auravide auravide

NOVA CHANCE

Facebook   E-mail   Whatsapp

Conta-se que, quando Maria de Magdala deixou-se penetrar pela mensagem do Suave Rabi da Galiléia, uma onda de questionamentos lhe invadiu a alma. Ela, a grande pecadora, que buscava o amor de forma equivocada na tentativa de preencher o vazio da alma, diante da proposta de amor que aquele Homem singular lhe apresentava, pôs-se a meditar e sentiu-se uma mulher em escombros.
Num lindo dia, daqueles em que a brisa da primavera traz consigo o perfume das flores para suavizar os caminhos dos que se debatem pelas estradas terrenas, ela travou um diálogo singular com o Messias de Nazaré. Abriu seu coração ao Amigo, dizendo que era um trapo de mulher e que seria difícil ser aceita por Deus, já que cometera tantos desatinos.
Por onde começar, ou recomeçar?
O Mestre, com o olhar sempre compassivo, apontou pela janela um determinado quadro e lhe perguntou: o que vês lá minha filha?
Ela observou o quadro e respondeu: vejo uma casa em ruínas, Senhor. E então, não vês que ela está recoberta com lindos ramos e flores?
Se Deus lança sobre os escombros de uma casa em ruínas as formosas buganvilles, o que não lançará sobre um de seus filhos que queira renovar a paisagem íntima?
Naquele instante os olhos de Maria se encheram de lágrimas, sinceramente brotadas das profundezas da alma.
Uma onda diferente lhe invadia a alma agora. Era como se um suave perfume penetrasse sua intimidade abrindo um horizonte novo: a esperança nascia. Revitalizada pelas palavras do Profeta de Nazaré, Maria de Magdala logo deu início à obra de redenção particular.
Entendia agora o que Jesus quis dizer com as flores recobrindo a casa em ruínas. Sentia que era a oportunidade bendita que a misericórdia divina lhe oferecia para refazer os caminhos equivocados.
Passou a atender os sofredores, os desalentados, os mortos-vivos corroídos pela lepra. Nesse ministério, na medida em que aliviava o sofrimento alheio, Deus lhe supria as forças e lhe iluminava a alma ensombrecida. Foi assim que a mulher equivocada conseguiu superar as dificuldades do caminho, superando-se a si mesma. Foi assim que Maria de Magdala conseguiu perdoar-se.
Conseguiu empreender a caminhada para a felicidade que Jesus afirmou ser possível a todos, com as palavras: "quem quiser vir após mim, tome a sua cruz, negue-se a si mesmo e siga-me".
Ela negou-se a si mesma, esqueceu as carências e apostou tudo na felicidade que haveria de vir logo mais. E conseguiu seu intento.

Se às vezes você se sentir como se estivesse em escombros, lembre-se da afirmativa de Jesus:

Se Deus recobre com flores perfumadas uma casa em ruínas,o que não lançará sobre um de seus filhos que queira mudar a paisagem íntima?

Equipe do Momento Espírita
www.casa.momento.com.br/


Facebook   E-mail   Whatsapp




As opiniões expressas neste artigo são da responsabilidade do autor. O Site não se responsabiliza por quaisquer prestações de serviços de terceiros, conforme termo de uso STUM.


 

Voltar ao Topo

Siga-nos


Somos Todos UM no Smartphone
Google Play


© Copyright 2000-2021 SomosTodosUM - O SEU SITE DE AUTOCONHECIMENTO. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade - Site Parceiro do UOL Universa