auravide auravide

Luz e sementes conscienciais - Partes 3 e 4

por Wagner Borges
Publicado dia 26/11/2020 16:55:07 em Espiritualidade

(O Amor dos Iniciados)

Ó Luz!
Você veio do Alto e entrou pelo topo de minha cabeça...
E fez do meu cérebro a sua morada inicial.
Então, Você jorrou em minha testa e fez o meu rosto virar sol...
Depois, Você desceu até minha garganta e, ali, em meio ao seu brilho, fez surgir uma linda joia azul-opalina...
E, dentro dela, estava aquela Paz que não é desse mundo.
E Você desceu mais, até o centro do meu peito, e fez o meu coração espiritual se derreter de Amor... Fez-me abraçar silenciosamente o mundo, com respeito e agradecimento.
E Você prosseguiu em sua jornada... E desceu mais ainda, até o centro do meu umbigo, onde fez surgir, em meio ao seu brilho, uma outra joia - dessa vez, amarela.
Ah, Você fez a minha barriga também virar sol!
E, dali, Você tocou o meu baixo ventre e fez surgir uma terceira joia – dessa vez, alaranjada -, flutuando em meio à sua irradiação energética.
Finalmente, Você interpenetrou a base de minha coluna, e eu vi o vermelho natural dessa área transformando-se em dourado...
E, dali, como um jorro de energia líquida, Você desceu pelas minhas pernas e fluiu pelas plantas dos pés como ouro líquido irradiante...
Então, o chão também tornou-se sua morada – porque virou sol!
Ó Luz!
Do Coração do Alto ao lótus das mil pétalas – e, daí, até o lótus do meu coração... E, seguindo, até a base da coluna, e ao coração do mundo...
A sua morada é em todo lugar, porque o Todo está em tudo!**

Paz e Luz.
Wagner Borges – mestre de nada e discípulo de coisa alguma.
São Paulo, 19 de agosto de 2012.

- Notas:
** Nesse texto, as posições do corpo associadas com a manifestação da Luz correspondem aos chacras principais. Então, para facilitar a compreensão dos leitores, deixo uma classificação dos mesmos na sequência.
Chacras - do sânscrito - são os centros de força situados no corpo energético e têm como função principal a absorção de energia - prana, chi -, do meio ambiente para o interior do campo energético e do corpo físico. Além disso, servem de ponte energética entre o corpo espiritual e o corpo físico.
Os principais chacras são sete – que estão conectados com as sete glândulas que compõem o sistema endócrino: coronário, frontal, laríngeo, cardíaco, umbilical, sexual e básico. Suas características básicas são as seguintes:
- Chacra Coronário - é o centro de força situado no topo da cabeça, por onde entram as energias celestes. É o chacra responsável pela expansão da consciência e pela captação das ideias elevadas. É também chamado de chacra da coroa. Em sânscrito o seu nome é “sahashara”, o lótus das mil pétalas. Está ligado à glândula pineal.
Obs.: A pineal é a glândula mais alta do sistema endócrino, situada bem no centro da cabeça, logo abaixo dos dois hemisférios cerebrais. Essa glândula está ligada ao chacra coronário, que, por sua vez, se abre no topo da cabeça, mas tem a sua raiz energética situada dentro dela. Devido a essa ligação sutil, a pineal - também chamada de “epífise” - é o ponto de ligação das energias superiores no corpo denso e, por extensão, tem muita importância nos fenômenos anímico-mediúnicos, incluindo nisso as projeções da consciência para fora do corpo físico.
- Chacra Frontal - é o centro de força situado na área da glabela, no espaço espiritual interno da testa. Está ligado à glândula hipófise – pituitária - e tem relação direta com os diversos fenômenos de clarividência, intuição e percepções parapsíquicas. É o chacra da aprendizagem e do conhecimento. Em sânscrito ele é conhecido como “Ajna”, o centro de comando.
- Chacra Laríngeo - é o centro de força situado em frente da garganta. É o responsável pela energização da boca, garganta e órgãos respiratórios. Está ligado à glândula tireóide. Bem desenvolvido, facilita a psicofonia e a clariaudiência. É considerado também como um filtro energético que bloqueia as energias emocionais, para que elas não cheguem até os chacras da cabeça. É o chacra responsável pela expressão criativa – comunicação - do ser humano no mundo. O seu nome em sânscrito é “Vishudda”, o purificador.
- Chacra Cardíaco - é o centro de força responsável pela energização do sistema cardiorrespiratório. É considerado o canal de movimentação dos sentimentos. Por isso é o chacra mais afetado pelo desequilíbrio emocional. Bem desenvolvido, torna-se um canal de amor para o trabalho de assistência espiritual. Está ligado à glândula timo. O seu nome em sânscrito é “Anahata”, o inviolável, o invicto, o som sutil do espírito imperecível.
- Chacra Umbilical – é o centro de força abdominal, responsável pela energização do sistema digestório. Está ligado à glândula pâncreas. É considerado o chacra das emoções inferiores. Quando está bloqueado, causa enjoo, medo ou irritação. Bem desenvolvido, facilita a percepção das energias ambientais. É chamado em sânscrito de “Manipura”, a cidade das joias.
- Chacra Sexual - é o centro de força responsável pela energização dos órgãos sexuais. Está ligado às gônadas – glândulas de reprodução – testículos no homem; ovários na mulher. Quando está bloqueado, causa impotência sexual ou desânimo. Quando super-excitado, causa intenso desejo sexual. Bem desenvolvido, estimula o melhor funcionamento dos outros chacras e ajuda no despertar da kundalini. É o chacra da troca sexual e da alegria. O seu nome em sânscrito é “Swadhistana”, a morada do eu – ou morada do sol; ou a morada do prazer.
- Chacra Básico – é o centro de força situado na área da base da coluna. É o responsável pela absorção da energia telúrica e pelo estímulo direto da energia no corpo e na circulação do sangue. Está ligado às glândulas supra-renais e tem relação direta com os fenômenos bionergéticos e parapsíquicos oriundos da ativação da kundalini. O seu nome em sânscrito é “Muladhara”, a base e fundamento do corpo.
Obs.: Aqui não estão relacionados os chacras secundários, incluindo nisso o chacra esplênico, em cima do baço.



LUZ E SEMENTES CONSCIENCIAIS - Parte 4

Ó Luz!
Dona da trilha de ananda**,
Que me leva à Consciência Cósmica...
No Seio do Eterno.

Além, muito além do que eu sei,
A canção das esferas viajando...
Pelo campo de estrelas.
E chamando para algo mais...

Ó Luz!
Que me guia pelas trilhas do coração,
Para além de mim mesmo...
Nos Excelsos Planos de Brahman***.

Além, muito além do que eu posso ver...
A assembleia das almas livres, tranquilas e magnânimas,
Que, como a primavera, fazem bem a todos...
Sempre chamando para o despertar da consciência.

Ó Luz!
Que me faz acender a fogueira do discernimento,
Na queima das palhas secas de minhas ilusões...
E que erradica o mal em mim.

Além, muito além das luzes do mundo,
A canção dos iniciados espirituais...
Chamando para as viagens espirituais****,
A todos aqueles que se atrevem a vencer a si mesmos.

Ó Luz!
Minha Mãe...
Que invisivelmente me abraça,
E me diz: “seja feliz!”

(Dedicado a quatro gigantes espirituais, que um dia iluminaram as terras quentes da velha Índia e que continuam abraçando invisivelmente a humanidade: Paramahamsa Ramakrishna, Swami Sivananda, Sry Aurobindo e Paramahamsa Yogananda*****).

Paz e Luz!
Wagner Borges – mestre de nada e discípulo de coisa alguma.
São Paulo, 8 de janeiro de 2020.

- Notas:
** Ananda – do sânscrito – estado de bem-aventurança espiritual; êxtase espiritual.
*** Brahman – do sânscrito - O Supremo; O Grande Arquiteto Do Universo; Deus; O Amor Maior Que Gera a Vida. Na verdade, O Supremo não é homem ou mulher, mas pura consciência, além de toda forma. Por isso, tanto faz chamá-Lo de Pai Celestial ou de Mãe Divina. Ele/Ela é Pai-Mãe de todos.
**** Viagens Espirituais – experiências fora do corpo, viagens fora do corpo, projeções da consciência, desprendimentos extrafísicos, projeções extrafísicas.
***** Enquanto eu editava essas linhas, rolava aqui no meu som o CD “All That Echoes”, do vocalista americano Josh Groban. Então, deixo, na sequência, os links para as cinco músicas que mais aprecio nesse disco.
- “Brave” – link
- “Falling Slowly” – link
- “She Moved Through the Fair” – link
- “The Moon is a Harsh Mistress” – link
- “Happy im my Heartache” - link

Obs.: Como complemento a esses escritos, deixo, na sequência, um texto do inspirado escritor, poeta e compositor indiano Dilip Kumar Roy, onde ele fala de um diálogo místico entre Mãe e Filho.

“Filho:
Vou agora dormir, embalado pelo teu amor,
Me esquecendo, por inteiro, daquilo que é fútil.
Ouvi, afinal, o teu distante chamado;
Sem teu sonho não há esperança,
Nem alegria para os corações.

Mãe:
Venha, venha a mim; cantar-te-ei...
Meu doce acalanto.
E tua dor curarei com a água do céu.
Por ti espero no portal celeste...
Pelo qual te fiz ansiar e chorar.

Filho:
Nunca soube que minha vida...
Encherias de luz e de dádiva,
Ó, Mãe minha!
E que a divina graça me propiciarias.

Mãe:
Mas, eu sabia o que era preciso.
E dia e noite fiquei junto a ti...
Para ajudar-te, filho das minhas entranhas!
Agora, rompes a escuridão...
E teus direitos naturais reclama.”


estamos online

Compartilhe

Facebook   E-mail   Whatsapp

starstarstarstarstar
O artigo recebeu 77 Votos

Gostou?   Sim   Não  

Leia Também

Luz e Sementes Conscienciais - Partes 1 e 2




Sobre o autor
wb
Wagner Borges é pesquisador, conferencista e instrutor de cursos de Projeciologia e autor dos livros Viagem Espiritual 1, 2 e 3 entre outros.
Visite seu Site e confira a entrevista.
Email: eippb@uol.com.br
Visite o Site do Autor

Veja também
artigo Você está pronto para o risco?
artigo Tempo
artigo Pressão emocional como forma de abuso
artigo Dicas para melhorar a Energia


As opiniões expressas no artigo são de responsabilidade do autor. O Site não se responsabiliza por quaisquer prestações de serviços de terceiros.

auravide

 

Voltar ao Topo

Siga-nos


Somos Todos UM no Smartphone
Google Play


© Copyright 2000-2021 SomosTodosUM - O SEU SITE DE AUTOCONHECIMENTO. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade - Site Parceiro do UOL Universa