auravide auravide

Dias nublados

Dias nublados
Facebook   E-mail   Whatsapp

A vida também é feita daqueles dias em que acordamos desanimados, acreditando que não teremos ânimo para enfrentar as adversidades que nos esperam do lado de fora.

A vida, em determinados instantes, apresenta aquelas idéias de que as mudanças que almejamos para nossos dias, são complicadas e trabalhosas demais, faltando-nos coragem para batalharmos por elas.

A vida também traz com os acontecimentos inesperados e que modificam todos os nossos hábitos, a sensação de fracasso, de desamparo, de que não será mais possível reconstruir, reconquistar, seguir adiante e renovar.

Sim, a vida traz muitos dias nublados...

Porém, a vida também nos mostra que mesmo nesses dias nublados, a esperança não desapareceu, estando apenas encoberta pelas nuvens, mas ela permanece.

E como enxergar a esperança a nos indicar um novo rumo?
Como voltar a acreditar se a cada minuto, novos desafios nos surgem?
Como acender a confiança, se a nossa volta reina a tristeza e a discórdia?
E o medo? Como vencê-lo se nos sentimos rodeados pelas sombras?
Vigiar os pensamentos? Mas como fazer isso, se a sensação de escuridão nos envolve?

Fé...

Mas como tê-la, se nos sentimos desamparados e não conseguimos nem nos ligarmos com o Alto?

Dias nublados...

Nosso Espírito é uma centelha de luz, se aqui estamos, se recebemos a benção de uma nova reencarnação, não foi à toa, mas sim, para que nossa luz brilhasse, para que pudemos reencontrar o caminho do bem e nos aproximarmos do Pai.

E se somos uma centelha de luz, trazemos a Luz Divina conosco, fazemos parte dessa Luz.

Nos instantes em que os dias nublados surgirem diante de nós e muitos ainda serão esses dias, porque ainda estamos entre provas, que se fazem necessárias para que cada vez mais nossa luz brilhe intensamente, não vamos perder a nossa fé...

Mesmo que nos sintamos fracos e pensemos que não conseguimos nos conectar com o Alto.

Lembremos novamente: somos uma centelha de luz, sendo assim, estamos eternamente ligados ao Alto, mesmo quando optamos em seguir pelo caminho da porta larga, quando deixamos de praticar o bem, quando não abrimos nosso coração e preferimos abandonar os verdadeiros valores espirituais.

Mesmo assim, continuamos ligados ao Alto, porque como uma centelha, a nossa luz pode estar adormecida, mas jamais perdida.

Se nesse momento de provas intensas, não soubermos como expressar nossos sentimentos e nem como sentir a presença divina em nossa vida, fechemos nossos olhos, deixemos por alguns instantes os problemas e angústias de lado e busquemos pelo silêncio interior.

Assim, estamos permitindo que a espiritualidade, que sempre nos acompanha, possa se aproximar mais ainda e através de um passe espiritual, acalmar nossas aflições, tirar os fluídos negativos que trazemos conosco, fortalecer nosso Espírito e despertar a luz que há dentro de nós.

Nesse momento de silêncio, a espiritualidade estará aquecendo nosso coração, iluminando nossa mente, para que ela possa captar as inspirações que nos chegam do Alto e principalmente para que possamos perceber que não estamos sozinhos, nem nunca estaremos.

O amparo não nos falta, portas se abrem, emissários do Céu estão pelo caminho que trilhamos e o Mestre, Aquele que acreditávamos que havia nos abandonado, está bem ao nosso lado, caminhando conosco, sempre.

Porque o Mestre não se cansa de nos banhar com sua misericórdia e seu amor.

Sabe que ainda somos crianças espirituais e por isso mesmo, muitas vezes esquecemos dos seus ensinamentos, deixamos de acreditar na sua Presença e escolhemos outros caminhos...

Mas o Mestre também sabe que nosso Espírito é capaz de evoluir, que passo a passo, podemos nos elevar e superar as fraquezas, passando a buscar pela verdadeira moral.

E foi por isso que o Mestre nos disse: “ Brilhe a vossa luz”
Ele sabia que havia uma luz dentro de cada um de nós.
Talvez adormecida, mas jamais perdida...

Nos dias nublados, não acreditemos que nada mais vale a pena.

Se não conseguimos manter a confiança, recordemos então, das palavras do Mestre e se mesmo assim, isso não for possível, não desistamos.

Vamos buscar pela imagem do Mestre e diante de nós passemos a enxergar sua Figura Amorosa, envolto em uma intensa Luz que também vem nos envolver.

Busquemos por essa imagem mental e pouco a pouco, compreenderemos que não é apenas uma imagem, Ele está, como sempre esteve, diante de nós e de braços abertos para nos receber.

E que se não temos forças para palavras ou nem para passos, abramos o nosso coração e já é o suficiente.

O Mestre caminhará até nós e de seu olhar sairão as palavras que nos devolverão a esperança e o equilíbrio espiritual.

E nesse momento, a luz que habita nosso ser, não estará mais adormecida, mas sim, ligada intensamente ao Alto.

Abramos sinceramente nosso coração, essa é a parte fundamental para que possamos enxergar o Mestre diante de nós.

Abramos nosso coração...

E a Luz Divina lá adentrará, despertando a nossa luz íntima.
E a fé e a perseverança voltarão.
E assim, os dias nublados só existirão do lado de fora, porque em nosso ser pulsa uma intensa luz que a tudo ilumina.

Somos uma centelha de luz, então, que brilhe a nossa luz.

O Mestre está diante de nós.
A confiança se reacendeu e já podemos voltar a caminhar.
O Mestre caminha conosco.

Caminhemos também.
Com perseverança nos dias nublados
E confiança de que o sol sempre retorna a nossa vida...

Sônia Carvalho
[email protected]

Facebook   E-mail   Whatsapp




As opiniões expressas neste artigo são da responsabilidade do autor. O Site não se responsabiliza por quaisquer prestações de serviços de terceiros, conforme termo de uso STUM.


 

Voltar ao Topo

Siga-nos


Somos Todos UM no Smartphone
Google Play


© Copyright 2000-2022 SomosTodosUM - O SEU SITE DE AUTOCONHECIMENTO. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade - Site Parceiro do UOL Universa