auravide auravide

MOMENTOS

Facebook   E-mail   Whatsapp

Quanto pode caber de mistério, num cantinho de olho que contempla o horizonte num olhar sem rumo, ao léu,

que busca no céu a explicação para o tudo que não se vive que se quer viver, mas não se vive, pela escolha incerta...

Quanto pode caber de sorriso, num cantinho de lábios,
que pela angústia do momento faz-se febril,
fazendo-se espera do beijo apaixonado, translúcido, inteiro!
Que quer fazer eterno, um único momento de amor!

Quanto pode caber de paixão, num cantinho de coração,
que repleto do desejo insano, faz-se querência do ter mais!
Que ilude a esperança numa fantasia lúdica,
suave melodia que quer sofrer pelo amor do segundo,
na metamorfose do tempo!


Quanto pode sofrer a alma do artista que espera a musa,
que repleto de sonhos e de ilusões parte em sua conquista;
que incansável faz dos seus versos trombetas
que anunciam que quer ser feliz eternamente,
mesmo que seja num só instante.

Quanto pode morrer e renascer este amor louco, insano!
Que renuncia a tudo e a todos e se contorce dentro do templo,
que como um plasma percorre todos os cantos do corpo,
que acomoda-se no nada e manifesta-se no tudo, no poema!

Quanto pode ainda esperar a lua, que eternamente faz-se presente,
testemunhando o ardor dos olhos do artista
que a encarou na noite para poder ver à distância sua musa.
Que fez-se consolo e permitiu-se amar como um totem idílico!

Autor desconhecido

Recebido de Claudette Grazziotin


Facebook   E-mail   Whatsapp




As opiniões expressas neste artigo são da responsabilidade do autor. O Site não se responsabiliza por quaisquer prestações de serviços de terceiros, conforme termo de uso STUM.


 

Voltar ao Topo

Siga-nos


Somos Todos UM no Smartphone
Google Play


© Copyright 2000-2021 SomosTodosUM - O SEU SITE DE AUTOCONHECIMENTO. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade - Site Parceiro do UOL Universa