auravide auravide

Viajando nas ondas da gratidão com o Rabi

por Wagner Borges
Publicado dia 07/08/2008 17:34:56 em Espiritualidade

Compartilhe

Facebook   E-mail   Whatsapp

(Quando a Cheia do Amor Transborda do Eterno ao Coração dos Homens)

(Mestre) Rabi(*), mais uma vez, obrigado pela Luz que chegou aqui.
Não tenho palavras para agradecê-Lo por tantas coisas boas e por tanta paciência comigo em todos esses anos.
Eu senti e vi a ação invisível de Suas hostes de benfeitores extrafísicos.
Sabe... Você tocou meu coração, por muitas vezes. Mas nem sempre eu senti o toque!
Em outras vezes, eu não tinha maturidade para compreender o que rolava.
Só sei que algo mudava!
Às vezes, revoltado, eu negava o Céu em mim mesmo.
Muitas vezes, tentei congelar o amor e secar a fonte dos meus sentimentos.
Porém, como apagar o brilho de uma estrela no coração?
Como bloquear um sol de amor incondicional?
Como evitar a explosão da Luz erradicando as trevas do meu peito?
Bobo, tentei frear Sua ação transformadora em mim.
No entanto, minhas comportas emocionais ruíram fragorosamente, e a cheia do Amor me inundou completamente.
Então, eu vi Você rindo dentro de mim. E Você me disse, ternamente:

“Se o Amor remove montanhas, imagine o que ele pode fazer dentro de um homem?
Medite na cheia da Luz do Amor transbordando de seu coração, e agradeça ao Pai celestial por todas as dádivas. Tudo emana d’Ele.
Ele é o verdadeiro Poder. É a Fonte Imanente.
A Grande Riqueza, que os homens esquecidos não percebem, é a Luz d’Ele no coração.
Preenchido do Amor d’Ele, compartilhe-O com seus irmãos de viagem espiritual, de aprendizados, provas e aspirações.
Bem-Aventurados os que conseguem ver o Amor d’Ele em todos os corações.
Felizes e serenos são aqueles que transcenderam as noções egoísticas de “eu” e de “meu”, e que viajam pelos mundos transbordantes de Amor e abençoando aos viajantes caídos do caminho e aos pequenos e esquecidos.
Bem-Aventurados os que são capazes de perdoar e recomeçar...
Na cheia da Luz do Amor, o coração canta o Divino.
Ricos são os que escutam tal maravilha e agradecem em nome do senhor de todos os mundos e seres”.

Jesus, amigo dos homens, outrora eu não escutava essa canção maravilhosa, mas, agora, meu coração escuta, e agradece, por tudo.
Hoje, mais uma vez, eu senti e vi o invisível imanente.
E a cheia do Amor novamente aconteceu.
Então, permita-me compartilhar um pouco dela com as pessoas aqui presentes, encarnados e desencarnados, terrestres e extraterrestres.
Permita-me dizer a todos, com alegria, que sua Luz chegou aqui e foi percebida com respeito e agradecimento.
E que, depois de tantos “eus” e “meus”, agora eu sei que tudo é d’Ele, O Grande Arquiteto Do Universo, senhor de todos os mundos e seres.
Tudo é Ele! Tudo é Ele! Tudo é Ele!
(O TODO - expressão hermética para designar o Poder Absoluto que está em tudo. O Supremo, O Grande Arquiteto Do Universo, Deus, O amor Maior Que Gera a Vida. Na verdade, O Supremo não é homem ou mulher, mas pura consciência além de toda forma. Por isso, tanto faz chamá-lo de Pai Celestial ou de Mãe Divina. Ele é Pai-Mãe de todos.) O Todo(*) está em tudo.

P.S.: Esses escritos foram feitos enquanto eu estava no IPPB, pouco antes de uma palestra pública sobre as experiências fora do corpo, para tomar uma sessão de acupuntura, pois machuquei o meu braço e o mesmo estava doendo muito, além de eu estar com o sono e o apetite alterados por causa do remédio antiinflamatório que vinha tomando (até emagreci essa semana, por não conseguir me alimentar bem, fora a sonolência absurda).
O acupunturista me atendeu gratuitamente, e fez com tanto coração e admiração, que o efeito das agulhas foi intenso e rápido, trazendo-me alívio e leveza física.
Um pouco antes dele chegar, peguei um livro contendo o essencial dos ensinamentos de Jesus e li algumas partes (o livro é “Jesus - Ensinamentos Essenciais”, de Anthony Duncan, publicado no Brasil pela editora Cultrix). E aí desceu uma inspiração celeste em meu coração e a vontade de escrever um agradecimento ao Alto, mesmo depois de dias doloridos e solitários, isolado em casa e sem poder deitar ou levantar direito por causa da dor na hora dos movimentos e sem comer adequadamente (coisa que solta minha sensibilidade de forma absurda. Quanto mais baixo o meu metabolismo, mais eu vejo os outros planos e a energia das pessoas).
E eu falei para o Vítor: “Cara, está descendo um texto em meu coração. Bastou ler um trechinho de Jesus para ligar-me ao Alto. Pena que o acupunturista está chegando agora e não há tempo para escrever. Vamos ver se depois da sessão eu ainda consigo essa mesma inspiração”.
Após a sessão, fechei os olhos e ergui os pensamentos ao Alto, na intenção daquele homem simples e amoroso que havia me atendido com admiração e respeito. Agradeci a ajuda que me havia sido dada e me senti fortalecido.

Faltando dez minutos para o início da palestra (como sempre, cheia e com muito falatório e agitação dos presentes - cerca de 200 pessoas), sentei-me junto à mesa do salão e resolvi escrever. Fechei os olhos e abri o coração, pedindo para, mais uma vez, ser aquele canal espiritual e humano sadio, a favor de todos. E aí o texto desceu inteiro em meu coração e eu fiquei novamente cheio daquela gratidão que dinheiro nenhum do mundo paga e que poucos compreendem.
De fundo, tocava uma linda música do Jon Anderson, vocalista do Yes (“Watching the Flags That Fly”).
Depois, pedi ao pessoal para fechar os olhos e li o texto para todos. Nem precisa dizer que a choradeira foi geral (não aquele choro vagabundo das emoções medíocres, mas o choro que alivia o coração e eleva o espírito). E ficou um clima maravilhoso no salão.

Agora estou digitando os escritos, que são até bem simples, mas estão cheios daquela luz que não é daqui, mas que é capaz de renovar as energias da consciência e tocar outros corações na mesma harmonia e encantamento.
Bom, aqui está o texto. É um presente de luz, para quem souber captar o espírito que viaja junto com as palavras.

Paz e Luz.
Agradecimento e Admiração.

(Esses escritos são dedicados aos meus amigos Vítor Hugo França, Karla Bruscatto, Cristina Puriquima, Eberrart, Ana Lahis Tano, Wesley alquimista, Ana Matsui, Thaís Nemoto Matsui, Fernanda Lopes, Cláudia Oreone, Maria de Fátima, de Salvador, Leo e Marisa, de Jundiaí, e Vítor, acupunturista.
Que a Luz do Rabi irradie o Grande Amor em seus caminhos, sempre...)

São Paulo, 27 de julho de 2008.
Wagner Borges
(sujeito com qualidades e defeitos, espiritualista que não segue nenhuma doutrina criada pelos homens da Terra, sejam elas orientais ou ocidentais; mestre de nada e discípulo de coisa alguma, cheio de gratidão, por tudo).


estamos online

Compartilhe

Facebook   E-mail   Whatsapp

starstarstarstarstar
O artigo recebeu 1 Votos

Gostou?   Sim   Não  



Sobre o autor
wb
Wagner Borges é pesquisador, conferencista e instrutor de cursos de Projeciologia e autor dos livros Viagem Espiritual 1, 2 e 3 entre outros.
Visite seu Site e confira a entrevista.
Email: [email protected]
Visite o Site do Autor

Veja também
artigo Não se trata do que eu devo nem do que eu quero...
artigo Infeliz
artigo O sagrado
artigo Tenha uma vida afetiva abundante


As opiniões expressas no artigo são de responsabilidade do autor. O Site não se responsabiliza por quaisquer prestações de serviços de terceiros.

auravide

 

Voltar ao Topo

Siga-nos


Somos Todos UM no Smartphone
Google Play


© Copyright 2000-2020 SomosTodosUM - O SEU SITE DE AUTOCONHECIMENTO. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade - Site Parceiro do UOL Universa