Autoconhecimento Autoajuda e Espiritualidade
 
auravide auravide

Curadores Espirituais - Os agentes do alto! Parte 2

por Wagner Borges
Curadores Espirituais - Os agentes do alto! Parte 2
Publicado dia 05/08/2020 00:01:39 em Espiritualidade

Compartilhe

Facebook   E-mail   Whatsapp

Só é curador espiritual quem confia que suas mãos são de Luz.
Quem sente o toque de outras mãos nas suas, nas ondas do Amor...
Quem sente em sua própria presença visível a inspiração do Invisível Imanente.
Quem sente, em seu coração, Aquela Presença** que está em todas as coisas.
O curador responsável e consciente sabe que quem cura não é ele, mas, sim, o Poder da Presença nele...
E também sabe que, muitas vezes, devido a diversas condições cármicas***, ele não conseguirá bons resultados em alguns casos.
No entanto, mesmo assim, ele fará o seu trabalho, pois essa é a sua natureza.
E, se suas mãos são de Luz, naturalmente irradiarão energias, sem qualquer julgamento ou condições. Inclusive, porque sabe que o Amor Real é incondicional e permeia a todos os seres.
Mesmo nos casos mais difíceis, ele sabe que a Presença passa sementes espirituais por suas mãos... E tal semeadura sutil terá o seu efeito no momento certo - na Terra, ou além.
O curador lúcido tem noção clara de que matéria é energia condensada (e energia é matéria em estado radiante), e, portanto, sabe que, mesmo se tocar apenas o corpo físico, também tocará a alma (e vice-versa), pois sua ação será sempre no nível energético.
Além disso, consciente de que é emissário da Presença, ele procederá com grande respeito e gratidão, pela chance de realizar a Luz em suas mãos.
Ah, um Grande Amor habita o coração do bom curador... E é tal grandeza espiritual que lhe diz, num sussurro sutil, que, quando ele ajuda alguém, está, na verdade, ajudando a si mesmo.
Porque a Presença está nele e, por isso, suas mãos são duas jóias espirituais.
E, por onde ele for, os seus toques sempre serão de Paz e Luz...

- Notas:
** A Presença - metáfora celta para o Todo que está em tudo. Quando os antigos iniciados celtas admiravam os momentos mágicos do alvorecer e do crepúsculo, costumavam dizer: "Isso é um assombro!" - E assim era para todas as coisas consideradas como manifestações grandiosas da Natureza e do ser humano. Ver o brilho dos olhos da pessoa amada, a beleza plácida da lua, a alegria do sorriso do filho, ou o desabrochar de uma flor eram eventos maravilhosos. Então, eles ousavam escutar os espíritos das brumas, que lhes ensinaram a valorizar o Dom da vida e a perceber a pulsação de uma PRESENÇA em tudo.
A partir daí, eles passaram a referir-se ao TODO QUE ESTÁ EM TUDO como a PRESENÇA que anima a Natureza e os seres. Se a luz da vida era um assombro de grandiosidade, maior ainda era a maravilha da PRESENÇA que gerava essa grandiosidade. Perceber essa PRESENÇA em tudo era um assombro! E saber que o sol, a lua, o ser amado, os filhos, as flores e a Natureza eram expressões maravilhosas dessa totalidade, levava os iniciados daquele contexto antigo da Europa a dizerem: "Que assombro!"
Hoje, inspirado pelos amigos invisíveis celtas, deixo registrado aqui nesses escritos o "terno assombro" que sinto ao meditar na PRESENÇA que está em tudo. E lembro-me dos ensinamentos herméticos inspirados no sábio estelar Hermes Trismegistro, que dizia no antigo Egito: "O TODO está em tudo! O Inefável é invisível aos olhos da carne, mas é visível à inteligência e ao coração."
O TODO ou A PRESENÇA, tanto faz o nome que se dê. O que importa mesmo é a grandiosidade de se meditar nisso; essa mesma grandiosidade de pensar nos zilhões de sóis e nas miríades de seres espalhados pela vastidão interdimensional do Multiverso, e de se maravilhar ao se perceber como uma pequena partícula energética consciente e integrante dessa totalidade, e poder dizer de coração: "Caramba, que assombro!"
*** Cármicas - do sânscrito Karma - ação, causa - toda ação gera uma reação correspondente; toda causa gera o seu efeito correspondente. A esse mecanismo universal os hindus chamaram carma. Suas repercussões na vida dos seres e seus atos podem ser denominados de consequências cármicas.
Obs.: Enquanto eu passava a limpo essas linhas, lembrei-me de um poema do sábio Hermógenes, um dos grandes professores de Yoga do Brasil (atualmente com noventa anos e ainda firme nas lides conscienciais).



Compartilhe

Facebook   E-mail   Whatsapp
  estamos online

Leia Também

Viajando espiritualmente pelos Chacras



starstarstarstarstar
O artigo recebeu 1 Votos

Gostou?   Sim   Não  

Compartilhe
Facebook   E-mail   Whatsapp


Sobre o autor
wb
Wagner Borges é pesquisador, conferencista e instrutor de cursos de Projeciologia e autor dos livros Viagem Espiritual 1, 2 e 3 entre outros.
Visite seu Site e confira a entrevista.
Email: [email protected]
Visite o Site do Autor

Veja também
artigo Transcomunicação Instrumental
artigo A liberdade de ser
artigo Você sabe quais os benefícios de um atendimento de radiônica?
artigo Do Oran Mor aos corações apaixonados pela Luz





horoscopo


As opiniões expressas no artigo são de responsabilidade do autor. O Site não se responsabiliza por quaisquer prestações de serviços de terceiros.

auravide

Voltar ao Topo

Siga-nos


Somos Todos UM no Smartphone
Google Play


© Copyright 2000-2020 SomosTodosUM - O SEU SITE DE AUTOCONHECIMENTO. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade - Site Parceiro do UOL Universa