auravide auravide

Lições para uma vida saudável - Lição 6

por Sônia Imenes
Publicado dia 24/03/2005 12:33:07 em Corpo e Mente

Compartilhe

Facebook   E-mail   Whatsapp

Vida é movimento. Rigidez é morte. A mobilidade do nosso corpo se manifesta mais diretamente na desenvoltura das articulações. Claro que além destas, a elasticidade dos músculos também é um fator importante. Mas tudo no corpo é perfeitamente integrado e articulações rígidas certamente indicarão músculos rígidos também.

Muitas vezes a rigidez vai se cristalizando em nosso corpo com as limitações dos movimentos cotidianos e habituais, como os movimentos condicionados ao tipo de trabalho que exercemos, mas também, e principalmente, com a rigidez de posturas que adotamos diante da vida.

Quando crianças, somos seres livres e espontâneos: brincamos, pulamos, rimos, gargalhamos, choramos, damos cambalhotas e dizemos tudo o que vem à cabeça, sem censura. A autocrítica, a autocondenação e a perda da espontaneidade começam a aparecer e se fortalecer à medida que vamos nos identificando com certos valores culturais, crenças e normas sociais de conduta.

É óbvio que o convívio humano exige o aprendizado e exercício da ética social, mas, freqüentemente, as normas adotadas ferem a liberdade do indivíduo, impedem o desenvolvimento de suas potencialidades e acabam se tornando amarras para a evolução da própria sociedade.

Vida é movimento. Rigidez é morte. Mesmo quando estamos inativos podemos perceber a pulsação da vida no interior do corpo através da respiração, das batidas do coração e nos movimentos dos órgãos internos.

Movimentar-se de modo não usual, isto é, fazer alguns exercícios ou práticas que ampliem o leque dos movimentos que você faz na sua rotina diária é fundamental, não só para aumentar a flexibilidade e desenvoltura corporal, mas também para dissolver os condicionamentos mentais que enrijecem nossa personalidade.

Dançar pode ser um bom caminho. Você pode dançar sozinho, livre e espontaneamente e experimentar algo muito especial. Escolha uma música que você goste e que lhe inspire a dançar. Mergulhe nas imagens sugestivas que ela possa lhe sugerir e deixe seu corpo movimentar-se livremente, sem forma pré-concebida. Permita às emoções guiar o corpo e use a dança como caminho de liberação.





estamos online

Compartilhe

Facebook   E-mail   Whatsapp

starstarstarstarstar
O artigo recebeu 1 Votos

Gostou?   Sim   Não  

Leia Também

Lições para uma vida saudável - Lição 5




Sobre o autor
sonia
Sônia Imenes é Atriz-dançarina, terapeuta corporal,
praticante de Kempo e atende em São Paulo.
Oferece atendimentos de Massagem Thay.
Email: [email protected]
Visite o Site do Autor

Veja também
artigo Treinando a não-mente
artigo Horário
artigo Ativação dos sentidos interiores
artigo Amigos extrafísicos


As opiniões expressas no artigo são de responsabilidade do autor. O Site não se responsabiliza por quaisquer prestações de serviços de terceiros.

auravide

 

Voltar ao Topo

Siga-nos


Somos Todos UM no Smartphone
Google Play


© Copyright 2000-2020 SomosTodosUM - O SEU SITE DE AUTOCONHECIMENTO. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade - Site Parceiro do UOL Universa