Autoconhecimento Autoajuda e Espiritualidade

COMPREENDENDO A MORTE

COMPREENDENDO A MORTE
Facebook   E-mail   Whatsapp


A Ciência do Barbo trata dos três dias que se seguem à experiência da morte real do corpo físico. O mundo ocidental e, a bem verdade, também as demais partes do planeta, não compreendem a ciência da morte e do ato de morrer. As informações que vou lhe passar foram transmitidas, em sua maioria, pelo Mestre Kuthumi e por Djwhal Khul e quase todas elas fazem parte dos arquivos da Hierarquia Espiritual que compõem o “Manual da Morte”.

Na realidade, a morte é o maior desafio, o maior teste espiritual e a maior iniciação da vida.
Do mesmo modo que não existe uma arte de viver, também não existe uma arte de morrer. A maioria das pessoas não compreende isso, e perde assim a maior oportunidade de suas vidas. Cada extensão de alma*, preparada ou não, enfrentará a transformação chamada morte.

A primeira fase do Barbo

Na primeira fase do barbo, imediatamente antes da morte, e independente de sua evolução espiritual, a extensão de alma verá diante de si a deslumbrante, ofuscante e clara Luz de Deus. Nesse momento, é extremamente importante que a extensão de alma se uma a essa Luz; unir-se a ela é unir-se a Deus.

A fusão com essa Luz é muito semelhante à fusão da ascensão, na sexta iniciação**; a única diferença é que, durante a ascensão, a pessoa se une a Luz, conservando o corpo físico. Durante o barbo, ela se une à Luz, sem o corpo físico.

Lembre-se o que eu disse anteriormente sobre a famosa afirmação de ,Krishna no Bhagavad Gita: ao morrer, é o último pensamento que temos na mente que determina o lugar para onde vamos. Assim, nosso último pensamento deve ser unicamente o de dissolver-nos na Luz, de unirmo-nos a Deus. Para alguns, esse pensamento pode ser a salvação e a libertação no leito de morte.

Lembre-se dos dois ladrões que foram crucificados com Jesus. Enquanto um bradava impropérios, o outro dizia merecer o castigo, e afirmava que Jesus era inocente. Então Jesus disse: Hoje mesmo estarás comigo no paraíso. Apesar de esse homem ser um ladrão, Jesus, em sua infinita misericórdia e clemência divinas, deu a ele a oportunidade de regressar ao paraíso. O momento imediatamente anterior à morte é o momento derradeiro de toda a encarnação da extensão de alma.

Mas temos um problema: a maioria das pessoas pouco ou nada conhece sobre a arte e a ciência da morte e do morrer, e sobre a clara Luz de Deus e, por isso, perde essa rara oportunidade. E por que acontece isso? Por muitas razões. A primeira é que as pessoas não sabem que o seu desígnio é unirem-se à Luz, e não se esforçam nesse sentido. A segunda razão são as idéias religiosas preconcebidas ou medo da Luz. A terceira é que muitas pessoas, ao morrer, estão demasiadamente sedadas pelos médicos. Outras, excessivamente identificadas com a matéria, se esquecem completamente de Deus. Há, ainda, as que estão muito preocupadas com a família, com suas posses e com diversos outros aborrecimentos e inquietações pessoais. Provavelmente, os motivos são infinitos, mais o maior de todos é a falta de conhecimento dessa ciência tão importante.

No futuro, essa ciência será ensinada em todas as escolas, igrejas, templos e hospitais. Perder essa oportunidade é um verdadeiro desastre, porque a extensão de alma só terá um novo ensejo ao término da sua existência seguinte na Terra.

A união com a Luz pode significar a libertação da roda de renascimentos. Como na história do filho pródigo, Deus sempre nos acolhe com alegria, por mais que tenhamos pecado em nossas vidas anteriores.

A segunda fase do Barbo

Se a extensão de alma ainda não se uniu á clara Luz de Deus inicial, ela tem uma nova oportunidade na segunda fase do Barbo. Essa Luz secundária é um pouco mais fraca, podendo ser mais adequada para alguns buscadores. Ainda assim, a união com essa Luz possibilita que se avance no desenvolvimento espiritual.

A Terceira fase do Barbo

Na terceira fase do barbo, as duas primeiras oportunidades foram perdidas, e a extensão de alma normalmente passa por um período de três dias revendo sua vida. Essa terceira fase geralmente é conhecida como o “vale do julgamento”.

Não se trata de um julgamento no sentido egóico do termo mas, antes, como a extensão de alma revê sua vida, isso acontece com uma clareza espiritual que provavelmente não tinha antes da experiência do barbo.

O processo de revisão não é como assistir a um filme; é como reviver realmente os momentos mais importantes da vida. A singularidade dessa experiência está em que a pessoa tem oportunidade de reavaliá-la e de se aperfeiçoar tomando como base as lições perdidas. Essa terceira fase do barbo é um teste espiritual, exatamente como a vida no plano terrestre também é um teste espiritual. A dimensão e o nível a que a pessoa tenderá, depois de concluir a experiência do barbo, serão determinados pelo modo como ela se desincumbe do teste da terceira fase do barbo.

Deus não julga a personalidade; a extensão de alma julga a si mesma. Na terceira fase do barbo, a extensão de alma é impelida a perceber o significado de suas más ações. Num certo sentido, a pessoa vê seu guardião do limiar. Durante o barbo, aquilo que ela desejou ansiosamente durante a vida passa a acontecer numa espécie de estado de sonho que parece totalmente real.

Recebido de Soraya Souza

Aproveite e leia: A Passagem...
Publicado em:




As opiniões expressas neste artigo são da responsabilidade do autor. O Site não se responsabiliza por quaisquer prestações de serviços de terceiros, conforme termo de uso STUM.



Voltar ao Topo

Siga-nos


Somos Todos UM no Smartphone
Google Play


© Copyright 2000-2020 SomosTodosUM - O SEU SITE DE AUTOCONHECIMENTO. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade - Site Parceiro do UOL Universa