auravide auravide

Estesia


Na vida, tudo passa. Tudo é lição.
Cada dia abre novas possibilidades, para quem olha a vida com mente arejada e coração viçoso.
Nesse mundo de vaidades fugazes, rico é quem vê o eterno no transitório.
Sábio é quem vê além das aparências...
Há pessoas que andam vestidas com roupas sofisticadas, mas, ao mesmo tempo, com a vestimenta de luz** embaçada demais.
Outras consomem bebidas caras e passam noitadas desgastantes, jogando a saúde e a vitalidade fora.
E há aqueles que querem viajar sob a ação de drogas pesadas, quando, na verdade, somente mergulham em estados alterados de consciência tenebrosos, tocando suas trevas interiores e abrindo brechas psíquicas para os espíritos infelizes se aproveitarem de suas energias.
O vampirismo psíquico começa no vazio existencial que as pessoas teimam em manter dentro delas mesmas. Quem não vê brilho nas coisas da vida, corre o risco de secar o coração.
Muitos dos supostos gigantes do intelecto humano, não passam de bebês nos planos do espírito.
O mundo está cheio de técnicos disso ou daquilo, mas, quem é técnico em viver com equilíbrio?
Conhecimento não é sabedoria, e perdão não é fraqueza de caráter, é grandeza de consciência.
Quem perde de vista o próprio espírito, sente um gosto amargo, que vem do vazio de dentro.
Sem a luz do coração para guiá-la, a mente se perde e fica prisioneira de suas próprias divagações...
Contudo, todo dia é chance de recomeço... E tudo é lição!
O sábio vê além das aparências. Por isso, ele agradece e caminha contente...
Ele percebe a estesia do Eterno em cada coisa transitória***.

P.S.: Quando sua aura é clarinha, a pessoa se sente em casa dentro dela mesma.
Quando o coração é generoso, tudo se transforma.
Quando a mente é arejada, a vida ganha novos brilhos.
Feliz é quem agradece o dom da vida, seja ele quem for.

(Esses escritos são dedicados ao grande poeta hindu Rabindranath Tagore****).

Paz e Luz.
São Paulo, 01 de julho de 2008.

-Notas:
* Estesia - capacidade de perceber sensações; sensibilidade; capacidade de perceber o sentimento da beleza.
** Aura - latim, aura - sopro de ar - halo luminoso de distintas cores que envolve o corpo físico e que reflete, energeticamente, o que o indivíduo pensa, sente e vivencia no seu mundo íntimo; psicosfera; campo energético.
*** Enquanto eu escrevia essas linhas, rolava aqui no som o belo CD "Vesper - Light Into Light" - do músico americano Jeff Johnson. Trata-se de um trabalho no estilo celta, com canções bem intimistas e baseadas em preces de várias tradições. As faixas 2, 3 e 4 são belíssimas. É um CD importado - U.S.A.
**** Finalizo esses escritos com um pouquinho da inspiração de Tagore, para iluminar também outros corações por esse mundão de Deus.

"Meu Rei, houve um tempo em que eu não estava pronto para Ti.
Todavia, sem que eu pedisse,
Entraste em meu coração como um desconhecido qualquer,
E marcaste os momentos fugazes da minha vida com Teu selo de eternidade.

Hoje, quando me deparo ao acaso com esses momentos
E neles vejo a Tua marca,
Percebo que eles ficaram espalhados no pó,
Misturados com a lembrança de alegrias
E tristezas dos meus dias esquecidos.

Tu não desprezavas os meus brinquedos de criança pelo chão,
E os passos que eu ouvia em meu quarto de brincar são os mesmos que agora ecoam de estrela em estrela."

- Rabindranath Tagore - escritor indiano, nasceu em Calcutá em 1861 e desencarnou em Bengala em 1941. Depois de educação tradicional na Índia, completou a formação na Inglaterra entre os anos de 1878 e 1880. Começou sua carreira poética com volumes de versos em língua bengali. Em 1913, recebeu o prêmio Nobel de literatura. Desde então, traduziu seus livros para o inglês, a fim de lhes garantir maior difusão. Em suas poesias, Tagore oferece ao mundo uma mensagem humanitária e universalista. Seu mais famoso volume de poesias é Gitânjali (Oferenda poética). Fundou, em 1901, uma escola de filosofia em Santiniketan, que, em 1921, foi transformada em universidade.



ESTESIA - II

Senhor, antes eu rezava como um mendigo espiritual.
Minhas preces brotavam do meu orgulho.
Eu não abria verdadeiramente o meu coração, apenas incomodava o Seu.
Eu não orava. Na verdade, intimava o Céu a me atender.
E Você, claro, sempre me levou na Sua Infinita Paciência...
Com o tempo, eu amadureci e mudei meu jeito.
Passei a orar porque me sentia bem comigo mesmo.
Já não pedia mais nada, só agradecia a existência.
Em meio à correria diária, eu tirava alguns momentos para entrar em meu coração. Bastavam alguns minutos, onde eu fechava os olhos e elevava meus pensamentos.
Então, eu me sentia em paz, só por lembrar-me de Você.
Antes, eu era duro. Mas o meu coração amoleceu nas ondas de um Amor que não sei explicar. Hoje, eu oro pelos outros e peço para que aconteça o melhor para a evolução de cada um.
Lembro-me do mendigo que outrora fui, e agradeço a Você, pela compreensão.
Meu Senhor, eu aprendi a lição: "Prece é Paz de Espírito!"

(Com Amor, admiração e agradecimento, dedico essas linhas ao grande poeta hindu Rabindranath Tagore**).

Paz e Luz.

- Notas:
** Rabindranath Tagore - escritor indiano, nasceu em Calcutá em 1861 e desencarnou em Bengala em 1941. Depois de educação tradicional na Índia, completou a formação na Inglaterra entre os anos de 1878 e 1880. Começou sua carreira poética com volumes de versos em língua bengali. Em 1913, recebeu o prêmio Nobel de literatura. Desde então, traduziu seus livros para o inglês, a fim de lhes garantir maior difusão. Em suas poesias, Tagore oferece ao mundo uma mensagem humanitária e universalista. Seu mais famoso volume de poesias é Gitânjali (Oferenda poética). Fundou, em 1901, uma escola de filosofia em Santiniketan, que, em 1921, foi transformada em universidade.



ESTESIA III

Há uma Canção de Amor em nós.
Existimos.
Somos mais do que pensamos.
Muito mais...

A Ciência da Terra não explica.
Nem as diversas religiões.
Aquilo que se sente no coração.
O Amor Que Ama Sem Nome.

Aqui estamos.
Mas nosso lugar é o infinito...
Somos eternos.
E o Todo também está aqui!

Muitas vezes, enganamos a nós mesmos.
E fingimos não sentir.
E nos tornamos vítimas de nossa arrogância.
Mas somos bem melhores do que isso.

Olhamos para as estrelas...
E nos perguntamos quem as criou.
Não foi a mão do homem.
Então, ficamos admirados.

E algo em nós nos diz que há algo mais...
Para uns isso é fé.
Para outros, é certeza.
E outros, ainda, dizem que é Amor.

Sim, Amor que não se explica.
Só se sente...
Que é consciência.
Que sabe, porque se lembra...

Do Eterno de onde viemos...
Que é Consciência Cósmica.
Do Eterno, para onde vamos...
No Coração do Todo.

Sim, existimos.
Sempre...
Na Terra, e além...
E isso é um presente.

Ah, somos mais do que pensamos!
Muito mais...
O Amor mais lindo de todos está aqui.
E habita em nossos corações.

Por isso, olhamos para as estrelas.
Porque uma parte em nós se lembra...
É ressonância com a Luz.
Porque Ela é a mesma, nas estrelas e em nós.

Carregamos o fogo estelar...
É nossa essência.
Então, sentimos algo.
E curvamos nossas cabeças.

Porque, diante do Infinito, somos crianças.
E as estrelas também são nossas irmãs.
E não estamos sozinhos.
Porque um Grande Amor está em nós.

Aqui na Terra, e além...
Em nossos corações e nas estrelas.
Um mesmo Amor.
Ah, isso não se explica, só se sente.

Existimos.
É um presente.
Quem ama, sabe.
E agradece.

Somos mais do que pensamos...

Paz e Luz.


ESTESIA - IV
(Prece - Beleza e Luz no Coração)

O Alto não compactua com nada que degrade a consciência - nem tem sintonia com a arrogância dos homens.
O Alto opera nas ondas do Amor Incondicional e, se o semelhante atrai o semelhante, somente as preces com sentimentos elevados conseguem a ressonância espiritual adequada.
O Alto não compactua com joguinhos de ego - nem com as chantagens emocionais perpetradas pelas pessoas em suas preces egoístas.
O Alto não patrocina nenhum tipo de dependência psíquica - nem arroubos de fanatismo religioso, onde alguém pode até dobrar os joelhos para rezar (mas, sem dobrar a crista do próprio ego, de que adianta?).
Por isso, as preces que chegam ao Céu são aquelas que brotam diretamente do coração, em Espírito e Verdade.
São as preces a favor do bem de toda humanidade.
São as preces que buscam a inspiração para lutar e superar as provas da vida.
São as preces de agradecimento ao Todo**, por tudo.

P.S.:
Orar sem alma e sem coração é algo da mente e seus esquemas ilusórios.
Oração verdadeira é coisa de alma para alma - do coração do Ser diretamente ao Coração do Todo, sem intermediários de espécie alguma.
Oração é comunhão espiritual.

Paz e Luz.
Wagner Borges - mestre de nada e discípulo de coisa alguma.

- Notas:
** O Todo - expressão hermética para designar o Poder Absoluto que está em tudo. O Supremo, O Grande Arquiteto Do Universo, Deus, O Amor Maior Que Gera a Vida. Na verdade, O Supremo não é homem ou mulher, mas pura consciência além de toda forma. Por isso, tanto faz chamá-lo de Pai Celestial ou de Mãe Divina. Ele é Pai-Mãe de todos.


***** Confira as palestras gratuitas, os cursos e os eventos no IPPB clicando AQUI


estamos online   Facebook   E-mail   Whatsapp

Gostou?   Sim   Não  
starstarstarstarstar Avaliação: 5 | Votos: 1


wb
Wagner Borges é pesquisador, conferencista e instrutor de cursos de Projeciologia e autor dos livros Viagem Espiritual 1, 2 e 3 entre outros.
Visite seu Site e confira a entrevista.
Visite o Site do Autor

Saiba mais sobre você!
Descubra sobre Espiritualidade clicando aqui.


Veja também

As opiniões expressas no artigo são de responsabilidade do autor. O Site não se responsabiliza por quaisquer prestações de serviços de terceiros.


 

Voltar ao Topo

Siga-nos


Somos Todos UM no Smartphone
Google Play


© Copyright 2000-2022 SomosTodosUM - O SEU SITE DE AUTOCONHECIMENTO. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade - Site Parceiro do UOL Universa