auravide auravide

ADEUS À CULPA

Facebook   E-mail   Whatsapp

LIÇÃO 8 - Parte 3
PERDÃO - O DESAFIO FINAL

Ao nível humano, eu penso que é mais difícil ter uma compaixão igual por todos aqueles envolvidos neste cenário horrível. O coração se divide em ser totalmente aberto diante das circunstâncias trágicas que envolvem aquela garotinha e seus pais. E o outro lado é tentado a sentir uma raiva justificada em relação aos dois que foram apreendidos. No julgamento do ego, algumas coisas que aconteceram são consideradas inesquecíveis.

Contudo, estou convencido de que, a menos que nossos corações e mentes estejam abertos a estender igual compaixão a todos, total perdão e amor a todos, nós não vamos experimentar paz interior. E, portanto, nós não estaremos aptos a doar nossa paz aos outros; nós simplesmente contribuiremos para a continuação do conflito no mundo. Ao mesmo tempo, nós também devemos lembrar que o esquecimento não quer dizer em aceitar os atos que foram descritos nesta situação.

Enquanto estivemos entrevistando a Sra. Cabarga, eu estava atento de que na hora seguinte eu estaria liderando uma sessão de co-aprendizado no Centro de Cura de Atitudes. Durante este encontro público semanal, os princípios da Cura de Atitudes são discutidos em alguns detalhes. Diane e eu decidimos convidar a Sra. Cabarga a comparecer à reunião conosco na esperança de que isto poderia dar a ela uma oportunidade de experimentar alguma coisa que talvez não havia sido permitido a ela antes - amor incondicional, aceitação, e perdão. Esta sessão de co-aprendizado era especialmente poderosa, que permitia a todos nós, incluindo a Sra. Cabarga, a olhar para nossas tentações de julgar os outros, ao invés de oferecer-lhes o perdão. Na semana seguinte, a Sra. Cabarga perguntou a Diane e a mim se poderíamos visitar Alex na prisão. Após obter uma permissão do juiz, nós fomos visitá-lo. Durante seus meses na prisão, ele entrou num processo de introspecção e aceitou a responsabilidade de seus atos. Alex estava num processo de voltar-se a Deus para ajuda e também estava ansioso em ajudar os outros de qualquer modo que pudesse.

Antes de deixar a prisão eu perguntei a ele, em que sentido ele havia aprendido sobre ele mesmo, qual conselho ele gostaria de dar aos outros. Alex respondeu, "não sinta medo de olhar para você mesmo. Não tenha medo de encontrar coisas sobre você mesmo, pois é somente aí que você será capaz de começar a fazer alguma coisa sobre elas e libertar-se. De outra forma, sua mente ficaria presa e isto é muito pior do que as grades que me prenderam".

Alex também afirmou que ele pensara muito sobre o perdão. Ele experimentara uma tremenda cólera e raiva por Tree Frog enquanto os fatos de sua lavagem cerebral iam sendo remexidos no julgamento. Contudo, ele sabia profundamente em seu coração que ele nunca havia experimentado uma verdadeira paz interior até que ele pudesse perdoar completamente seu corruptor. Apesar disto não ser fácil para ele, ele comentou que a cada dia ele tentava emanar luz para Tree Frog.

Alex Cabarga foi recentemente sentenciado a 208 anos de prisão.

A mídia fez todos nós ficarmos cientes do aumento de incidentes de abusos sexuais atuais, e os danos experimentados por todas as partes envolvidas. De uma forma, o problema pode ser olhado como uma depravação espiritual - um sentimento de estar separado do amor de Deus e de nós mesmos. Este é, não obstante, alguns dos aspectos sublinhados da nossa cultura americana que grita: "Socorro! Eu me sinto sozinho; eu não tenho amor em minha vida. Eu quero o amor, eu tenho medo do amor, eu estou confuso. Ajude-me a encontrar o amor!"

Eu não acredito que nossa sociedade ou o mundo possam ser curados, até que aprendamos a perdoar todo mundo e a não excluir ninguém do nosso amor. Para mim, não há conceito mais importante do que o poder de cura do perdão, porque o perdão nos traz a libertação de que precisamos, para que vejamos a nós e ao mundo de forma diferente. Deixe-nos continuar a re-exercitar nossos pensamentos e a guardar em nossos corações e consciência os seguintes pensamentos:

O Perdão livra-me do passado
O perdão me liberta do passado. Sempre que eu vir alguém como culpado, eu estou reforçando meu próprio senso de culpa e desmerecimento. Eu não posso perdoar a mim mesmo, a menos que eu seja capaz de perdoar os outros. Não tem importância o que eu penso sobre o que qualquer um fez para mim no passado ou o que eu penso que eu tenha feito. Somente através do perdão minha libertação da culpa e do medo pode ser completa.

Passos para integrar as lições de hoje nas experiências da nossa vida diária
1. Se você se estiver culpando alguém hoje, pare e reflita sobre o seguinte: se você tivesse tido a mesma infância e experiência de vida da pessoa que você está julgando, não seria possível que você se comportaria da mesma maneira? Então, veja a criança assustada e intimidada naquela pessoa que, se ele ou ela experimentasse o amor verdadeiro, não estaria se comportando daquela forma. Perdoe e envie-lhe amor.
2. Reveja pelo menos 2 vezes ao dia os "três princípios cardeais para experimentar a paz":
Terei a paz da mente e a paz de Deus, como meu único objetivo hoje.
Terei o perdão como minha única função.
Adiarei tomar qualquer decisão até que eu tenha acalmado minha mente e escutado minha voz interior. (Outros nomes para "voz interior" são voz de Deus, voz mestre, essência do sentimento, intuição).
3. Se você se sentir tentado hoje - sem justificativa aparente - a julgar alguém, lembre-se de que através dos olhos amorosos de Deus somos todos puros e inocentes.
4. Escolha hoje deixar ir toda sua má-percepção sobre você mesmo e os outros. Ao invés disso, esteja determinado a juntar-se com todo mundo que você encontra ou mesmo pense a respeito e diga "Eu vejo você e a mim mesmo somente através da luz do verdadeiro perdão."
5. Aceite a alegria e contentamento que você deve ter aprendido hoje através da prática de completo e total perdão sobre você mesmo e sobre os outros.

"Com o amor em você, você não precisa de mais nada a não ser doá-lo".

Você pode aplicar um exercício por dia ou aplicar o mesmo exercício durante a semana toda. Para melhor aproveitamento, faça uma pequena meditação colocando a frase principal do exercício em evidência na parte da manhã (mínimo 5 min) e à noite, antes de dormir. Procure seguir as diretrizes de cada lição para que você tenha maiores benefícios.
Exercícios retirados do livro "Goodbye to Guilt", de Gerald G. Jampolsky, Bantam Books.

www.cca.org.br


Acesse a Parte 2...

Facebook   E-mail   Whatsapp




As opiniões expressas neste artigo são da responsabilidade do autor. O Site não se responsabiliza por quaisquer prestações de serviços de terceiros, conforme termo de uso STUM.


 

Voltar ao Topo

Siga-nos


Somos Todos UM no Smartphone
Google Play


© Copyright 2000-2021 SomosTodosUM - O SEU SITE DE AUTOCONHECIMENTO. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade - Site Parceiro do UOL Universa