Autoconhecimento Autoajuda e Espiritualidade

Sonhos recorrentes: Um caso de regressão - Parte 1

Sonhos recorrentes: Um caso de regressão - Parte 1
Publicado dia 3/22/2018 10:12:13 AM em Psicologia

Compartilhe

   

Existem diferentes origens possíveis para sonhos recorrentes, ou para sonhos que se repetem.
Em primeiro lugar, vamos analisar aqueles sonhos que aparecem em uma determinada fase da vida e se repetem com bastante frequência por um tempo mais ou menos longo. Estes são como despertadores inconscientes alertando quanto à necessidade de resolver alguma questão consciente ou não, que nessa fase da vida passou a incomodar.

Exemplo: sem nenhum motivo aparente, começo a sonhar que meu filho, que ainda é garoto e que esse ano passou a vir sozinho da escola, é perseguido por um marginal perigoso enquanto voltava da escola. No sonho eu estou na cena, vejo aquilo acontecer e tento correr para ajudar meu filho, mas não consigo sair do lugar e também nunca acontece de ele ser alcançado pelo marginal. Na realidade, é lógico que existe o risco de meu filho sofrer um ataque ao retornar da escola, porém, isso é muito pouco provável, pois nossa casa fica a menos de um quarteirão da escola e ele volta para casa no meio do dia e junto com muitas crianças do mesmo prédio e de prédios vizinhos. No entanto, esse fato por si só não poderia ser o objeto gerador de tão desconfortável sonho. Por outro lado, esse sonho iniciou quando já fazia quase um ano que meu filho voltava sozinho da escola e passou a se repetir em uma média de duas vezes por semana.

Depois de quase três meses de sonhos repetidos, e já iniciadas as férias escolares de fim de ano, e sem sinal de cessar, fui procurar ajuda terapêutica para entender aquilo que já começava a me preocupar. Não encontrando nenhuma explicação coerente e que ajudasse a entender aqueles sonhos, passamos a recorrer a sessões de regressão. Passaram várias sessões sem resultados satisfatórios e outras com lembranças apenas interessantes sobre minha infância. Porém, certa tarde, no decorrer de uma dessas sessões, deparamos com a seguinte cena: eu me via em frente ao prédio que moro atualmente, normal como sou agora, e vi meu filho chegando com mais uns oito amiguinhos, garotos e garotas na faixa de 8 a 10 anos. Eles chegavam na maior algazarra, correndo, rindo muito e gritando.
Essa cena realmente existiu, um dia eu estava em frente ao prédio que morávamos e presenciei as crianças chegando da forma idêntica a que via no sonho. Depois buscando adequar a sequência dos fatos, constatamos que ela ocorreu poucos dias antes de eu começar a ter aqueles sonhos. Na sequência, nessa mesma sessão, procuramos buscar onde estava o significado ou o motivo para tal lembrança, já que a cena narrada era da mais autêntica felicidade infantil.

Essa busca remeteu-me aos meus sete anos de idade, quando eu morava em uma cidadezinha do interior. Na cena, eu voltava da escola com meu irmão maior e alguns amiguinhos, todos maiores que eu, filhos de famílias vizinhas. A uma certa altura do caminho, pouco antes de chegar em frente a um terreno baldio, onde havia apenas um mote de madeira velha mal empilhadas eles começavam a falar que ali naquele terreno costumava se esconder o "velho do saco". Quando chegava em frente ao terreno, eles saiam correndo a toda velocidade e gritando para eu também correr e é claro que eu era sempre o último. E por um bom tempo antes e depois de passar correndo pelo terreno, eu ouvia eles contando estórias terríveis de como o "velho do saco" era perigoso e corria atrás de crianças e as raptava.
Com o tempo, a brincadeira perdeu a graça e eu descobri que o "velho do saco" era só uma lenda. Porém, o mais impressionante foi sentir, na sessão de regressão, como era grande o meu pavor ao passar correndo pelo terreno baldio.
Descobrir que era tudo uma brincadeira não apagou o medo que ficou latente em meu inconsciente e só veio se tornar manifesto tanto tempo depois ao ver uma cena de "crianças correndo e gritando na volta da escola".

A partir dessa data, nunca mais tive aquele sonho e em mais duas sessões de diálogo na terapia, eu já estava totalmente recuperado daquele incômodo e desagradável sonho.


por Ronaldo Cardim

Consulte agora
Mapa Astral   Tarot   Numerologia  


Leia Também

Sonhos recorrentes: Um caso de regressão - Parte 2

Sonhos recorrentes: Um caso de regressão - Parte 3


Obrigado por votar

O artigo recebeu 236 Votos

Gostou?   Sim   Não  

Compartilhe

         

Sobre o autor
Ronaldo Cardim é Terapeuta Corporal e Psicoterapeuta Holístico, formado em psicologia, trabalha com as técnicas: Shiatsu, Zen-Shiatsu, Massoterapia Corporal, Massagem Bioenergética, Massagem de Alongamento, Sei-Tai (manipulação da coluna), Psicoterapia Holística, Relaxamento induzido, Hipnoterapia Condicionativa, Regressão (TVP).
Atende em seus consultórios em Tupã/SP (14) 3496.6310 e em Marilia/SP (14) 3413.9979
Email: [email protected]
Visite o Site do Autor







Energia do Dia
Diplomacia. É um dia para assimilar as experiências do passado dando tempo para que cresçam lentamente, Use a diplomacia, seja paciente, discreto e receptivo às idéias alheias.
Faça sua numerologia

As opiniões expressas no artigo são de responsabilidade do autor. O Site não se responsabiliza por quaisquer prestações de serviços de terceiros.


Voltar ao Topo

Siga-nos


Somos Todos UM no Smartphone
Google Play


© Copyright 2000-2020 SomosTodosUM - O SEU SITE DE AUTOCONHECIMENTO. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade - Site Parceiro do UOL Universa