Autoconhecimento Autoajuda e Espiritualidade

A lua de mel espiritual, você já viveu isso?

A lua de mel espiritual, você já viveu isso? Publicado dia 8/18/2006 2:45:51 PM em Espiritualidade

Compartilhe

   

Somos seres inacabados exigindo mudanças e aperfeiçoamentos ou somos seres de luz, perfeitos, desenvolvidos, apenas enfaixados numa vestimenta de carne, tridimensional, de aparência física. A travessia das barreiras e obstáculos depende de um esforço de vontade, de uma decisão interna ou simplesmente de um impulso que brota das entranhas, lá de dentro de nossa alma?

Uma mulher, casada, com filhos e boa situação financeira, repentinamente se viu envolvida pela depressão e desabou nas drogas. Nada e ninguém conseguiam resgatá-la daquele precipício em que se lançara. Um dia, estando no seu apartamento de praia, olhou pela janela e viu as pessoas passeando lá fora. Uma força “desconhecida” brotou da sua intimidade e ela disse para si mesma: “Todos vivem, a vida segue lá fora. Vou viver também“. Daquele dia em diante a depressão desapareceu e ela retornou ao mundo dos ”vivos”.

Aguardar um fato mágico, em nossa vida, pode ser arriscado, mas a verdade é que a transformação ou conversão ocorre de repente. É como se você realizasse um salto, transpondo uma linha imaginária que permeia ou separa os dois mundos, FÍSICO E EXTRA-FÍSICO. Ao transpor aquele ponto ou limite, tudo se torna diferente e possível.

Segundo a Física Quântica, a revolução interior (para a Doutrina Espírita, reforma íntima), por mutação da consciência, é um salto abrupto, descontinuidade (como nos elétrons), conversão espiritual, desconectada de casuísmos, complexidades e sem conflitos.

Paulo de Tarso ultrapassou esse limite em Damasco, adentrando os umbrais deste outro mundo. E dessa experiência ele saiu diferente. Já não era mais Paulo, aquele que buscava Jesus para destrui-lo. Agora, era Saulo, o apóstolo dos gentios, o missionário que implantou as lições e vivências de Jesus nos territórios áridos dominados pelo império romano.

Observemos o que nos diz George Leonard:
Embora nossas imperfeições sejam inúmeras, no fundo de todos nós existe uma “pulsação silenciosa” de ritmo perfeito, um complexo de formas, ondas e ressonâncias absolutamente individuais e únicas o qual, não obstante, nos vincula com as outras coisas do universo. O ato de nos colocarmos em contato com essa pulsação pode transformar nossa experiência pessoal e, de um modo ou de outro, alterar o mundo que nos rodeia.

Roberto Crema, um dos idealizadores da Unipaz, a primeira Universidade Holística do Brasil, estudando a evolução criativa, nos ensina sobre a fonte de mutação que existe em cada ser. Encontrar este ritmo perfeito, estar no controle dessa pulsação silenciosa ou encontrar esta fonte de mutação será um ato de vontade ou uma ocorrência que extrapola o nosso universo consciencial, para adentrar o mundo extra-físico? Como será esse processo, é uma grande e interessante questão.

Nas experiências de quase-morte, observamos que a criatura, mesmo quando ultrapassa os limites da realidade física, ainda continua no controle de sua vontade. Mellen-Thomas Benedict é um artista que sobreviveu a uma experiência de quase-morte em 1982. Ele permaneceu morto por mais de uma hora e meia após ter morrido de câncer. Na hora de sua morte ele saiu do corpo e foi para a luz. Ele estava curioso a respeito do universo. Diz ele, “fui me movendo para a luz, mas senti intuitivamente que se eu fosse até lá eu estaria morto. Então, à medida que eu ia me movendo para a luz eu disse: - por favor, espere um pouco, espere um segundo. Eu quero refletir sobre isto; eu gostaria de conversar com você antes de ir".
Para a minha surpresa, completa ele, toda a experiência parou naquele ponto.

D. Philó atravessou as fronteiras entre vida e morte quando teve uma parada cardíaca. Sentiu-se num salão de festas e de repente, recompondo sua consciência, disse: “Este aqui não é o meu lugar”. Com esta frase/comando, ela voltou para o corpo.

Podemos saber exatamente como exercer este controle ou buscar experiências que nos privilegiem com este conhecimento? A experiência religiosa, por si só, tem sido insuficiente e ineficiente. Agrega valores, às vezes resgata a criatura de situações difíceis, mas ainda não tem oferecido esta âncora que todo ser humano procura.

Parece-nos que deve haver em nosso universo pessoal um canal espiritual que nos possibilita uma ligação direta com Deus ou com o divino que há em nós, como preceituou Jesus Cristo (vós sois deuses). Perdemos, ou nos esquecemos deste canal e travamos agora uma grande batalha para resgatar esta sabedoria. Os xamãs realizam rituais, os índios utilizam plantas e tanto uns como outros dizem que estes procedimentos levam suas consciências ao nível submolecular, onde se dão as transformações. Outras crenças ensinam que se a criatura cultivar bons pensamentos, tiver disciplina espiritual, praticar meditação, tiver uma alimentação seletiva, poderá acessar esse caminho ou experiência multidimensional.

Os índios Cheyennes da América do Norte, quando indagados sobre como descobrir o divino, dizem: Seja simplesmente um ser humano.

Logo que finalizei este artigo fiquei ainda refletindo sobre o assunto, buscando também entendê-lo; algo ou alguém soprou em meu ouvido a idéia de consultar um livro. Sem saber exatamente qual livro, fui até a estante e peguei a obra “O Poder Oculto da Música”, cujo subtítulo é: A transformação do homem pela energia da música, escrito por David Tame. Acreditem, foi um momento mágico. Abri o livro - como se diz - ao acaso e deparei com este texto, que transcrevo para todos vocês e que cai como uma luva, em nosso estudo sobre a conversão ou mutação.
David escreve o seguinte: Os cristãos podem estar certos quando falam da graça divina. Aos que andam em busca da verdade, parece ser amiúde concedido como que um período de lua-de-mel espiritual. Todos os tipos de experiências e revelações lhes acodem nos primeiros dias da busca, e nessa ocasião, tudo se passa como se Toda a Verdade já lhes pertencesse. E o autor, inspirado, conclui: Mas depois se acaba a lua-de-mel e agora lhes cabe a obrigação de reclamar a visão e o conhecimento através dos seus esforços desajudados. A verdade nos foi concedida temporariamente, mas só para podermos ser estimulados a encontrar o nosso próprio caminho.


por Wilson Francisco

Consulte agora
Mapa Astral   Tarot   Numerologia  


Obrigado por votar

O artigo recebeu 1 Votos

Gostou?   Sim   Não  

Compartilhe

         

Sobre o autor
Wilson Francisco é Terapeuta Holístico, escritor e médium espírita. Desenvolve o Projeto Mutação, um processo em que faz a leitura da alma da criatura e investigação do seu Universo, para facilitar projetos, sonhos e decisões, descobrindo bloqueios, deformidades e medos que são reprogramados energeticamente. Participe do Projeto Mutação confira seus artigos anteriores
Email: [email protected]
Visite o Site do Autor







Energia do Dia
4 - KUEI MEI - A JOVEM QUE SE CASA
Evite qualquer decisão ditada pela paixão.
Consulte o I-ching

As opiniões expressas no artigo são de responsabilidade do autor. O Site não se responsabiliza por quaisquer prestações de serviços de terceiros.


Voltar ao Topo

Siga-nos


Somos Todos UM no Smartphone
Google Play


© Copyright 2000-2020 SomosTodosUM - O SEU SITE DE AUTOCONHECIMENTO. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade - Site Parceiro do UOL Universa