é o da MISERICORDIA ou BELEZA e representa a Passividade, presente nas esferas de Netzah (Vênus), Gedulah ou Hesed (Júpiter) e Hockmah (Urano) .

- O Pilar central é o do EQUILIBRIO ou SABEDORIA, ou seja, é aquele do equilíbrio, presente nas esferas de Malkuth (Terra), Hesod (Lua), Tipheret (Sol), Netuno (Dahat - invisível) e Keter (Plutão).

Esses pilares, compostos cada um de suas próprias esferas, possuem uma energia própria, mas essas energias não são energias paradas, elas interagem entre si através de ‘caminhos’ de maneira a que a energia de uma esfera seja transmitida para a outra, caso contrário não haveria geração de força, nada aconteceria, como expliquei no artigo sobre Vibração.

O Homem (Adão Kadmon) gerado inicialmente por DEUS, foi criado com todas as forças em equilíbrio perfeito, portanto, podemos deduzir que todos nós somos perfeitos na origem. O Homem (ou seja, a humanidade) está deitado de costas sobre a arvore olhando para o céu, portanto, nós, com nosso corpo físico, temos os pilares invertidos. Não o são, porém, as forças geradoras provenientes dos dois hemisférios do nosso cérebro, e é por essa razão que o lado direito do cérebro rege o lado esquerdo do nosso corpo que corresponde ao Pilar da Passividade e o lado esquerdo do cérebro corresponde ao Pilar da Atividade. É por essa razão que Hermes Trismegisto no Caibalion nos ensina: O que está em cima é como o que está em baixo, e o que está em baixo é como o que está em cima. Segundo esse axioma existe uma analogia entre o macrocosmo (representado na arvore) e o microcosmo (representado pela humanidade). Esta compreensão de “analogia” é extremamente importante para que seja totalmente assimilado o significado do modelo da Arvore.

Se, ao sermos gerados e materializados, temos todas essas energias em potencial dentro de nós mesmos, podemos deduzir que estaremos sempre em equilíbrio? Não, isso não acontece porque essas energias não estão em igual ‘quantidade’ em nosso corpo e conseqüentemente acabaremos vibrando mais de um lado do que do outro da Arvore. Quando o astrólogo cabalista analisa o Mapa Natal de uma pessoa, ele primeiramente verifica em que quantidade você tem distribuídas as energias dos quatro elementos: Fogo, Terra, Água e Ar. Creiam-me, em mais de 16 anos de profissão, quase nunca encontrei uma pessoa que tivesse todos os elementos em equilíbrio! Além disso, o astrólogo-cabalista verifica se você tem uma predominância de elementos ativos ou passivos, ou seja, se você se identifica com um o outro pilar. Ele ‘monta’ assim um glifo de sua própria Arvore da Vida pessoal que lhe servirá de guia. Vamos imaginar alguém que nasceu com uma ênfase maior no pilar da Esquerda (agora estou falando do Homem e não da Arvore). Essa pessoa terá uma predominância de elementos passivos, portanto, terá um temperamento mais artístico e irá se expressar em atividades criativas. Outra pessoa, com uma ênfase maior no pilar da Direita (sempre visualizando o Homem), terá um temperamento ativo e empreendedor. E aquele que tem o pilar do Meio predominante? Este terá um caminho espiritual pela frente, pois estará em equilíbrio e irá percorrer mais facilmente o Caminho do Meio.

Dizem os cabalistas que cada um de nós pode escolher que caminho percorrer, dependendo de sua própria natureza; portanto, não é necessário se desesperar se você tem um ou outro pilar em energia predominante. Vou dar um exemplo: Ayrton Senna tinha o pilar da direita predominante, ou por essa razão usou um caminho de ação e de atividade para seu desenvolvimento espiritual. Ao mesmo tempo, ele fez o sacrifício de sua própria vida (repito: talvez sem saber), e deixou um legado espiritual. De qualquer maneira, não creio que ele, Ayrton, estivesse de todo alheio às suas escolhas, pois ele tinha o planeta Netuno em predominância no MC (meio do Céu) o que o ligou forçosamente à espiritualidade, mas isso é outra história. Deduzimos então que aqueles que escolhem o Pilar da Direita, escolhem um Caminho de ação, de atividade. Outro exemplo: um artista como Van Gogh (ou Beethoven, ou Mozart, e muitos outros), teria predominantemente o Pilar da Esquerda mais forte e por essa razão, sua escolha de vida seria aquela de voltar-se para a arte, em todas as suas expressões. Não estou falando da biografia de uma pessoa, mas de seu legado (Van Gogh por exemplo, foi considerado louco!) para a posteridade, para a humanidade. Então, deduzimos que no Caminho do Meio encontraremos os seres mais espiritualizados, como Cristo, Buda, Ghandi, Madre Tereza de Calcutá, o Dalai Lama, Sai Baba, e muitos outros homens santos e avatares cuja vida é dedicada exclusivamente para o bem da humanidade.Puxa, dirão vocês, mas então eu preciso virar santo para percorrer o caminho do meio? Não, é claro que não! Ao longo de nossa existência, estamos muitas vezes num ou noutro caminho, mas devemos sempre ‘voltar’ ao caminho do meio, ou seja, buscar as energias das esferas centrais da arvore, pois, sem elas, nossa existência estará perdida. É no Centro da Arvore que encontramos o Sol, e é no centro de nosso corpo físico (no coração) no nosso Sol, que entramos em contato com o Deus Interior que reside em nosso chacra cardíaco. É ele que nos induz à paz, à serenidade, à tranqüilidade. É ele que nos torna bons, generosos, altruístas, que nos faz sensíveis ao sofrimento dos outros seres humanos, que nos une diretamente a Deus. Desta forma, analisando nossa própria índole, nosso temperamento, podemos perceber se somos mais Ativos ou Passivos, se somos de ação ou de receptividade, se nossa Arvore pende mais para a direita que para a esquerda e podemos corrigir as forças, colocando mais peso no prato oposto da balança para encontrar o Ponto de Equilíbrio. Se formos demasiadamente impacientes, briguentos, e precipitados em nossas ações, precisaremos colocar ‘pesos’ (ou seja pensamentos e ações) no prato da beleza, da generosidade, da criatividade. Se formos contemplativos, criativos e imaginativos demais precisaremos colocar ‘pesos’ na balança da atividade para encontrar o equilíbrio. Então, todas as vezes que percebermos que estamos colocando mais peso de um lado ou do outro da Arvore, podemos voltar ao equilíbrio gerando energias no lado oposto, seja com pensamentos que com ações. Dessa maneira estaremos colocando em prática não somente o Principio da Vibração, mas também as outras Leis Herméticas, equilibrando assim nossa própria vida.

Uma Analise Cabalística de seu Mapa Natal pode analisar quais elementos estão em desequilíbrio em sua Arvore e o astrólogo-cabalista indicará então os exercícios de estabilização ou equilíbrio. Para concluir, posso dizer que não existem meios mais seguros para encontrar a harmonia funcional (espírito/matéria) do que a meditação e a oração. A meditação é feita principalmente nos Arcanos maiores do Taro, as orações nos Salmos da Bíblia. Porém, outros meios são igualmente válidos, como os mantras, por exemplo. Todos nós temos esses meios à disposição, basta escolher qual meio se adapta melhor à nossa personalidade.

O Gênio Cabalístico de N° 69 pode ajudá-los a encontrar o Caminho do Meio: Seu nome é Rochel, (letras hebraicas Reich, Alef e Hey) e o Salmo para oração é o de N° 15. Seu nome significa Deus que tudo vê. Não é lindo?

Uma boa semana a todos, e fiquem com DEUS!
São Paulo, 04 de junho de 2007


estamos online

Gostou?   Sim   Não  
starstarstarstarstar Avaliação: 5 | Votos: 3




graz
Graziella Marraccini é astróloga, taróloga, cabalista e estudiosa de ciências ocultas e dirige a Sirius Astrology. grabnn Atende em seu consultório em SP com hora marcada no horário comercial.
5 perguntas Frequentes, visite Canal do youtube e Facebook
Visite o Site do Autor


Veja também

As opiniões expressas no artigo são de responsabilidade do autor. O Site não se responsabiliza por quaisquer prestações de serviços de terceiros.

auravide

 

Voltar ao Topo

Siga-nos


Somos Todos UM no Smartphone
Google Play


© Copyright 2000-2021 SomosTodosUM - O SEU SITE DE AUTOCONHECIMENTO. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade - Site Parceiro do UOL Universa