Autoconhecimento Autoajuda e Espiritualidade
 
auravide auravide

Momento

por Saul Brandalise Jr.
Publicado dia 28/04/2003 11:39:03 em Espiritualidade

Compartilhe

Facebook   E-mail   Whatsapp

Estava caminhando pela praia de Zimbros, no litoral Catarinense, meditando e pensando nas minhas atitudes, meus amores, minha vida...

Repentinamente percebo no chão uma concha linda, diferente, muito colorida e de aspecto bastante singular. Seria considerada, fatalmente, como uma raridade. Peguei-a e ao examina-la pude perceber que se tratava realmente de algo muito especial. Fiquei imaginando o que poderia fazer com ela:

Coloca-la próxima de meus livros prediletos, no meu escritório de Zimbros...
Deixa-la bem à vista, na minha fonte com chafariz, local que gosto de apreciar os peixes e que fica em Toledo...
Leva-la para meu escritório em Florianópolis...
Dá-la de presente para minha mãe...

Pensei e pensei, mas na realidade o que mais gostei foi de tê-la achado. Como estava caminhando não quis leva-la comigo. Na volta eu pego, pensei. Coloquei-a próxima a uma pedra, relativamente escondida para que outra pessoa não pudesse encontra-la e retornei à minha caminhada. Antes porém, marquei bem o local e percebi que se tratava de um ambiente muito bonito. Pedras, algas, plantas, conchas de mariscos e ostras cujos habitantes já haviam abandonado suas moradas...

Caminhei alguns minutos mais e, já um pouco cansado, resolvi voltar. Quando cheguei ao local em que havia deixado a concha qual não foi a minha surpresa em perceber que tudo tinha mudado. A maré havia subido e a pedra que servia de referência para o local da concha estava submersa. Com algum esforço consegui descobri-la e mergulhando fiquei ainda mais surpreso: minha concha havia sumido... O mar em seus movimentos tinha afastado a minha preciosidade de lugar. Não consegui acha-la.

No dia seguinte, com a maré baixa, voltei ao local mas, apesar de busca, novamente não consegui encontrá-la.

Nossa vida é assim mesmo. Quantos tesouros são perdidos por não lhes darmos o devido valor? Quantas oportunidades passam, por acharmos que mais tarde faremos? Quantas “conchas” são desperdiçadas em nossas vidas porque vamos utiliza-las em outra oportunidade?
Não permita que sua concha vá embora. Dê a ela o seu devido valor...

Ainda nos veremos...
Beijo na alma.



estamos online

Compartilhe

Facebook   E-mail   Whatsapp

starstarstarstarstar
O artigo recebeu 1 Votos

Gostou?   Sim   Não  



Sobre o autor
saul
Saul Brandalise Jr. é colaborador do Site, autor do livro: O Despertar da Consciência da editora Theus, onde mostra através das narrativas de suas experiências como extrair lições de vida e entusiasmo de cada obstáculo que se encontra ao longo de uma vida.
Email: [email protected]
Visite o Site do Autor

Veja também
artigo Quando a economia vai melhorar? Júpiter em marcha direta irá ajudar?
artigo Porque vínculos traumáticos abusivos são difíceis de romper?
artigo Kyudo 2
artigo Babaji - O padrinho espiritual secreto








horoscopo



As opiniões expressas no artigo são de responsabilidade do autor. O Site não se responsabiliza por quaisquer prestações de serviços de terceiros.

auravide

Voltar ao Topo

Siga-nos


Somos Todos UM no Smartphone
Google Play


© Copyright 2000-2020 SomosTodosUM - O SEU SITE DE AUTOCONHECIMENTO. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade - Site Parceiro do UOL Universa