auravide auravide

Transforme, recicle, recomece! Como enfrentar Plutão?


Nas semanas anteriores procurei mostrar aos meus leitores como devemos nos adaptar aos vários ciclos que a vida nos impõe, para podermos evoluir ao mesmo tempo que caminhamos ao longo do percurso (pré-escolhido por nosso espírito) e sairmos vitoriosos dessa nossa jornada evolutiva. O último ciclo sobre o qual refletirei é aquele relacionado com o planeta Plutão. Apesar de ter sido rebaixado pelos astrônomos a "planeta anão", Plutão continua igualzinho, tanto no seu lugar no nosso sistema solar quanto como arquétipo que é relacionado com Hades (para os gregos) que era considerado o Senhor do mundo dos mortos. Planeta anão, planetinha, rebaixado ou não, Plutão continua a ser o que sempre foi, ou seja, continua representando para a humanidade o mesmo arquétipo. Por essa razão, a astrologia não muda sua interpretação.

Esse planeta que leva entre 18 e 19 anos para transitar num mesmo signo forma aspectos planetários que duram pelo menos cinco anos ao longo dos quais passaremos por profundas transformações psíquicas, conceituais, físicas e até materiais. Sendo um planeta lento, ele influencia praticamente duas gerações. Por isso é importante saber onde, casa e signo, cada um o possui no seu mapa natal. A minha geração nasceu com Plutão em Leão, por exemplo, e isso indica que existem duas gerações de pessoas com um grande poder de liderança e capacidade de domínio.
Desde 2008, ele transita no signo de Capricórnio que se encontra na Casa 10 do zodíaco e representa a área de experiência de nossa vida relacionada com a conquista de status, a ascensão social, a carreira e o sucesso profissional. Este signo pertence ao elemento Terra e é regido pelo planeta Saturno. Plutão tem uma circunvolução solar de 247 anos e 8 meses e, portanto, leva praticamente 19 anos para percorrer um único signo zodiacal. Por essa razão, os ciclos de Plutão são muito lentos, quase imperceptíveis, especialmente se em seu trânsito o planeta não interage com nenhum ponto sensível do nosso mapa como o Sol, a Lua, o Ascendente e o Meio do Céu.

Em meu site pessoal, já publiquei alguns artigos sobre o trânsito de Plutão desde que este ingressou no signo de Capricórnio em 2008, explicando seu efeito no coletivo, ou seja, em nível de Astrologia Mundial. Plutão em termos individuais significa a superação dos medos que o inconsciente guarda escondidos e que temos medo de enfrentar abertamente. O Ego é o centro da consciência individual e representa a parte de nossa identificação que foi esculpida e elaborada a partir de nossa imagem por meio daqueles atributos e elementos que reconhecemos como nossos e únicos. Quando dizemos "eu sou isso" ou "eu gosto daquilo" estamos falando de Ego, de nossa autoimagem que identificamos em nosso mapa natal com a Lua, seu signo e seus aspectos.

Através de seu trânsitos, Plutão despedaça a nossa ego-identidade de maneira a que possamos sair da casca, nos livrar das armaduras e, finalmente, chegarmos ao âmago do nosso Eu-superior, (padrão de identificação solar) que é nossa verdadeira essência. Geralmente, Plutão em trânsito nos deixa de joelhos e nos empurra para a beira do precipício: ou temos a coragem de criar asas e voar ou cairemos e morreremos! Os trânsitos de Plutão evocam a "descida ao inferno" , não no senso católico, mas no sentido de provocarem perturbações profundas e nos obrigarem a fazer uma viagem subterrânea ao nosso inconsciente para descobrir aquilo que escondemos e do qual temos mais medo. Por essa razão, a astrologia relaciona Plutão ao controle. Mas o inconsciente não guarda somente nossos "demônios" mas também nosso potencial não desenvolvido, nosso "tesouro escondido". Como acessar esse tesouro? Se esse nosso tesouro é protegido por um monstro chamado Plutão, precisamos enfrentá-lo com coragem se desejamos renascer para uma nova identidade mais integrada e plena.
Quando nascemos, somos indefesos e dependemos de outros (nesse caso da mãe) para saciar nossas necessidades. Por causa dessa necessidade (de alimento, de calor, de afago, etc) sentimos um amor profundo pela nossa mãe, se essa nos sacia e satisfaz, ou sentimos ódio por ela se nossas necessidades não são satisfeitas e consequentemente temos medo de morrer. Porém, como o bebê não se reconhece como um indivíduo separado da mãe, o sentimento de raiva e ódio pode ser percebido como ódio de si mesmo e não somente da mãe que frustra suas necessidades! Por essa razão, esse sentimento de ódio que é destrutivo, amedronta o pequeno bebê que irá rechaçá-lo no mais profundo de sua psique por medo de se autodestruir! Somente mais tarde ele será elaborado de maneira a aprendermos a controlá-lo e a escondê-lo já que a raiva e o ódio não são socialmente não aceitos. Por essa razão, os sentimentos de vergonha, de baixa autoestima, de autodepreciação geram impulsos destrutivos que podemos considerar perversos, mas que não desaparecem somente com a restrição devida à educação e permanecem adormecidos e latentes. O impulso sexual, com seus desejos que nem sempre são socialmente aceitos, também faz parte dessa bagagem rechaçada e escondida. A inveja, o ciúme e outros sentimentos gerados pela rejeição e pela frustração e que são considerados inaceitáveis socialmente jazem adormecidos no inconsciente, mas podem ser desenterrados sob o trânsito de Plutão. Porém, essa energia represada que permanece latente funciona como um vulcão que permanece inativo durante longos anos e que repentinamente explode derramando lava e destruindo tudo ao seu redor! Os dramas causados pela paixão não correspondida ou por uma traição ou uma rejeição enchem as manchetes dos noticiários!

Mas como superar os efeitos de um trânsito de Plutão? Explodindo? Destruindo tudo? A meu ver somente transformando, reciclando e renascendo estaremos aprendendo verdadeiramente a lição de Plutão! A área de nossa vida que precisará dessa transformação será indicada pela casa e signo onde Plutão está transitando (ou seja, onde se encontra o signo de Capricórnio). Se não tivermos coragem de enfrentar nossos demônios, nosso monstro interior, algo acontecerá que nos obrigará a efetuar essas mudanças! O Cosmo sabe como nos forçar a efetuar essas transformações!

A astrologia nos oferece os meios para compreender como e com qual ferramentas superar positivamente um trânsito de Plutão. Se tiver possibilidade, peça uma análise de Previsões Anuais que inclui os trânsitos planetários e poderá compreender melhor onde e como efetuar as transformações em sua vida! Lembrem-se que de nada adianta esconder-se ou ignorar os efeitos de Plutão: ele não deixará pedra sobre pedra em sua passagem!

Informem-se no meu site pessoal link sobre as consultas presenciais ou à distância. Enviem um email para obter mais informações. Lembrem-se que seus emails são bem-vindos se quiserem compartilhar suas experiências pessoais!

Desejo a todos uma semana cheia de Luz e de Harmonia!

Sao Paulo, 22 de agosto de 2012


estamos online   Facebook   E-mail   Whatsapp

Gostou?   Sim   Não  
starstarstarstarstar Avaliação: 5 | Votos: 1


graz
Graziella Marraccini é astróloga, taróloga, cabalista e estudiosa de ciências ocultas e dirige a Sirius Astrology. Conheça meus serviços on-line
5 perguntas Frequentes, visite Canal do youtube e Facebook
Visite o Site do Autor

Saiba mais sobre você!
Descubra sobre Astrologia clicando aqui.


Veja também

As opiniões expressas no artigo são de responsabilidade do autor. O Site não se responsabiliza por quaisquer prestações de serviços de terceiros.


 

Voltar ao Topo

Siga-nos


Somos Todos UM no Smartphone
Google Play


© Copyright 2000-2021 SomosTodosUM - O SEU SITE DE AUTOCONHECIMENTO. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade - Site Parceiro do UOL Universa