auravide auravide

Um novo olhar


Com que olhos olhamos para nós mesmos? Uma pergunta um tanto quanto paradoxal, mas necessária, se quizermos permanecer na busca do auto-conhecimento com a certeza de que nào estamos nos iludindo mais uma vez...

Podemos estar sedentos e famintos e nos precipitarmos com tal veemência sobre os alimentos que julgamos poder suprir esta carência da alma, que acabamos nos esquecendo de que, quem tem o poder de digerir tantas informaçòes é a própria sabedoria adormecida em cada um de nós. Não houvesse esta sabedoria interior, de nada adiantaria colocarmos para dentro o que colhemos no mundo exterior.

O verdadeiro mestre já está em cada um de nós. Precisamos reconhecer isto para sabermos olhar com novos olhos a nossa própria forma de atuação no mundo. E muitas vezes o que nos falta é coragem! Por que o mestre reside muito além do habitat da nossa persona e o caminho até ele exige muita disponibilidade interna que o ego não gosta de ceder.

Entre os estados de nossa consciência normal de vigília - a consciência do ego, que abriga a nossa personalidade e que usamos nos nossos afazeres e preocupaçòes diárias - e a consciência superior - a do self, onde habita o nosso mestre interior - há um amplo espectro de elementos ainda envoltos pela nebulosidade do inconsciente, que precisamos aprender a iluminar.

Nesta camada inconsciente abrigamos elementos que trazemos de experiências muitas vezes remotas e sofridas e das quais o ego se defende tentando evitá-las. Mas não é evitando a dor que nos libertamos de seus males e sim olhando para as suas origens. E enquanto não reconhecemos a sua existência deixamos que estes conteúdos psíquicos inconscientes interfiram em nossas ações, provocando ainda novos sofrimentos. Todo mal que nos acontece tem algum fundamento subjacente em nossas ações ou no modo como pensamos e nos colocamos diante das coisas. Confiando na sabedoria do mestre ganhamos coragem para olhar nossas próprias fraquezas e com ele aprendemos a iluminar os recantos ainda obscuros da nossa própria psiquê.

É preciso despertar um olhar isento das limitações do ego, saber reconhecer quando nossas motivaçòes egóicas contaminam as nossas buscas e querer vencer com força de vontade as nossas próprias armadilhas

Quanto somos capazes de observar com isenção as motivações que nos levam a cada gesto, pensamento, palavras ou ações?

Se não alcançarmos com uma clara firmeza de propósito este novo olhar, o que seremos capazes de fazer com tantas fontes e informações colhidas fora de nós?


estamos online   Facebook   E-mail   Whatsapp

Gostou?   Sim   Não  
starstarstarstarstar Avaliação: 5 | Votos: 1


sonia
Sônia Imenes é Atriz-dançarina, terapeuta corporal,
praticante de Kempo e atende em São Paulo.
Oferece atendimentos de Massagem Thay.
Visite o Site do Autor

Saiba mais sobre você!
Descubra sobre Corpo e Mente clicando aqui.


Veja também

As opiniões expressas no artigo são de responsabilidade do autor. O Site não se responsabiliza por quaisquer prestações de serviços de terceiros.


 

Voltar ao Topo

Siga-nos


Somos Todos UM no Smartphone
Google Play


© Copyright 2000-2021 SomosTodosUM - O SEU SITE DE AUTOCONHECIMENTO. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade - Site Parceiro do UOL Universa