auravide auravide

Autodescoberta pela Grafologia - Parte 3

por Ana Cecília Amado Sette
Autodescoberta pela Grafologia - Parte 3
Publicado dia 17/03/2011 15:12:58 em Psicologia

Compartilhe

Facebook   E-mail   Whatsapp

Ordem e distribuição do espaço gráfico

Neste tópico, vamos estudar a maneira como a pessoa organiza sua escrita na página. Um manuscrito bem apresentado tem a ver com a clareza na organização da página, dos parágrafos, da pontuação, da presença ou não de manchas de tinta, borrões e, ainda, com a disposição do texto na folha e com as margens direita, esquerda, superior e inferior.

De um modo geral, a ordem e a distribuição do espaço gráfico de um texto fornecem informações sobre a organização e a nitidez do pensamento do autor, sobre o seu sentido de ordem interna, a capacidade de organização e de planejamento e do seu relacionamento com os outros

Os subgêneros da ordem, assim como os demais subgêneros, devem ser sempre interpretados dentro de um determinado contexto: positivo ou negativo e nunca isoladamente.
Espaços: entre linhas, palavras e letras.
Disposição: clara, confusa, concentrada, espaçada, ilegível, invasiva.
Margens.

Disposição da grafia na página

Clara e harmoniosa
Quando as letras não se misturam, são proporcionais, bem distribuídas no papel, com boa separação entre letras, linhas e palavras, a forma é clara e organizada. Existe bom ajuste do texto, boa execução e organização; é simples e espontânea. Ausência de retoques, borrões, emendas.

Se a grafia for positiva, o autor é organizado e sabe distinguir o espaço dele com o do outro. A razão dirige a imaginação. Suas tarefas são realizadas com ordem, precisão e, geralmente, sabe planejar e estruturar sua vida de forma lógica e coerente. Demonstra clareza de espírito, simplicidade e transparência comportamental.

Se a grafia for negativa, pode denotar que o autor é detentor de inteligência medíocre ou convencional, está acostumado a seguir com disciplina os hábitos de ordem e organização aprendidos sem nada criar ou modificar. Prefere seguir o experimentado a se arriscar, sendo assim, pouco acrescenta ao que já existe. Visão estreita e simplista.

Grafia clara e harmoniosa, legível e com bons espaços entre linhas, letras e palavras


Confusa
A distribuição das palavras, linhas e espaços é bastante deficiente, elas se chocam, entrelaçam e se misturam. A escrita avança no papel de modo descontínuo e desordenado. A confusão espacial mostra que podemos ocupar espaços indevidos, desconhecemos a hora ou avançamos de maneira imprópria os “espaços psicológicos e territoriais” dos demais.

Em sentido geral, o autor tende a ser ingênuo, temperamental ou sugestionável. Pode ser confuso, com tendência a dissimular, ou com falta de prudência e pudor. Suas tarefas são realizadas sem método ou organização, além disso, tem dificuldade para distribuir o tempo e a energia.



Concentrada
Os espaços entre as linhas, letras e palavras são bem apertados.

Em sentido positivo, o autor tem boa capacidade para se concentrar e adequado ao aproveitamento do tempo. Tem necessidade de estar sempre unido com as pessoas e objetos que se relaciona cotidianamente. Pode revelar também prudência, introversão, economia, seriedade ou discrição.

Em sentido negativo, tem necessidade de economizar, o que pode levar à avareza, tendência a acumular, guardar e colecionar coisas. Pessoa pouco generosa e pode ser mesquinha.




Espaçada
Os espaços em branco predominam no texto, especialmente entre as palavras e as linhas têm mais de três “m”.

Em sentido positivo, o autor tem necessidade de liberdade e de espaço. Visão ampla das coisas. Prefere ambientes amplos, arejados, alegres, animados. Boa capacidade para elaborar projetos em longo prazo. Bondade natural, mas com precaução. Largueza de idéias e de sentimentos e necessidade de se isolar. Gosto pela vida folgada

Em sentido negativo, o autor carece de bom senso e reflexão. Reflete pessoa ingênua, sugestionável, com tendência a gastar tempo e dinheiro de forma inconveniente e com tendência a se isolar dos outros. Fala e opina sem prudência.

Grafia espaçada e ascendente


Invasiva
Quando o traçado tende a invadir todos os limites do campo gráfico e as palavras de uma linha invadem as debaixo.

Em sentido geral, o autor denota uma forte necessidade de falar e ocupar o tempo dos outros, com exclusividade. É uma pessoa invasiva e dominante, com dificuldade para respeitar os espaços alheios



Pense, analise e interprete de que maneira você distribui sua grafia no papel.



estamos online

Compartilhe

Facebook   E-mail   Whatsapp

starstarstarstarstar
O artigo recebeu 2 Votos

Gostou?   Sim   Não  

Leia Também

Autodescoberta pela Grafologia

Autodescoberta pela Grafologia - Parte 2

Autodescoberta pela Grafologia - Parte 4




Sobre o autor
ana
Ana Cecília Amado Sette é especialista em Grafologia, com mais de trinta anos de experiência em aplicação da Análise Grafológica, com ênfase em Seleção de Pessoal.
Atende pessoas e empresas em São Paulo.
Conheça os auto-testes de Grafologia
Email: [email protected]
Visite o Site do Autor

Veja também
artigo Qual é a sua ambição?
artigo Porque estamos novamente falando da Era de Aquário?
artigo O Universo num Corpo Humano
artigo A noite escura, de são joão da cruz


As opiniões expressas no artigo são de responsabilidade do autor. O Site não se responsabiliza por quaisquer prestações de serviços de terceiros.

auravide

 

Voltar ao Topo

Siga-nos


Somos Todos UM no Smartphone
Google Play


© Copyright 2000-2020 SomosTodosUM - O SEU SITE DE AUTOCONHECIMENTO. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade - Site Parceiro do UOL Universa