auravide auravide

Sinto muito! Te amo!


Muitas pessoas me pediram mais informações sobre como usar o Ho’oponopono... se pode ser usado para determinadas situações... e como deve ser feito... Então vou contar mais um pouco da minha experiência com essa técnica havaiana que é extremamente libertadora.
Na verdade... desde que recebi um e-mail, que considero abençoado, com o Ho’oponopono, comecei a realizá-lo e desde a primeira vez me encantei com os resultados. A chave é a gente assumir total responsabilidade por tudo que nos acontece e a partir daí entender que também podemos dissolver os padrões que atraem essas situações para nossas vidas. O que nos aparece fora é só um reflexo do que está dentro.

Ao entender que somos responsáveis por tudo aquilo que nos acontece, isso nos dá uma chave preciosa de libertação, uma vez que se fomos nós que criamos, em algum nível aquela experiência, também podemos liberá-la. Nunca estamos na dependência do outro, a não ser que queiramos manter a postura de eternas vítimas de tudo que nos acontece.
Recebi de uma amiga esse texto que achei muito apropriado e que facilita entendermos como tudo está dentro... e a não fugirmos das situações, passando a encará-las de frente.

Uma das coisas que te apercebes quando observas a natureza do eu é que aquilo que fazes e o que te acontece são a mesma coisa.
Ao te aperceberes que não existes separadamente de tudo o mais, percebes o que é a responsabilidade: és responsável por tudo o que experimentas.
Não podes voltar a dizer, “Ele enfureceu-me” Como é que ele pôde enfurecer-te? Só tu podes enfurecer-te. Compreender isto faz mudar o modo de te relacionares com o mundo e de lidares com a tensão. Então apercebes-te que a tensão, que em geral tem a ver com separação, é criada pelo processamento mental das tuas experiências. Sempre que surge uma ameaça, um contratempo, um entrave, a nossa reação imediata é rejeitar, é prepararmos-nos mentalmente ou fisicamente para lutar ou fugir. Se te tornas no bloqueio - no medo, na dor, na cólera - e o vives plenamente, sem julgares ou sem fugires, deixando-o ir, deixa então de haver bloqueio. Na realidade não há maneira de saíres dele; não podes fugir. Não há nenhum lugar para onde fugires, não há nada donde fugires: és tu.

John Daido Loori

Na prática, o que faço é sempre que algo ou alguém me incomoda, eu me lembro que se atraí aquilo para a minha realidade... se me deixei afetar por aquilo, é porque eu tenho dentro de mim uma parte da qual aquilo é um reflexo.
Por exemplo: Se uma pessoa me julga ou rejeita ou é agressiva comigo, ao entender que de alguma forma aquilo está dentro de mim e é o que atrai as situações externas, eu logo uso o Ho’oponopono.

Se posso me deitar e relaxar, faço isso imediatamente, se não puder, faço onde estou...
Falo mentalmente Sinto muito! Te amo! Muitas vezes... muitas vezes.

Geralmente quando somos afetados por alguma situação desagradável, pode acontecer de sentirmos um aperto no peito ou na garganta... ou outro desconforto qualquer. Eu costumo sentir esse aperto no peito e é incrível que à medida que vamos falando “Sinto muito! Te amo!” a sensação desagradável vai diminuindo... até desaparecer... e vem uma sensação muito boa... uma ampliação onde antes havia opressão.

Ho’oponopono funciona de forma que não precisamos pensar sobre o que estamos liberando, não passa pela razão, seria como se uma borracha fosse apagando os nossos padrões inconscientes que ficam repetindo-se o tempo todo como um filme.

Segundo Mabel Katz, no livro o “El camino más fácil” é bom fazer sempre... mesmo sem um motivo aparente.
“Lo esencial es practicar este método lo más posible, inclusive cuando parece que no está pasando nada, o que uno no tiene ningún problema. ¿Por qué? Porque la mente toca las grabaciones todo el tiempo. Repite permanentemente los programas que tenemos grabados aunque no estemos conscientes de ello”.

Uma vez me lembro que tinha uma determinada situação que estava me incomodando, que não era ligada a nenhuma pessoa em especial, era mais referente a uma parte da minha vida que não estava fluindo muito bem. Então me deitei e falei que queria curar aquela situação... e imaginando que ela estava dentro de mim comecei a falar Sinto muito! Te amo!.... No dia seguinte teve uma solução tão inesperada que quase não acreditei. O Universo me trouxe exatamente o que eu mais precisava naquela hora e me mostrou a origem do porque estava passando por aquilo, em um sonho que se confirmou em uma mensagem de e-mail que veio na manhã seguinte.

Algumas vezes, enquanto estou fazendo em estado mais relaxado, vejo cenas e passo por experiências, que eu observo entendendo que estão sendo liberadas pela Luz do perdão e do amor.

Sinto muito! Te amo!
Sinto muito! Te Amo!
Sinto muito! Te amo!



estamos online

Gostou?   Sim   Não  
starstarstarstarstar Avaliação: 5 | Votos: 2




Rubia A. Dantés é Designer, cria mandalas e ilustrações em conexão...
Trabalhos individuais e em grupo, com o Sagrado Feminino, o Dom e o Perdão...
Visite o Site do Autor


Veja também

As opiniões expressas no artigo são de responsabilidade do autor. O Site não se responsabiliza por quaisquer prestações de serviços de terceiros.

auravide

 

Voltar ao Topo

Siga-nos


Somos Todos UM no Smartphone
Google Play


© Copyright 2000-2021 SomosTodosUM - O SEU SITE DE AUTOCONHECIMENTO. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade - Site Parceiro do UOL Universa