auravide auravide

Crônica para um coração

Crônica para um coração
Facebook   E-mail   Whatsapp

Sim, eu sei que ainda acreditas num possível regresso...
Crês na magia dos antigos sonhos, na alegria ágil dos dias passados, nos sorrisos que nasciam fáceis, nas ilusões que coloriam a luz de cada amanhecer...
Julgas que viverás tudo isso uma outra vez!
Sei que vasculhaste a imensidão do céu na tentativa de colher buquês de estrelas pequeninas, recitaste os salmos perfumados no teu rosário de pétalas delicadas, estendeste o teu olhar qual alameda enfeitada de esperanças, presságios, desejos...
Ah, meu coração!
Como dizer a ti que nada disso te será possível?
Como explicar que há um tempo sem tempo, onde nada mais será vivido?
Como aceitar que o que ficou para trás já se encontra trancado num mundo distante que se fez perdido?
Deves vislumbrar o que passou como um rastro cintilante deixado pelo orvalho nas manhãs vaporosas, como a breve visão de um arco-íris quase desfeito na bruma do entardecer, como os lampejos das calmarias que tingem os céus e depois desaparecem no ar, silenciosamente...
É chegada a hora de entender que é preciso viver reinventando cada momento, brincando de seguir adiante sem contar os passos, abandonando a bagagem sem temores desnecessários, pois tudo passa: desde o sonho à lágrima, enquanto viramos páginas em branco nas quais serão registrados nossos dias...

https://www.meninadalua.com.br/prosa/cronica_para_um_coracao.asp

Facebook   E-mail   Whatsapp




As opiniões expressas neste artigo são da responsabilidade do autor. O Site não se responsabiliza por quaisquer prestações de serviços de terceiros, conforme termo de uso STUM.


 

Voltar ao Topo

Siga-nos


Somos Todos UM no Smartphone
Google Play


© Copyright 2000-2022 SomosTodosUM - O SEU SITE DE AUTOCONHECIMENTO. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade - Site Parceiro do UOL Universa