Autoconhecimento Autoajuda e Espiritualidade

Qual é o rumo da minha vida?

Qual é o rumo da minha vida? Publicado dia 3/22/2018 10:12:14 AM em Corpo e Mente

Compartilhe

   

Pela vida ando e quanto mais ando mais os desencontros se fazem presentes. Sinto-me só na multidão! As oportunidades são sempre para os outros. Não enxergo perspectivas a curto prazo; a minha vontade é de sumir, desaparecer, de nascer e começar tudo de novo, na intenção de fazer uma história diferente.
Quem um dia já não ouviu ou sentiu algo assim? Por vezes, essa sensação se faz presente no seu dia a dia, mas no silêncio de seus pensamentos, ela se perde.

Quando sua mente, corpo e espírito se tornam um, você passa a se sentir único e exclusivo, dono de seus próprios desejos e ideais, sente-se pleno na razão de viver. Tudo coincide, tudo se encontra e o então quebra-cabeça da vida parece se encaixar e formar um desenho. A este podemos dar o nome de "rumo de sua vida", que nada mais é do que a sua Missão Divina, significa estar no lugar certo, junto das pessoas certas, onde tudo passa a fazer sentido, onde você se sente realizado.

Por vezes, de tão perdidos que nos sentimos, perdemos nossa espontaneidade que é a capacidade de estar cem por cento em cada momento e passamos, então, a fazer parte da energia da massa e esta nos conduz para onde não desejamos estar.
Qualquer meta que você não consiga atingir é prova concreta de que há um bloqueio energético em sua mente que o afasta de seu rumo de vida, que o faz ter a sensação de estar sempre no lugar errado, com as pessoas erradas e fazendo o que não gosta.

Os problemas intensos e a ansiedade extrema que leva sua mente a produzir sintomas físicos como palpitação, suor intenso, sensação de leve tontura que o faz perder noção da realidade, aperto na garganta, taquicardia e sintomas de leve depressão são avisos de seu corpo que você deve parar e analisar o rumo de sua vida.
A identificação e a eliminação de um bloqueio transformam sua vida do dia para a noite, tudo se torna mais leve e tudo passa a fazer sentido, pois a sintonia com a vida se estabelece.

Atendi uma médica há alguns meses que se sentia da forma como descrita acima, a vida ia passando e ela se sentia cada vez mais perdida e sem rumo. Não se sentia realizada em sua profissão, não tinha um bom relacionamento, a potência negativa no seu mental se fazia presente em cada palavra que pronunciava. Contou que havia estudado medicina porque os pais a haviam obrigado, eles se sentiam realizados nela e, por isso, também sentia que havia necessidade de insistir e se realizar na medicina.
Iniciei o seu atendimento com a Mesa Radiônica a fim de atingir o pleno equilíbrio de suas frequências, conseguir acessar seu subconsciente e identificar o bloqueio original que a fazia se sentir da forma como estava, além de atrair somente situações e pessoas erradas para a sua vida.

Identifiquei, então, um momento em que ela tinha por volta de dez a onze anos de idade e perguntei se ela se lembrava o que havia acontecido naquela época.
Ela, então, começou a me contar que o pai era bancário e a mãe professora de um dos colégios mais famosos e tradicionais de São Paulo e que, quando ela fez dez anos, a mãe conseguiu uma bolsa de estudos para ela em tal colégio para que ela tivesse uma boa base para o tão promissor curso de medicina que lhe daria um excelente futuro.
Quando chegou ao colégio, de cara, sentiu na pele a diferença das outras alunas, ela era a filha da professora tal. As outras meninas tinham acesso a viagens, a roupas de marca, a passeios e ela passou a assistir o que acontecia na vida das outras meninas se sentindo inadequada e menos que as outras.
Esta realidade permaneceu até o colegial e, para sentir menos impacto em sua vida, enfiava-se nos estudos e se destacada por isso.

Eliminei, então, o tal bloqueio mental que dizia que ela estava sempre em segundo plano, que as oportunidades eram sempre para os outros e que ela nunca encontraria de fato o seu rumo de vida.

No decorrer de nosso tratamento, ela descobriu uma incrível habilidade em escrever histórias infantis e, de maneira didática, passou a escrever histórias pedagógicas sobre bullying, a fim de orientar as crianças com base no que havia passado. Passou a escrever sobre os mais diversos temas e da medicina foi se desprendendo como base financeira até incorporar o rumo de escritora em definitivo.


por Maria Isabel Carapinha

Consulte agora
Mapa Astral   Tarot   Numerologia  


Obrigado por votar

O artigo recebeu 237 Votos

Gostou?   Sim   Não  

Compartilhe

         

Sobre o autor
Maria Isabel Carapinha é colaboradora do site, radiestesista e trabalha também com Feng Shui.
Ministra cursos e faz atendimentos em residências e empresas.
Trabalha também com a mesa radiônica fazendo atendimentos em seu consultório ou à distância.
Visite meu Site e Acompanhe Maria Isabel Carapinha no Facebook
Email: [email protected]
Visite o Site do Autor







Energia do Dia
4 - KUEI MEI - A JOVEM QUE SE CASA
Evite qualquer decisão ditada pela paixão.
Consulte o I-ching

As opiniões expressas no artigo são de responsabilidade do autor. O Site não se responsabiliza por quaisquer prestações de serviços de terceiros.


Voltar ao Topo

Siga-nos


Somos Todos UM no Smartphone
Google Play


© Copyright 2000-2020 SomosTodosUM - O SEU SITE DE AUTOCONHECIMENTO. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade - Site Parceiro do UOL Universa