auravide auravide

Aqui e Agora!


"Sejamos realistas, exijamos, no mínimo o impossível!"
Nos muros de Paris, Maio de 68


Belos Irmãos, Saudações!

Realmente é preciso estar atento a este estado de latência que toma conta da alma, da anima, propriamente dita. A vaga impressão de sucesso, segurança e estabilidade desaparecem, com um passe de mágica, se arriscarmos o olhar em outro ângulo. De repente a sensação de encaixe é percebida, até então era tão perfeita que nem sabia que existia, mas agora já sente!

É pessoas... e aí? O que fazer? A sensação de esquecimento, essa coisa amorfa é séria, seríssima! O cotidiano e suas tentações tão opostas às buscas do caminhante, são verdadeiras doses de anestesia nas veias, entrando lentamente, enquanto você compra algo aqui, assina algo ali e fica, literalmente, aparvalhado... quase morto, à margem das coisas que acontecem debaixo do seu nariz, já sem o antigo olfato, sem excitação alguma. Morno! Morninho...

Como conciliar percepções avançadas com as coisas mundanas? Com equilíbrio, com equilíbrio, por favor! Permaneça de olhos abertos ou, como costumo dizer: Mire de olhos abertos! Tome a si a responsabilidade de ter a consciência liberta. E agora, meu querido amigo, falo muito sério. Preste atenção, abra os olhos, a mente e seu coração! Não viaje!

Olhe em torno e "veja" o que está aí. A paisagem geral é desagradável, desconexa, feia. Vivemos uma profunda depressão mundial, sombreado por guerras, bombas bacteriológicas, violência, corrupção, a energia é o medo... É fato, entretanto, que "do lado de baixo do equador" a respiração é outra, muito outra. Enquanto o mundo "lá fora" range os dentes, neste país celebramos esperanças e ousamos, para surpresa e risos gerais, quebrar os protocolos! Kafka adoraria isso!
Esta onda de esperança que assola o país resgata os corações escravos, corações estudantes, corações revolucionários, corações poetas, exilados, jornalistas, artistas, intelectuais, professores, trabalhadores, excluídos e traídos!

Podes perceber? Isto possui uma dimensão energética inenarrável e o impacto virá, porque, agora, os ancestrais são pessoas que estiveram na Contracultura ou seja: A oposição é, agora, a situação!!! Sentiu a virada? Quem é, agora, o Poder? Quem são os mais velhos? Belo espelho para nossas mirações, não há dúvida!
Temos um trabalhador na presidência do país, alguém que foi vítima do destrato social, perdeu mulher e filho por negligência nos setores públicos hospitalares; Gabeira, deputado federal, defende a utilização ritualística de Plantas de Poder; Paulo Coelho assumiu, hoje, uma cadeira na Academia Brasileira de Letras e citava Raul Seixas para as imprensas boquiabertas, mas risonhas...

Esta onda, literalmente tropicalista, mostra o que representa a palavra "brasil", de braseiro, de “é uma brasa mora”?! Incendiando a Geleia Geral de Gilberto Gil, Caetano, Henfil, Frei Beto e toda a gente anônima e oprimida, responsável pela antropofagia profetizada no Manifesto Pau Brasil, do primeiro momento modernista, e que somente agora pôde acontecer...
Mas, certamente, vai gerar um refluxo de energia para o mundo, sem precedentes! Percebe a grandeza do passo, amigo meu? Tu tens visto que até os homens de cinza não contém o sorriso, leste a oeste, estampado no rosto?
Não importam posições partidárias, isso é irrelevante, o que importa é a atmosfera gerada a partir da esperança, injetada na consciência de milhões de pessoas, cuja ancestralidade não nega a mestiçagem, nem tampouco a alegria tropical que serve de exemplo ao bizarro modelo europeu, tipicamente adequado, cinzento, discreto, enfastiado pelo muito que possuem, sem no entanto possuir anima! Anima! Animação!

Ah... Amigo meu, perdoe a empolgação, é que o momento é singular, o contexto imperdível... e pode ser o detonador de uma outra percepção de sociedade, como sonharam aqueles que acreditaram na Força da Flor. Portanto, permitir-se ficar em estado de latência, agora mais do que nunca, é um desafeto. Respire esta energia, cuja ética propõe a dissolução de muitas formas de dominação, inclusive do ego, do lucro pessoal, da fastio e agite homem. Recebeu muitas percepções, está difícil de administrar? Ora, não reclame! O Universo é generoso e Pachamam sempre manda com sobras, como é próprio das mães. Celebre a sorte de poder mudar o rumo da sua história e ponha em prática os seus sonhos. O resto, é bestagem, como diria um "Calunga" amigo meu, afinal Gil nos ensina que: "O melhor lugar do mundo é aqui e agora”...
Sacode essa lombra, desplugue-se do "inferninho matrixiano" e sorria.
Sorria, porque o vento te beija...

Aho!
Pandora do Vale


estamos online   Facebook   E-mail   Whatsapp

Gostou?   Sim   Não  
starstarstarstarstar Avaliação: 5 | Votos: 1


clube Pandora do Vale é Celina Beatriz Villanova. Menestrel, escritora, professora de "Mitologias e Culturas Comparadas" e escreve sob o heterônimo de Pandora do Vale.
Visite o Site do Autor

Saiba mais sobre você!
Descubra sobre Autoconhecimento clicando aqui.


Veja também

As opiniões expressas no artigo são de responsabilidade do autor. O Site não se responsabiliza por quaisquer prestações de serviços de terceiros.


 

Voltar ao Topo

Siga-nos


Somos Todos UM no Smartphone
Google Play


© Copyright 2000-2022 SomosTodosUM - O SEU SITE DE AUTOCONHECIMENTO. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade - Site Parceiro do UOL Universa