Somos Todos UM - HOME
O seu Portal de Autoconhecimento e Espiritualidade


Você racionaliza suas emoções?  
Home > Espiritualidade

Você racionaliza suas emoções?

por Silvia Malamud


Tenho uma questão que muitas vezes me remete a algumas dúvidas, sobre alguns estados emocionais de aparente “equilíbrio”. Você sabe perceber a diferença entre não ser tomado tanto por suas próprias emoções como pelas dos outros e racionalizar as emoções?

Penso que ao racionalizarmos emoções estamos nos encaminhando para o sentido oposto da busca do prazer consciente e do autoconhecimento. Penso também que a mente deve servir para ler os conflitos do psicossoma e para buscar uma elaboração/vida e não para decifrá-los racionalmente com a intenção de esfriá-los ou negá-los. Isso seria o mesmo que negar aspectos de nossas existências que por algum motivo estão pedindo passagem para ter algum tipo de expressão e significação pessoal. Podemos negar assuntos nossos contando para nós mesmos uma história de emocionalidade que pode estar funcionando como um mecanismo de defesa frente a um possível medo. Esse tipo de atitude, porém, acaba nos afastando de nós mesmos, gerando uma espécie de amortecimento da vida. E no local dentro de nós, onde a vida amortece, permanecemos congelados, sem razão para existir, sendo sempre os mais prejudicados.

Deixando de existir nesses lugares, ausentamo-nos de nos percebermos de modo mais abrangente, posto que o que está no ar, ou seja, em nível mental, dificilmente trará um universo de significações como a própria experiência quente da vida pode trazer em meio a todas as suas nuances de cores. Só quando entramos de modo profundo e lúcido em contato com o que sentimos, é quando de verdade nos implicamos em nosso existir, nas experiências/vida, no quente. É aqui, onde nos permitimos experienciar de modo consciente emoções e sentimentos, que podemos ter referências concretas sobre quem ou o que somos para nós mesmos.

Bancar ações conscientes pode promover um universo de significações pessoais que nos devolvem a sensação plena e coesa do existir com mais apropriação de um si mesmo, que se fortalece tanto na dor, como no prazer.

- É sentindo que se vive.

Ficar em suspenso, só racionalizando, pode nos deixar num estado de se "sentir" superior à raça humana, que frequentemente se deixa levar pelas emoções sem pensar, (que também é fato!), como conseqüência desta lente perceptiva de realidade, por vezes acaba-se percebendo tudo de modo enfadonho, achando toda essa historia de viver uma grande bobagem. Essa lente perceptiva de realidade por vezes pode gerar um estado de apatia, posto que deste modo a vida acaba em si mesmo à medida que ela efetivamente não acontece em sua plenitude.
Racionalizar sentimentos não quer dizer que nos conhecemos, pode ser apenas um indicador de que somos pessoas com medo de viver, travestidas de prudentes.

Pode ser que tenhamos medo de nos conhecermos em determinadas situações que julgamos a priori difícil de saber lidar. Então ‘não entramos em contato’, a vida passa e nós ficamos presos nesta malha contando para nós mesmos uma história de que o que se passa dentro de nós não deve, nem merece, ser levado a sério (quem é que não estamos levando a sério?).
Negamos a nós mesmos por medo de ter que lidar com situações que de qualquer modo já se fazem presentes nos incomodando. Quer seja para o prazer ou para a dor, existe medo do movimento que pode gerar este tipo de autoconhecimento.

Praticar esportes é muito bom, assim como buscar conhecimento e fazer meditação também, ou fazer o que quer que seja que nos dê prazer, mas mesmo tendo uma postura saudável nesta ordem, isso não quer dizer que estamos vivendo plenamente.
Entrar em contato com as emoções e saber lidar com elas sem fugir interpretando-as de modo racional e principalmente sem tentar negá-las, na certa nos coloca num lugar/vida de autoconhecimento e prazer diferenciado.

Compartilhe


Silvia Malamud é colaboradora do Site desde 2000. Psicóloga Clínica, Terapias Breves, Terapeuta Certificada em EMDR pelo EMDR Institute/EUA e Terapeuta em Brainspotting - David Grand PhD/EUA.
Terapia de Abordagem direta a memórias do inconsciente.
Tel. (11) 99938.3142 - deixar recado.
Autora dos Livros: Sequestradores de almas - Guia de Sobrevivência e Projeto Secreto Universos
Visite seu Site
Email: malamud.silvia@gmail.com
Visite o Site do Autor

Deixe sua opinião sobre este artigo

© Copyright - Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução dos textos aqui contidos sem a prévia autorização dos autores.
As opiniões expressas neste artigo são da responsabilidade do autor. O Stum não se responsabiliza por quaisquer prestações de serviços de terceiros, conforme termo do Site.
 
Energias para Hoje
terça-feira, 24 de abril de 2018


energia
I-Ching: 54 - KUEI MEI – A JOVEM QUE SE CASA
Evite qualquer decisão ditada pela paixão.


energia
Runas: Tiwaz
Remoção de obstáculos, vitória através de lutas.


24
Numerologia: Equilíbrio
Procure estabelecer um ritmo harmônico em sua vida, evite precipitações e correrias e arrume tempo para dedicar-se aos que ama dialogue, faça trocas pratique a compreensão.
 
 
Horóscopo da Semana
Áries Áries Libra Libra
Touro Touro Escorpião Escorpião
Gêmeos Gêmeos Sagitário Sagitário
Câncer Câncer Capricórnio Capricórnio
Leão Leão Aquário Aquário
Virgem Virgem Peixes Peixes
 

+ Lidos da Semana anterior
1. 3 sugestões muito simples para diminuir a angústia e a ansiedade!
2. Como fazer um homem ficar obcecado por você...
3. Aceite-se como Você é!
4. As Profecias de Chico Xavier
5. Limão para tratar o Sistema Digestivo
6. Vamos ver o que virá...
7. Para mudar, mude seus pensamentos!
8. Está na hora de pensar naquilo que tem valor para você!


 
Voltar ao Topo
Siga-nos
Facebook Twitter Instagram Gogole Plus Youtube
© Copyright 2000 - 2018 Somos Todos UM - O SEU SITE DE AUTOCONHECIMENTO. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS - Política de Privacidade