auravide auravide

A orquídea de novo no jardim...

por Rubia A. Dantés
Publicado dia 10/09/2004 12:23:34 em Espiritualidade

Compartilhe

Facebook   E-mail   Whatsapp

Durante aquele sonho eu me vi com um Homem de Medicina, que conheci recentemente, e com uma amiga, tendo um céu muito estrelado ao fundo... Ele segurava um tecido rosa e vermelho e falava que ainda via medo... mas ao mesmo tempo com um movimento enérgico do tecido ao vento... parecia estar liberando esse medo...

Acordei e enquanto me lembrava do sonho tentando entender... soube que aquela orquídea branca... que um dia me inspirou um texto sobre o medo de ter medo... estava florescendo de novo... e agora sem proteção... mas a pessoa que me contou da orquídea, a Tereza - que eu chamo de sonhadora porque ela tem sonhos muito especiais - também me contou... com certa tristeza... que uma outra orquídea ainda não tinha dado flor ali naquele jardim...

Nos dois dias que se seguiram ao sonho, me senti num estado meio fora do ar... Como se estivesse passando pelas coisas sem estar nelas... meio adormecida... com muita sonolência...

Quando isso acontece, eu não resisto... e até me coloco à disposição para ser trabalhada naquilo que for para o meu crescimento... Tenho sentido que estamos recebendo muita ajuda dos Seres de Luz e que quando permitimos que as curas aconteçam... sem precisar de muitas explicações... elas acontecem de forma bem simples...

Nesse tempo vieram naturalmente, em conversas com amigos e comigo mesma, as lembranças de um medo antigo... e ao mesmo tempo a constatação de como ele foi diluído... Pedi um sinal ao Universo para saber se esse medo poderia ter sido mesmo liberado no vento do sonho...

No dia seguinte... a Tereza bate na minha janela toda feliz, contando que a orquídea que nunca deu flor estava com três brotos... Ela estava tão feliz que eu entendi que era também um sinal de que aqueles medos tinham sido mesmo liberados no vento...

Hoje... passeando pelo jardim... vejo que no vaso da orquídea... não uma... mas... duas lindas flores felizes e brancas sorriam ao sabor do sol... do vento... sem proteção...

Desfrutando por estarem vivas nesse jardim de uma casa qualquer no planeta Terra... À beira de muitos possíveis acontecimentos que vão do desencanto... ao encanto total...

E no outro vaso... três flores de uma cor lilás já começavam a romper o verde das folhas que as envolvia... para também participar... pelo tempo certo, da dança da vida... da morte... da vida...

Acho que me peguei de amores pela outra orquídea que se foi... porque senti uma tristeza repentina no meio de tanta beleza nova...

Uma certa nostalgia quis tomar conta de mim...
Já ia embarcar nessa tristeza quando senti que a outra orquídea que partiu... também estava ali naquelas duas flores brancas... e dentro do meu coração...
Parece que de algum lugar dentro de mim ela sussurrava...

- Feche os olhos para o passado e abra para o presente...

Era só o que eu precisava ouvir... para deixar que a vida seguisse o seu rumo tranqüilo ali... naquele jardim... que não sei por que tinha ficado mais encantado desde o nascimento da primeira orquídea branca... que agora enfeita o meu coração...


estamos online

Compartilhe

Facebook   E-mail   Whatsapp

starstarstarstarstar
O artigo recebeu 1 Votos

Gostou?   Sim   Não  



Sobre o autor
Rubia A. Dantés é Designer, cria mandalas e ilustrações em conexão...
Trabalhos individuais e em grupo, com o Sagrado Feminino, o Dom e o Perdão...
Email: rubiadantes@globo.com
Visite o Site do Autor

Veja também
artigo Pontes Imagináveis
artigo Auto avaliação
artigo Recado espiritual de um Amparador Budista
artigo O que significa viver no presente?


As opiniões expressas no artigo são de responsabilidade do autor. O Site não se responsabiliza por quaisquer prestações de serviços de terceiros.

auravide

 

Voltar ao Topo

Siga-nos


Somos Todos UM no Smartphone
Google Play


© Copyright 2000-2020 SomosTodosUM - O SEU SITE DE AUTOCONHECIMENTO. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade - Site Parceiro do UOL Universa