Home > Espiritualidade

Alice no País do Espanto

por Adília Belotti

Alice no País do Espanto

Minha filha curtiu a Alice visionária e desafiadora de Tim Burton. Eu não.
Entendo até que essa Alice crescida, que brinca de heroína da imaginação nos jardins asfixiantemente bem-comportados da Inglaterra vitoriana, tenha certa graça explicativa; sobretudo, as imagens são belíssimas!

Mas nem mesmo em 3D aparecem sequer vestígios do non sense do livro de Lewis Carrol! Simplesmente não está lá. O filme é um esforço bem-intencionado de fornecer explicações onde apenas caberiam pontos de interrogação. Circunscreve o que deveria ficar aberto. Uma camisa de força. Saí correndo em busca do livro, o original, não as adaptações mais ou menos água com açúcar que se fizeram em nome da facilidade de leitura das crianças. E reli tudo, de um gole só, com o mesmíssimo prazer de quando eu era menina e com o mesmíssimo espanto.

As duas obras mais conhecidas do pastor Charles Dodgson, o nome verdadeiro de Lewis Carrol, Alice no País das Maravilhas, de 1865, e Alice no País do Espelho, de 1871, ainda hoje intrigam os estudiosos. Entre jogos de palavras, enigmas, anagramas, cada palavra parece conter uma chave que abre outra porta de significado e outra e mais outra.

A toca do Coelho Branco fascina tanto pelo que revela como pelo que esconde. O poeta e tradutor Sebastião Uchoa Leite, que assina a tradução publicada pelo Editora Summus, em 1980, fala de 'demolição do sentido corrente das palavras' e de palavras que viram 'seres', entidades concretas misturadas nas aventuras de Alice pelos avessos da fantasia.

Dizem que Carrol gostava de meninas, e que tinha três obsessões: sua chaleira, a lógica e a fotografia (ele foi um dos maiores fotógrafos de sua época, aliás). No final da vida, criava puzzles, dilemas lógicos, dois dos quais foram até publicados em revistas científicas. Não é à toa que nas histórias de Alice, as palavras que deveriam, a rigor, garantir a lógica dos diálogos, parecem sempre apontar em outra direção. Elas confudem, torcem, desfolham-se em paradoxos. Lançam para a menina curiosa e para o leitor o desafio: quanto cada um de nós aguenta ver a realidade subvertida? Trombar com um gato que é apenas um sorriso não é tão fácil quanto parece. ainda mais quando ele alerta para o fato de que "se você não sabe para onde vai, tanto faz o caminho".

Nunca achei a história de Alice "divertida", ao contrário, sempre foi a mais difícil de contar para meus filhos. O País das Maravilhas é um lugar cheio de perigos, armadilhas, crueldades. Quando você resolve escapar do jardim e penetrar na Toca do Coelho não sabe o que vai achar do outro lado. Quanto de non sense a gente consegue suportar?

Lewis Carrol escreveu outros livros. Sebastião Uchoa conta uma historinha extraída de um deles, Sylvie and Bruno: "Era uma vez uma coincidência que saiu a passeio na companhia de um pequeno acidente. Enquanto passeavam, encontraram uma explicação, uma velha explicação, tão velha que já estava toda encurvada e encarquilhada e mais se parecia com uma charada".

No País das Maravilhas, as verdades são charadas tão velhas quanto os paradoxos que se escondem por trás das belas e ordenadas imagens da realidade que criamos talvez para nos proteger do maior de todos os perigos. non sense!


Consulte grátis
Mapa Astral   Tarot   Numerologia  
 
Compartilhe
Facebook   E-mail   Whatsapp



Adília Belotti é jornalista e mãe de quatro filhos e também é colunista do Somos Todos UM.
Sou apaixonada por livros, pelas idéias, pelas pessoas, não necessariamente nesta ordem...
Em 2006 lançou seu primeiro livro Toques da Alma.
Email: adiliabelotti@gmail.com
Visite o Site do Autor
Publicado em: 22/03/2018 10:11:59

Veja também
O que você quer ser quando crescer?
Você resolve o problema amoroso dos outros, mas não consegue resolver o seu?
O que está por trás de nossas expectativas? - Parte III
2019 - Angústia em Busca da Verdade
Reprograme seu cérebro
Deus está em todos os lugares e dentro do seu coração também


Deixe sua opinião sobre este artigo


© Copyright - Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução dos textos aqui contidos sem a prévia autorização dos autores.
As opiniões expressas neste artigo são da responsabilidade do autor. O Stum não se responsabiliza por quaisquer prestações de serviços de terceiros, conforme termo do Site.


Energias para Hoje
segunda-feira, 22 de julho de 2019

energia
I-Ching: 42 – I – AUMENTO
Momento de crescimento, que significa melhora não só no aspecto material mas também no espiritual. Ele acontece quando as ações e, acima de tudo, os sacrifícios são feitos em favor dos outros.


energia
Runas: Eihwas
50% já está conquistado, o resto e com você. Aja!


22
Numerologia: Idealismo
Dia para dedicar-se a obras que beneficiem todos ao seu redor. As atitudes devem ser abrangentes enfocando grupos de pessoas. Mantenha os pés firmes no chão e aja de forma a melhorar as coisas para os outros.




Horóscopo

Áries   Touro   Gêmeos   Câncer
 
Leão   Vírgem   Libra   Escorpião
 
Sagitário   Capricórnio   Aquário   Peixes





 
© Copyright 2000 - 2019 Somos Todos UM - O SEU SITE DE AUTOCONHECIMENTO. Política de Privacidade - Site Parceiro do UOL Universa