auravide auravide

O ingresso do Sol a 0º de Áries


No dia 20 de março, às 08:43 da manhã no horário de Brasília, começa o Novo Ano Solar que marca, para nós, o inicio do Outono. Para compreender porque estamos considerando esse dia como o inicio do novo ano solar, precisamos ter algumas noções de astronomia. Da mesma forma que existe a Esfera Terrestre com suas coordenadas, (latitudes e longitudes, equador e pólos) existe uma aparente Esfera Celeste, como um globo imaginário transparente ao redor da Terra e sobre o qual são observados, os outros corpos celestes: estrelas, planetas, galáxias, etc.
Repetimos que esta esfera é imaginária, mas como já dissemos, tudo é visto do ponto de vista do observador que se encontra na Terra, ou seja do ponto de vista geocêntrico. A Esfera Celeste tem as mesmas coordenadas que a Esfera Terrestre. Desta forma os círculos mínimos Terrestres, ou Círculos Polares, irão corresponder aos Círculos Polares Celestes e o Círculo Máximo terrestre, ou Círculo do Equador, irá corresponder ao Equador Celeste. Do mesmo modo acontecerá com todos os outros círculos ou linhas que foram colocadas de forma imaginárias ao redor da Terra (aquelas que formam a latitude e longitude, ou seja as coordenadas terrestre) e que nos ajudam a localizar qualquer ponto geográfico em nosso globo. Assim, as Coordenadas Celestes irão nos ajudar a localizar qualquer ponto (estrela, planeta, cometa, etc.) na Esfera Celeste. Em seu caminho anual em torno da Esfera Celeste, (caminho aparente!) o Sol toca 13 das 89 Constelações que são figuras imaginarias usadas para ligar os pontos luminosos observados sobre a abobada celeste. As Constelações surgiram da necessidade que os homens sentiam de se guiarem, se localizarem, durante a noite escura do deserto, ou no mar, por exemplo. Deste modo se achou conveniente ligar entre si aqueles pontos luminosos, representados por estrelas fixas ou planetas e que, aparentemente, poderiam tomar formas de animais ou mesmo de seres legendários, deuses ou figuras mitológicas. Esta identificação ou classificação feita pelos povos da antiguidade, ainda hoje faz parte de nossa tradição e ajuda os seres humanos a se localizarem, seja em terra que no mar. Saliento que as constelações representam o céu a partir de um determinado ponto de observação da Terra. Se nos localizássemos na Lua ou em Marte, o mesmo desenho não poderia ser aplicado às constelações.

O sistema astrológico que denominamos de ocidental, é usado desde o antigo Egito e está fundamentado nos 360º elípticos à partir do Equinócio da Primavera no hemisfério norte, e dividindo-se a órbita em 12 partes iguais de 30º cada uma, que denominamos de Casas. As constelações podem ter formas maiores ou menores, mas o zodíaco sempre é considerado como se cada signo tivesse 30 graus, perfazendo um total de 360º que o Sol percorre durante os 365 e 6 horas anuais. O Sol se movimenta um grau por dia ao redor da terra (movimento aparente!) conforme determinado pelo nosso calendário ocidental. O caminho efetuado pela Terra em seu giro heliocêntrico é o determinador da mudança das estações, assim como a rotação da Terra é determinadora dos dias e das noites. A nossa tradição é baseada na Astrologia do hemisfério norte porque a sabedoria dos povos antigos lá residia. Mas, mesmo estando no Hemisfério Sul nada é modificado, já que para a elaboração dos mapas pessoais sempre são consideradas a latitude e a longitude ou seja o local do nascimento e a interpretação astrológica se baseia em arquétipos mitológicos mais do que nas verdades astronômicas.

Para iniciarmos o Ano Solar consideramos o Ponto Vernal a 0º graus de Áries quando o Sol secciona o Equador celeste, se encontrando no meio do caminho entre o Hemisfério Norte e o Hemisfério Sul, e dando inicio à Primavera, no Norte, e ao Outono no Sul. Creio que um astrônomo poderá afirmar que não seja verdade que o outono está iniciando exatamente no dia 20 de março às 08:43 hs porque a constelação que se encontra atrás do Sol naquele exato momento não é mais Áries, como determina a astrologia. Mas isso pode ser explicado pela Precessão dos Equinócio e foi assunto de outro artigo já publicado. (ver: A Precessão dos Equinócios).

No entanto, devemos considerar ainda o que a tradição nos ensina se quisermos estar em sintonia com nossos mitos e arquétipos. Portanto, podemos começar a aproveitar essa mudança na energia astral para darmos inicio ao nosso Ano Solar? Claro! È muito importante que saibamos aproveitar essa mudança de energia para darmos uma virada à nossa vida! Se este é um ano do Sol, vamos dar asas à nossa criatividade que nos vida, nos dá energia e força para viver. A Luz emanada do Sol é simplesmente a Luz ajudará neste momento de crise a superar muitas dificuldades. Ela pode afastar nossos medos, limpando nosso ser de todas a negatividade que causa dificuldade. A Luz nos oferece uma carga nova capaz de renovar desde a menor célula até nosso corpo inteiro.


estamos online   Facebook   E-mail   Whatsapp

Gostou?   Sim   Não  
starstarstarstarstar Avaliação: 5 | Votos: 385


graz
Graziella Marraccini é astróloga, taróloga, cabalista e estudiosa de ciências ocultas e dirige a Sirius Astrology. Conheça meus serviços on-line
5 perguntas Frequentes, visite Canal do youtube e Facebook
Visite o Site do Autor

Saiba mais sobre você!
Descubra sobre Astrologia clicando aqui.


Veja também

As opiniões expressas no artigo são de responsabilidade do autor. O Site não se responsabiliza por quaisquer prestações de serviços de terceiros.


 

Voltar ao Topo

Siga-nos


Somos Todos UM no Smartphone
Google Play


© Copyright 2000-2022 SomosTodosUM - O SEU SITE DE AUTOCONHECIMENTO. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade - Site Parceiro do UOL Universa