Autoconhecimento Autoajuda e Espiritualidade

Apático (N/Emotivo N/Ativo Secundário)

Apático (N/Emotivo N/Ativo Secundário) Publicado dia 8/17/2000 5:22:13 PM em Psicologia

Compartilhe

Facebook   E-mail   Whatsapp

Sobre o Símbolo: a parte maior do Tao, a roxa Yin, prevalece sobre a masculina Yang, que por sua vez se encontra enfraquecida no exílio. A secundariedade feminina está em sua casa, mesclada e prevalecendo sobre ação e instinto, que estão em polaridade oposta sobre o lado de base. Mansuetude e harmonia interior prevalecem, gerando insegurança e incerteza quando os seres deste tipo são forçados a assumir papeis de grande responsabilidade ou destaque. A parte roxa não forma a "mão que sustenta" com firmeza o lado esquerdo amarelo.

Sobre o tipo Apático: Fechados, secretos, concentrados neles mesmos, mas sem vida interior vibrante. Tristes e taciturnos, raramente riem. Escravizados aos próprios hábitos, mostram-se conservadores. Obstinados em suas inimizades, têm dificuldade em se reconciliarem. Calados por natureza, amam a solidão. Se bem que Indiferentes à vida social, são, entretanto, geralmente honestos, verazes, dignos. Valor dominante: a tranqüilidade.

Os NÃO-EMOTIVOS NÃO-ATIVOS SECUNDÁRIOS, ou PLÁCIDOS

A presença da Secundariedade vai ainda atenuar a hipotonicidade geral do não-emotivo não-ativo. Ë, pois, da hipovitalidade que vamos tratar aqui; daí as denominações de apáticos ou de calmos atribuídas a esses indivíduos. Poder-se-ia também, pois os termos seriam mais exatos, falar de plácidos ou mesmo de indiferentes. O menos negativo destes dois últimos termos parece ser plácido, e é finalmente o que adotaremos.
O traço dominante desse tipo poderia perfeitamente ser o desinteresse geral. Pouco atraído pela ação, tampouco o é pela vida interior e ainda menos pelo comércio dos outros. Tranqüilidade e solidão são suas duas maiores aspirações. Entretanto tem necessidades como todo o mundo, e se estas não são satisfeitas, experimenta um sentimento de inveja em relação àqueles que são mais favorecidos do que ele.
Sabe, quando é preciso, tirar proveito de seu aspecto um pouco sofredor para comover os outros e conseguir deles o que lhes custaria muito obter pelos próprios meios.
Sabendo poupar forças, observa com atenção as menores falhas de seu organismo e cuida-se zelosamente, tanto e tão bem que sobrevive muitas vezes aqueles que o cercam e que tiveram uma vida menos cuidadosa.
Suas ambições são limitadas ou inexistentes. No plano profissional, contenta-se com funções modestas, e a monotonia das tarefas lhe convém perfeitamente.
É homem de hábitos, pois o hábito é um meio econômico de viver.
O medo de passar privações e o temor de não bastar a sua subsistência, levam-no à economia ou até mesmo à avareza. Em compensação, é pouco afetado nas grandes infelicidades e consegue atravessa-las sem grande prejuízo, e isso é o que mais lhe importa.
Pouco sensível ao sofrimento, em decorrência de sua frieza, o "calmo" pode, ao ultrapassar seu egoísmo básico, descambar para a crueldade, e até para o sadismo.
Mas, em condições comuns, causa poucos transtor-nos e a regularidade monótona de sua existência, se não é abalada, basta para contê-lo. O essencial para ele é, aliás, que o deixem em paz.


por Sergio Scabia


Obrigado por votar

O artigo recebeu 1 Votos

Gostou?   Sim   Não  

Compartilhe

Facebook   E-mail   Whatsapp

Consulte grátis

Mapa Astral   Tarot   Numerologia  


Sobre o autor
Sergio Scabia é co-fundador do Site Somos Todos UM
Email: sergio@somostodosum.com.br
Visite o Site do Autor

Veja também
Como fazer alguém gostar de mim?
Faça as pazes com Você


As opiniões expressas no artigo são de responsabilidade do autor. O Site não se responsabiliza por quaisquer prestações de serviços de terceiros.


Voltar ao Topo

Siga-nos


Somos Todos UM no Smartphone
Google Play


© Copyright 2000-2020 SomosTodosUM - O SEU SITE DE AUTOCONHECIMENTO. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade - Site Parceiro do UOL Universa