Autoconhecimento Autoajuda e Espiritualidade
 
auravide auravide

Somos o que pensamos.

Publicado dia 28/07/2000 15:06:43 em Psicologia

Compartilhe

Facebook   E-mail   Whatsapp

Os deuses criam o vivido espelhando a si próprios na realidade.
Em décadas recentes tem ficado claro que as concepções tradicionais - da Psicologia circunscrita ao Ego - a respeito de quem somos, como funcionamos e em que ou no que podemos nos transformar, têm se mostrado cada vez mais insuficientes e limitadas. Uma mudança na própria base epistemológica de nosso pensamento se faz necessária e vem sendo exercida e provada em vida por inúmeros psicólogos que, sedentos por apropriarem-se e aproximarem-se da vida conforme é vivida e dos seres humanos reais em situações naturais fizeram mudanças em seus paradigmas de pensamento, assim como ampliaram seus horizontes existenciais, buscando adequar suas perspectivas e pontos-de-vista às POSSIBILIDADES capacidade humana de se desenvolver e de criar.
O ponto-de-vista, digamos, europeu, tem se mostrado historicamente situado e "bárbaro", no sentido que os antigos romanos davam, ou seja, "parecem não ser capazes de qualquer sentimento". Os antigos modelos e paradigmas não se mostraram "vivos" o suficiente para demonstrar o por quê de sermos homens ou o que significa ser completamente humano na plenitude de nossas possibilidades existenciais. Muito esforço e dedicação de grupos enormes de pensadores da Psicologia veio demonstrar a insuficiência da concepção mecanicista e biológica para a realização da tarefa acima descrita: Os modelos de interpretação do vivido se mostraram ineficientes e insuficientes. É um tremendo desafio tentar chegar às explicações quando somos nós mesmos o objeto de estudo.
Se a teoria não serve para a compreensão dos fenômenos que ela tenta explicar ou deveria representar então... deviamos dizer, dane-se a teoria...
Faz-se necessária uma expansão para além das fronteiras familiares ao ego e para além das dimensões mais convenientes à manutenção do status quo consciente. Nossos modelos explicativos servem para moldar a nossa percepção e nossos pontos-de-vista, tanto quanto para "explicar" o vivido.
O poder avassalador de nossos paradigmas e crenças vem sendo cada vez mais denunciados, sendo que ainda assim os maiores perigos estão ocultos da vista consciente por preconceitos e paradigmas inconscientemente desenvolvidos pelo pensamento coletivo de todas as épocas. Tudo o que percebemos parece comprovar que nossos paradigmas e crenças estão adequados e corretos, quando de fato hoje já sabemos que os modelos de interpretação e os paradigmas são autovalidadores, ou seja, INCONSCIENTEMENTE PERCEBEMOS E INTERPRETAMOS O VIVIDO DE ACORDO COM NOSSOS PARADIGMAS E CRENÇAS.
É como se ao homem fosse dada a enorme responsabilidade de - por assim dizer - criar o mundo em que vive, autovalidando sua experiência a partir da constante repetição e aplicação dos seus paradigmas e crenças mais diletas. Isto se dá no plano individual tanto quanto, ou muito mais, no coletivo.
O paradigma de que há objetividade na ciência e que esta é independente de uma filosofia é hoje motivo de riso em qualquer consciência medianamente desenvolvida.
Todas as teorias (visões) e concepções a respeito de nós mesmos - incluindo os da Psicologia - constituem modelos explícitos ( e, geralmente combinados com outros, apenas implícitos ) a respeito da natureza humana e de suas possibilidades existenciais. A partir de assimilarmos um determinado ponto-de-vista passamos a perceber tudo e todos de acordo com ele, enfatizando, a partir deste fato, alguns elementos do mundo possível de ser percebido ( a que damos validade ) e ignorando ou reprimindo a percepção de outros componentes da mesma experiência ( aos quais negamos validade ).
Se assim acontece no âmbito individual ainda mais isto se verifica no âmbito coletivo, criando algo que poderíamos denominar de "pensamento historicamente condicionado". Este é constituído não apenas por um determinado e vencedor ponto-de-vista mas por um amálgama de crenças e de paradigmas alinhados e estruturados de acordo com sua semelhança e compatibilidade.
Na Psicologia Analítica a descrição do processo formativo de um complexo psíquico, autônomo à consciência de vigília, corresponde exatamente ao modo como se estruturam os nossos paradigmas ( estruturas de crenças ) a respeito de nós mesmos e da existência humana como um todo. A partir da sua constituição e formação os "corpos de crenças" agem como um filtro que seleciona e matiza todo o percebido e todo o vivido; indo muito além, em sua função, da mera censura e repressão.
Concepções e modelos explicativos com base na física tradicional vêm sendo progressivamente abandonados pela física moderna por sua insuficiência em propiciar entendimento e compreensão dos fenômenos observados nos campos vibracional e energético da matéria. As concepções newtonianas continuam a se aplicar sobre o universo "grosso", mas não se aplicam ao universo "sutil" dos átomos. Se temos um corpo energético ou sutil, podemos aplicar nossas conclusões a respeito do vivido sobre o seu peculiar funcionamento ? Que dizer então de nossas concepções de nós mesmos, baseadas e ancoradas apenas no mundo observável ?
Necessitamos de uma "revolução" ( revisão de paradigmas ) equivalente à da Física a partir da teoria da Relatividade e da teoria dos Quanta. Nosso ponto-de-vista sobre nós mesmos e sobre nossas possibilidades existenciais precisa ser relativizado e passar a explicar menos e a compreender mais a dinâmica real da existência.


por Luís Vasconcellos

Consulte grátis
Mapa Astral   Tarot   horoscopo


starstarstarstarstar
O artigo recebeu 1 Votos

Gostou?   Sim   Não  

Compartilhe
Facebook   E-mail   Whatsapp

Sobre o autor
luis
Luís Vasconcellos é Psicólogo e atende
em seu consultório em São Paulo.


Email: [email protected]
Visite o Site do Autor

Veja também
artigo Sabedoria
artigo Quais as deusas que habitam dentro em mim?
artigo Felicidade em suas asas
artigo Coração Ardente II




horoscopo

auravide auravide

As opiniões expressas no artigo são de responsabilidade do autor. O Site não se responsabiliza por quaisquer prestações de serviços de terceiros.

auravide

Voltar ao Topo

Siga-nos


Somos Todos UM no Smartphone
Google Play


© Copyright 2000-2020 SomosTodosUM - O SEU SITE DE AUTOCONHECIMENTO. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade - Site Parceiro do UOL Universa