Autoconhecimento Autoajuda e Espiritualidade
 

AMANHECER DO ORVALHO

AMANHECER DO ORVALHO
Facebook   E-mail   Whatsapp   chat aura

Branco era uma gota de orvalho que teimava em não cair no chão pela manhã. E assim passava seus dias. A pequena gota de orvalho se segurava com toda sua força para não escorregar de uma folha de roseira.

Todas as manhãs, Branco via seus irmãos, as outras gotinhas de orvalho, escorregarem pelas folhagens e caírem direto no solo da floresta. E depois de um certo tempo, não mais respondiam, quando Branco conversava com eles.

Ficava com medo de largar sua folha verdinha e cheia de vida, para cair no solo marrom e cheio de mistérios.

Branco era forte. Para não secar ao sol, escorregava só um pouquinho para debaixo de sua folhinha verde. E permanecia lá, até o anoitecer.

Todas as madrugadas, Branco conhecia novos orvalhos. Passavam a madrugada toda conversando, rindo, brincando, e quando chegava a manhã... Lá se vão seus amigos. O pequeno orvalho ficava novamente solitário...

Um dia, porém, Branco percebera que não podia ser assim para sempre. Não poderia passar a vida agarrando-se àquela folha de roseira. Depois de tanto observar, percebera que havia um ciclo de vida em todo canto da floresta. E ele, uma pequena gota, também teria que completar seu ciclo.

Mas, Branco tinha medo. Nenhuma gota de orvalho que tinha caído ao chão e sorvido pelo solo, voltou para falar como era deixar de ser orvalho. “Eles viravam o quê, depois de absorvidos pelo chão?”, pensava Branco.

Um dia, depois do amanhecer, lá estava Branco novamente escondido debaixo de sua folha. Lembrava de tantos orvalhos que foram seus amigos de madrugada, sentia saudades. “Será que se eu cair no chão poderei encontra-los novamente?”, imaginava.

Branco já não tinha forças para manter-se agarrado à sua folha. “Amanhã terei que ir ao chão... já não posso ficar parado aqui, sozinho. Todos vêm, e seguem... menos eu. Estou cansado de ficar parado...”, pensava consigo.

Na manhã seguinte, Branco finalmente largou sua folhinha verde, enfim, foi ao chão, juntamente com os outros orvalhos da madrugada. No caminho viu coisas fabulosas: cores lindas misturadas, passarinhos, abelhas cruzando seu caminho mostrando-lhe sorrisos de congratulações. E muitas coisas novas que enchiam seu coração de alegria.

Viu tanta coisa admirável que nem percebeu quando chegou ao solo. E lá, maravilhado com tudo, finalmente soube para onde iam os pequenos orvalhos coloridos pelos raios de sol.

Hellen Katiuscia de Sá
Publicado em:

Consulte grátis
Mapa Astral   Tarot   horoscopo



Veja também
Seu amor me aquece o coração
Aprendendo com os erros
Alegria na alma
Sim, vamos manter a fé



As opiniões expressas neste artigo são da responsabilidade do autor. O Site não se responsabiliza por quaisquer prestações de serviços de terceiros, conforme termo de uso STUM.





horoscopo



Voltar ao Topo

Siga-nos


Somos Todos UM no Smartphone
Google Play


© Copyright 2000-2020 SomosTodosUM - O SEU SITE DE AUTOCONHECIMENTO. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade - Site Parceiro do UOL Universa