auravide auravide

Uma ampulheta azul


Eu sei que posso entregar o controle de tudo ao Universo pelas muitas vezes que já tive provas, mais que reais, de como essa força tem o poder de me colocar sempre no lugar certo e na hora certa...

Quando passei um tempo com minha filha... que mora fora do Brasil... faz pouco mais de um ano... aluguei um apartamento onde, uns 25 relógios... insistiam em me mostrar a hora...
Comprei uma ampulheta de areia azul... e ficava observando encantada a forma de oito do infinito... o movimento da areia azul de um lado para o outro... ficava distraída fantasiando que... de um lado era o passado... do outro o futuro... e só naquele ponto central onde a areia, por um momento... passa de um lado para o outro... só ali... naquele exato momento... é o eterno presente... o único tempo onde podemos agir... onde temos a liberdade de sair da prisão do tempo linear...

Ficava viajando na areia azul... enquanto, me perguntava:
O que estou fazendo num lugar com tanto relógio?
Que hora era essa que estava chegando? O que o Universo estava querendo me mostrar com isso?

E como se não bastasse tanto ponteiro e marcador de tempo juntos... minha filha ainda me dá de presente um despertador que fazia um tic tac muito alto...

Quando retornei... uma amiga me conta de uma série sobre os Maias, onde, em um dos programas eles falam da ampulheta... do oito do infinito... fazendo uma relação da ampulheta com o passado futuro e presente... Eu escuto tudo encantada e conto pra ela da coincidência de também ter comprado uma ampulheta e ter viajado nessa idéia...

Então... alguns dias depois essa amiga me telefona do mercado falando que encontrou uma linda ampulheta de areia azul... de tamanho maior.... e me perguntou se eu queria que ela comprasse pra mim...
Eu mais que depressa quis... Mas o tempo passou... e eu não encontrei essa amiga pra pegar a ampulheta e até esqueci que tinha uma...

E o mesmo tempo me mostrou o que estava querendo dizer com tanto relógio... me mostrou a hora que ele estava querendo marcar... que seria definitiva pra minha história... mas essa é uma história que é muito particular...

Mas como tudo na vida está interligado e só aos poucos vamos vislumbrando partes das ligações... recentemente, mais uma vez, entendi como essa grande teia de luz nos coloca sempre onde temos que estar e nos dá os sinais pra entender...
Algumas pessoas tem me pedido pra ensinar o que eu sei sobre o calendário Maia... então resolvi fazer um encontro pra isso.

Num sábado... olhando o calendário, achei que um dia bom pra começar seria na próxima terça feira, dia de lua cheia... Pedi orientação aos Maias e senti que esse era um dia bom...
Como só poderia confirmar se o local estaria disponível na segunda feira, imaginei que não seria possível reunir as pessoas, avisando com só um dia de antecedência... Muitos já teriam marcado outros compromissos.
Mas, me dispus a estar lá com qualquer número de pessoas ou mesmo sozinha... porque sentia que esse era o dia certo pra estar começando o trabalho... e entreguei o controle ao Universo

Na segunda feira quando telefonei para o meu amigo, dono do espaço onde seria o encontro, ele me fala que tinha uma ampulheta pra me entregar... que aquela amiga deixou com ele faz tempo...
Me lembrei da ampulheta de areia azul e fiquei super feliz porque entendi como um sinal dos Maias confirmando que aquele era mesmo o dia certo...
Confirmado o local comecei a ligar pras pessoas que tinham me pedido e... pra minha surpresa... todas estavam disponíveis e iriam.

Na terça feira... pouco antes da hora que marquei... começou uma chuva forte com muitos trovões... Eu fiquei feliz porque adoro os seres trovão... e sinto uma ligação forte com eles... com a chuva... o vento... e feliz porque a terra estava mesmo precisando de chuva...
Mas... Como não chovia faz tempo... a cidade ficou um verdadeiro caos... as luzes apagaram em alguns pontos... o trânsito ficou um loucura... e a minha mente racional logo imaginou que muitas das pessoas não iriam mais...

Quando chegamos... eu e duas amigas, o prédio estava sem elevador por causa da falta de luz... e tivemos que subir 8 andares de escada...
Apesar de todas as aparentes impossibilidades do tempo e da chuva, só duas pessoas não puderam ir... mas... duas pessoas que não esperava... foram ao encontro... e uma delas tinha a assinatura Galáctica igual ao Kin daquele dia - Terra Ressonante Vermelha.
Éramos 11 pessoas e eu coloquei a ampulheta no centro da sala junto com os selos Maia e comecei esse trabalho...

Chegando em casa contei quantos minutos a areia azul demorava pra passar de um lado para o outro da ampulheta... e mais uma vez entendi a presença dos Maias...
A areia demora 11 minutos... foram 11 pessoas... meu tom é o 11 e o meu selo é azul (sou águia espectral azul).
E também fiz a ligação dos 8 andares que subimos com o 8... símbolo do infinito que é a forma da ampulheta...

Os caminhos que posso criar com o uso racional da minha mente são muito limitados...
Por isso... cada vez mais entrego o controle e me deixo guiar pelo Universo... sabendo que estou caminhando para o que minha alma quer.


estamos online   Facebook   E-mail   Whatsapp

Gostou?   Sim   Não  
starstarstarstarstar Avaliação: 5 | Votos: 1


rubia
Rubia A. Dantés é Designer, cria mandalas e ilustrações em conexão...
Trabalhos individuais e em grupo, com o Sagrado Feminino, o Dom e o Perdão...
Visite o Site do Autor

Saiba mais sobre você!
Descubra sobre Espiritualidade clicando aqui.


Veja também

As opiniões expressas no artigo são de responsabilidade do autor. O Site não se responsabiliza por quaisquer prestações de serviços de terceiros.


 

Voltar ao Topo

Siga-nos


Somos Todos UM no Smartphone
Google Play


© Copyright 2000-2022 SomosTodosUM - O SEU SITE DE AUTOCONHECIMENTO. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade - Site Parceiro do UOL Universa